ENTREVISTA - Profissão: Jornalista

by - 16.3.09

Minha entrevistada de hoje é uma garota cheia de energia e atitude. Tem posições e opiniões firmes que a destacam como jornalista e, na vida pessoal, está passando por um momento lindo: o da gravidez de seu primeiro filho - ou filha...


Priscila Tescaro é jornalista. Formada pela Unimep, em 2001, ela tem 31 anos e mora em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. É casada e está gravidíssima.

As fotos da Priscila tem como cenário La Paloma e Punta del Este, no Uruguai:
viagem que fez com seu marido no fim do ano passado.


1 - Oi Pri! Ser jornalista é uma paixão pra você?

Sempre quis ser jornalista. Gosto dos bastidores da notícia e não curto rotina. Por isso, ser jornalista era unir todas as coisas que gosto e fazer para o resto da minha vida, e ainda, ganhando dinheiro pra isso...rs. O mais engraçado é que quando fui fazer minha inscrição para o vestibular, coloquei Relações Públicas como primeira opção e Jornalismo como segunda. O curso de RP não teve candidatos suficientes e fui "obrigada" a fazer matrícula em Jornalismo mesmo. Era o destino.

2 - Em qual ramo do jornalismo você trabalha?

Atualmente trabalho com Assessoria de Comunicação em um órgão público (Secretaria Estadual da Educação), no Rio Grande do Sul, mas já fiz um pouco de tudo. Já fui repórter de todas as editorias em jornais diários e semanais. Fui colunista social, fiz campanha política e trabalhei com assessoria de imprensa em órgãos ligados à agricultura e à ciência e tecnologia.

3 - Como é seu dia a dia profissional?

O trabalho de qualquer jornalista não tem muita rotina. Na Secretaria o dia a dia é bem agitado, por conta do grande volume de trabalho. Eu e a equipe atendemos toda a estrutura da Secretaria, os veículos de comunicação que pedem entrevistas sobre diversos temas como falta de professores, obras em escolas, confusões de alunos dentro de prédios públicos..., as demandas do Palácio do Governo, da própria secretária (que é super agitada), além de ir em eventos externos e viagens para diversos lugares em todo o Brasil.



4 - Ao chegar em casa, depois do expediente, você consegue se desligar do trabalho?



Eu sempre tento me desligar, mas dificilmente consigo. Como sou a coordenadora da comunicação, preciso ficar 24 horas ligada para atender qualquer chamado, seja da imprensa, seja da Secretaria. Normalmente eu consigo me desligar uns 50% do que aconteceu no dia de trabalho. Os outros 50% ficam ligados no rádio, na internet ou na TV para ver se aconteceu alguma coisa nesse período. Mas eu gostaria de conseguir me desligar totalmente e só retomar no dia seguinte. Acho que quando o bebê nascer serei obrigada a me desconectar.



5 - Sei que está grávida e escrevendo postagens lindas sobre a gravidez em seu blog. Quando estamos esperando um filho, parece que o mundo a nossa volta se modifica junto com o tamanho da nossa barriga, você sente isso?



Nossa... tudo mudou. Eu estou diferente e tudo também. Meus sentidos estão mais ouriçados e, com isso, percebo tudo em uma dimensão muito maior. Desde os aromas e o paladar das comidas, até os sons. Acho que as grávidas entram em um estado de graça permanente e devem viver assim por um bom período.






6 - É natural começarmos a questionar tudo a partir do momento em que a responsabilidade da maternidade bate à nossa porta. Você já se questionou quanto à questão do lado profissional, em qualquer sentido, depois que soube da gravidez?


Claro! Sou muito chata comigo mesmo, me cobro demais, sou perfeccionista. Por isso, estou sempre pensando lá na frente e tenho dificuldades em aproveitar o momento. Estou preocupada com tudo. Ainda não sei como serão os meses após o nascimento do bebê. Tem um lado meu que quer muito curtir os quatro meses de licença maternidade, mas ainda não sei se será possível. São os dilemas da mãe moderna.



7 - Sendo jornalista e possuindo um blog, já pensou em trabalhar com webjornalismo?


Já fiz curso de webjornalismo e gosto bastante desse universo. Nem preciso dizer o quanto eu gosto, pois foi por meio dos blogs que conheci meu marido. Quem sabe, durante a licença maternidade eu não consiga desenrolar essa outra ferramenta de trabalho e aproveite meu tempo livre para não parar totalmente (olha lá, estou pensando lá na frente, de novo)


8 – Você acha que as revistas e jornais impressos perderam mercado com a ascensão da internet?


Não acho. Acredito que tem espaço para todos. Eu prefiro comprar revistas e jornais nas bancas para poder ler em qualquer lugar. Gosto de sentir a textura do papel, o cheiro da revista nova. Sem contar que sempre é possível reler uma matéria antiga com uma revista em mãos. Mas a internet tem suas vantagens, pela agilidade e rapidez. Eu também faço algumas leituras pela web. Por isso digo que tem espaço para todos os meios.


9 - O que você pensa sobre a atuação de jornalistas de alguns canais de tv no traumático cárcere privado da menina Eloá Pimentel, no ano passado, no Estado de São Paulo?


Recentemente passei por um problema com um pseudo-jornalista aqui em Porto Alegre. Fico decepcionada com esse sensacionalismo que se tornou a profissão. Credito isso a não obrigatoriedade do diploma, que deixou de cobrar ética e profissionalismo, que muitas vezes aprendemos na universidade. No caso de São Paulo, acho que a TV pode ter contribuído para o fim trágico, pois transformaram o seqüestrador em herói ao colocá-lo em emissoras de TV. Sinceramente, essa é a única coisa que me desanima na profissão. Saber que pessoas sem profissionalismo ou ética e comprometimento podem contribuir para a morte de uma pessoa ou para o fim da carreira de outras (como o caso da Escola Base, em São Paulo).


10 - Você, Priscila Tescaro, se define, basicamente, como?


Já passei por tantas Priscila Tescaro. Hoje estou bem e serena comigo mesma, mais por conta da gravidez. Mas continuo elétrica, agitada, apaixonada pela vida, pelo jornalismo e pelo meu marido e aguardando, ansiosamente, a chegada do bebê!


You May Also Like

7 comentários

  1. aiii linda, linda! Amei a entrevista... Muitas saúde pro baby!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Talita,

    estou aguardando sua entrevista via e-mail. Já até pensei o que foi até mais complicado da minha reforma... hehehe

    Beijão. Débora

    ResponderExcluir
  3. Pri,

    Obrigada por me ceder essa bela entrevista. Foi um prazer tê-la aqui no dona perfeitinha... tudo de mais lindo nessa nova etapa de sua vida e também em sua carreira de jornalista.

    Beijo grande,
    Talita.

    ResponderExcluir
  4. Este vestido de bolas brancas tá demais!
    Passa no meu blog www.esteemeujeito.blogspot.com, tem um selinho prá você.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Talita, adorei estar do outro lado. Foi um grande prazer responder suas perguntas.... e já me sinto uma celebridade!!!

    Beijo e obrigada pelo carinho.

    ResponderExcluir
  6. Oi Talita.
    Adorei a entrevista e a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre outra "prendada".
    beijos

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.