OVOS DE CODORNA - Episódio #06 do podcast Papo de Casa e Cozinha


Quem quer aprender a cozinhar adequadamente e a não ferir os ovos de codorna na hora de descascá-los?

Essa é a minha dica de hoje no  Papo de Casa e Cozinha que você pode ouvir usando o player abaixo ou pelo APP Podcasts que você baixa gratuitamente no seu celular. Assinando o nosso podcast, você recebe automaticamente nossos episódios semanais e pode ouví-los offline!



Postagem relacionada: Clica aqui.




Como consertar cabos frouxos de panelas


O uso contínuo faz com que os cabos das panelas precisem de um aperto em seus parafusos que podem ser de entrada Philips ou entrada para chave de fenda. Por isso precisamos ter sempre à mão (de preferência em alguma gaveta da cozinha), uma chave múltipla em tamanhos e tipos, como a da foto abaixo que eu tenho e me ajuda demais a manter todas as panelas em bom estado de uso por aqui. 


Usar uma panela com cabo frouxo é perigoso e devemos evitar isso.


 E basta sempre mantê-los todos bem apertadinhos...


Segurança em primeiro lugar!






Amizades à mesa

Foto: Pixabay

Eles não são amigos escolhidos a dedo. Eles são o que o acaso nos trouxe à convivência corriqueira. Amizades de amizades que se transformaram em algo novo, privados de cobranças ou exigências. Uma reunião de pessoas com um interesse em comum: o de arriscar-se um pouco mais na cozinha, conversar abertamente sobre o que há de novo e de velho, rir junto, aprender uns com os outros.

Eu e meu marido somos adeptos de reuniões gourmets, nomeadas assim para definí-las como encontros à mesa com comidas que os anfitriões do dia cozinham. Quem recebe decide o cardápio, sempre pensando em novos desafios e no aprendizado de novas técnicas, no uso de novos ingredientes. Isso nos faz aprofundarmos conhecimentos de culinária e nos arriscarmos, cada vez mais, a criarmos pratos que deixarão todos encantados.

Nessas reuniões o excessivo é evitado. Tentamos alcançar o inalcançável equilíbrio. Outros diriam, portanto, que não vale a pena esse objetivo impossível. Ah, sabem pouco esses! Aprenderão menos ainda da vida se não se permitem esse mínimo. Um objetivo qualquer serve-nos apenas de desculpa para vivermos bem o processo da caminhada. Tanto aprendemos em tão pouco tempo! Tanto somos mais hoje por conta de cada um desse conjunto!

Sou defensora que todos se arrisquem de vez em quando dessa forma. Mesmo que não se forme um grupo, convidar amigos à nossa casa sempre é uma oportunidade de fazermos algo na cozinha que ainda não aprendemos. Se feito com carinho, com cálculo de tempo, esse desafio Master Chef é entusiasmador!

Depois da reunião, o menu ganha mais créditos, pois foi bom de comer junto, foi bom de aprender com quem fez. Marca-nos para querermos expandir ainda mais os ingredientes usados. Por vezes viajamos longe, trazendo algo especial para dividirmos com quem gosta dessa brincadeira começada sem pretensão e, esperamos, continuada da mesma maneira.

Venho pensando o que faz-nos querer seguir a mesma trilha, se já o novo não se faz presente. Ah, cada encontro é um privilégio. Estar junto porque queremos é mais que motivo de repetirmos o velho. Os pratos, porém, não se repetem. Eles são nosso meio de escandalizarmos sem gritos. Eles são nossos achados, as novidades que, não importa se serão esquecidos, pois naquele dia ele brilhará entre amigos.

Esses são momentos inesquecíveis.




Lasanha de frango muito saborosa (com dicas de preparo)


Uma boa lasanha de frango só exige dois grandes cuidados para ficar saborosa que são:
- O tempero. Esse é o primordial. Temos que dar atenção ao sabor de cada ingrediente na receita envolvido.
- E o ponto de cozimento da massa. Existem vários tipos de massa que podem ser usados para fazer uma boa lasanha. O que não se pode, com nenhum deles, é deixar que passe do ponto, cozinhando demais, pois aí a lasanha não consegue manter firme suas camadas e na boca fica com uma textura grudenta.

Como hoje a lasanha é de frango, há um ingrediente aqui que não pode faltar no refogado: a cebola!
Minhas dicas: Cozinhe o peito de frango temperado com alho e sal na panela de pressão por bastante tempo e, pra desfiar, use um dos dois truques que facilitam nossas vidas, o de agitar a panela (clique aqui pra aprender)  e o de bater na batedeira (cica aqui).

1 - Refogue a cebola até que ela comece a dourar e junte o frango desfiado. Tempere com alho e sal (e pimenta moída na hora se gostar)... 

2 - Temperos como a páprica doce ou a páprica defumada dão um sabor a mais muito especial ao recheio de frango desfiado...

3 - O molho de tomate pode ser de tomates pelatis (em lata) batidos no liquidificador com alho e sal e um pouco de açúcar, provando na panela depois e corrigindo o tempero até que fique ao seu gosto, ou mesmo com a redução dos tomates frescos cozinhando por cerca de uma hora e temperado da mesma forma, batendo no liquidificador em seguida:

3 - A montagem da lasanha se dá assim: Primeira camada é do molho de tomate cobrindo todo o fundo da travessa. Em seguida, vai a primeira camada de massa que pode ser a seca que estou usando hoje ou a fresca comprada pronta ou feita por você em casa (veja aqui). Depois da primeira camada de massa, coloque mais molho de tomate e o recheio do frango...

4- Acrescente também seu queijo ralada de sua preferência (por aqui usamos um tipo muçarela sem lactose):

5 - E voltamos a cobrir com molho e depois mais da massa...


6 - Mais molho por cima da massa e assim por diante...




6 - Até que se chegue à última camada com massa, finalizando com molho branco (que pode ser feito apenas com creme de leite + um pouquinho de leite + sal + pimenta moída) ou da forma tradicional que ensino aqui, ou mesmo usando requeijão junto como ensino aqui.

7 - Cubra com mais queijo ralado e leve ao forno (pré-aquecido), à 200oC, pelo tempo máximo indicado para cozimento da sua massa (Nunca deixe mais tempo no forno. Retire assim que apitar seu timer!)...




8 - A lasanha tem que manter a consistência firme da sua massa e ficar molhadinha por dentro (por isso nunca use molhos muito concentrados, mas mais raleados, pois no forno, secam rápido!)...

Veja que resultado incrível: As camadas e massa aparecendo e o molho molhadinho... Ao servir, enfeite com salsinha, outra erva fresca ou mesmo com ingredientes interessantes como esses grãos de mostarda abaixo! Uma delícia!





Meio e meia - Como falar? Meio triste ou meia triste?


Falar e escrever melhor depende apenas de nos importarmos em assim fazermos, aprendendo com observações e buscando por mais conhecimento. A fala é nossa mais direta apresentação e, por isso, precisamos querer melhorá-la sempre.

Um dos erros mais comuns que ouço, incluindo aqui pessoas que foram privilegiadas em seus estudos, é o tal do 'Estou meia decepcionada', 'meia triste', 'meia chateada'.

E esse erro ocorre só na boca de mulheres, vejam só o porquê:

Considere a frase: Estou meia triste.

Quem usa 'meia' em lugar de 'meio' nesses tipos de frases, faz isso pensando em combinar com seu gênero de mulher, feminino, mas isso não pode acontecer, pois dessa forma, é como se eu dissesse que estou 'meia', ou seja, 'metade' triste, 'metade alegre', dividindo-me ao meio. Como é que alguém pode estar meia cansada, por exemplo? Metade cansada e metade descansada? Isso não existe.

O correto, portanto, é: Estou meio triste. (Sendo o falante homem ou mulher).

Eu, Talita, fico meio decepcionada em ouvir esse erro de algumas pessoas de quem gosto.
Eu estou meio lenta hoje, fazendo as coisas tão devagar...

Meia é usado apenas para definir metades ou mesmo ao falarmos da meia que usamos nos pés, claro.

Onde podemos usar meia corretamente:
Uma dica: A palavra meia é usada corretamente quando, ao substituí-la por 'metade' faz sentido. 

A jarra está meia cheia = A jarra está metade cheia.
A menina comeu meia melancia = A menina comeu metade da melancia.


E a gente se lê por aqui...





Vamos todos pra cozinha! - Essa é a dica de hoje do nosso podcast!

Foto Pixabay


O nosso programa de número #5 do Papo de Casa e Cozinha, trás hoje um conselho para fomentarmos bons momentos na cozinha.

Você pode ouvir apertando o play abaixo ou mesmo pelo APP Podcasts que você baixa no seu celular, assinando o FEED do programa e recebendo nossos novos episódios automaticamente (e ouvindo offline, inclusive!).



A receita indicada por mim no programa de hoje é a de pão rápido: (Clica aqui!).











Como esquentar fritura no microondas


Fritura no microondas fica mole, perdendo sua crocância. Acontece que, se houve sobra do peixe ou do legume frito, por exemplo, e o jantar das crianças precisa ser agilizado ou ainda quando não queremos fritar de novo e engordurar ainda mais o alimento, o melhor é deixarmos 10 minutos no forno comum (pré-aquecido) em temperatura baixa, porém, no microondas, a ideia é deixar poucos segundos (10, 20 ou 30, no máximo), envolvendo o alimento frito com papel toalha.




Isso é o melhor que podemos fazer para melhor consumirmos alimentos fritos esquentados no microondas, evitando amolecê-los demais:






Como escolher palmitos para comprar nos supermercados (os mais macios)


Essa dica já dei lá no meu Istagram, @tallitadonaperfeitinha, e fez o maior sucesso. Aprendi com meu marido que, por observação, percebeu que os palmitos que flutuam dentro do vidro são os mais macios e saborosos:

Lado a lado, dois vidros de palmito em conserva da mesma marca. Os do vidro da esquerda não boiam, os do vidro da direita sim... 

A melhor escolha, portanto, é a do vidro com palmitos flutuantes que são mais macios...


Levando pra casa!