UMA VIAGEM DA INFÂNCIA

by - 12.1.09



Algumas viagens que fiz com meus pais quando era criança foram tão legais que tenho guardadas na memória e quando lembro-me delas dou muitas risadas. Uma que me marcou em especial foi quando passei uns 15 dias na fazenda dos meus avós paternos no interior de Goiás. Viajávamos pra lá de 2 em 2 anos. Mas aquela vez foi extraordinária. Aconteceram várias coisas que pra uma criança de 9 anos era como estar num filme bem dirigido. Vi jacarés, ganhei uma competição de pescaria levando até troféu pra casa, nadei em rio, conheci uma árvore de algodão e também pude comer mel direto da colméia pela primeira vez. Mas o que mais me impressionou foi um acidente com um garoto de uns 13 anos que foi atacado por abelhas. Vi meu pai cuidar dele, vi as feridas, ouvi as conversas susurradas de preocupação. Vi meu pai tirar algumas peças de roupa dele da mala e entregar ao garoto que estava só de cueca. Sua roupa estava molhada por ter ele se atirado no cocho de água dos bois para escapar das abelhas. Depois disso, fiquei muito impressionada e, brincando com filhos dos empregados da fazenda, soube que a situação deles não era boa. Uma menina de uns 5 anos disse-me, do nada, que adorava maçã. Depois entendi por que tinha me dito aquilo. Uma tia minha tinha chegado da cidade com um saco de maçãs. Fui até a casa, peguei 2 maçãs e levei até a menina que, felicíssima, correu a chamar seus 4 irmãos pra dividí-las com eles. Mais tarde, levei um puxão de orelha daquela minha tia. É estranho como certos valores podem significar mais ou menos pra essa ou aquela pessoa, né? Essa viagem foi bem legal e faz parte de mim, assim como outras que vou contando aos poucos por aqui, tá?

Vou adorar saber sobre alguma viagem que também tenha marcado sua infância. Conta aqui pra gente.

You May Also Like

4 comentários

  1. Ao contrário de sua história, querida Talita o que mais marcou na minha infância foi a falta de viagens. Meus pais não tinham condições e mal, mal íamos para BH no parque municipal. E em uma destas vezes meu pai nos levou num restaurante, daqueles perto da rodoviária (baratos) e comemos feijoada. Eu devia ter uns 6 anos. Voltamos de ônibus, sacudindo...rsrsrs, até Nova Lima! Resultado: Vomitei, me sujei dos pés à cabeça. Meu pai, coitado, tirou minha saia que era branca e limpou a lambança. Estava de colan ou (body) que é mais chique, né? Morri de vergonha, porque além de estar suja e fedendo, tive que voltar para casa sem minha saia. Imagina meu constrangimento? Até hoje, só entro em ônibus, avião e até carro após tomar dramin.rsrsrs...Fiquei traumatizada!!
    Bem, como sempre!Eu cheia de história...Vou entupir seu blog, rsrsr...
    Aos 17 anos conheci o mar, rsrsrs...Pode?Fiquei tão alucinada com Cabo Frio, com o mar, que no primeiro mergulho achei que era piscina e dei aquele mergulho no raso. (Até então só conhecia piscina, né?), caramba, meu queixo foi ralando na areia, engoli água...aquela água salgada!! Que mico!Depois tostei no sol, fiquei tão preta, mas tão preta que nem eu me reconheci, quase uma nega fulô!rsrsr...Fiquei horrível!Depois disso só protetor 30, e guarda-sol!!
    Aos 30, me mudei pro Rio, depois Angra...Paraíso!Adoro isso aqui, mas bom mesmo é a terrinha aí!
    Aos 33, Europa! (Sol na Grécia, Portugal, Turquia, Frio em Paris e Itália! Mas paguei alguns micos também, rsrsr...Depois eu conto!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Quando criança, meus pais adoravam levar eu e minha irmã para passear. Conhecemos vários lugares, e sempre íamos para o litoral. Era sempre assim, no último dia da viagem eu mudava totalmente meu comportamento, ficava triste, mas não contava para ninguém.As vezes ficava quietinha sentada na beira da praia, só olhando e admirando aquele imenso mar. Mas depois logo pensava assim "ah ano que vem tem mais ". E foi assim durante muitos anos ... até que um determinado ano meu pai resolveu que não iria mais viajar com a gente. Eu tinha mais ou menos uns 12 anos. Mas também os tempos eram outros, aumentaram os gastos, minha irmã foi estudar fora e meus pais passaram a priorizar outras coisas. Depois voltamos algumas vezes ao litoral, mas sempre do Espirito Santo mesmo ( que por sinal eu gosto muito também). Agora viajamos eu e minha mãe pois meu pai e minha irmã não gostam mais. Em 2007 fomos a Porto Seguro, que lugar maravilhoso ...
    Eu já conhecia, mas eu era muito criança quando fui pela primeira vez. Mas eu não podia perder a chance de voltar ao hotel em que fiquei na infância. Lembro-me perfeitamente do parquinho, da piscina , do salão de jogos... Então como eu lembrava do nome do hotel ficou mais fácil eu descobrir onde era ..... Fui andando beira mar e pedindo informações. Ninguém sabia me responder, alguns nem nunca tinha ouvido falar acredita? Cansada de andar fui embora para o hotel. Até que um dia indo para o centro de ônibus resolvi perguntar para o motorista . Ele me disse que o dono do hotel tinha falecido havia uns 8 anos e que os filhos venderam o lote. Fiz o motorista me mostrar onde era, e levei um susto ..... tinha uma linda casa no local, bem diferente das lembranças da minha infância. Fiquei um tanto desapontada, mas logo passou.Acho bacana voltar aos lugares que de alguma forma marcaram a minha vida. E você dona perfeitinha já teve a oportunidade de retornar aos lugares que marcaram a sua infância??? Um beijo para a vc e sua família.

    ResponderExcluir
  3. Oi Alba,
    Que história! Mesmo pra uma criança, tudo nos marca, né?
    Depois vem contar casos de suas outras viagens também, tá? Tudo que tem contado por aqui é ótimo. Adoro!

    ResponderExcluir
  4. Oi Paulinha,
    É incrível mesmo voltar a um lugar depois de algum tempo. Na fazenda dos meus avós não tive mais oportunidade (já que não mais é deles), mas nossa querida Ponte Nova mesmo, depois de um ano morando fora, ao voltar, foi estranho... não conhecia certas lojas, as casas já não eram da mesma cor. Tudo muda, né?
    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.