Zazá se foi...

29.4.09 Talita Cavalcante 27 Comentários

Oi, gente...
Não queria estar escrevendo essa postagem. Pensei que hoje Zazá estaria melhor. Que minha sogra fosse lá buscá-lo, levá-lo pra casa... Mas essa noite perdemos nosso Grande Amigo Zattár.

Zazá faleceu na madrugada de hoje, às 3h15. O que posso dizer é que estamos tristes. Ele ocupava um espaço enorme em nossas vidas.

Quero muito agradecer a vocês pelos pensamentos positivos e pelas palavras carinhosas que deixaram aqui no dona perfeitinha pela melhora de Zazá. Acho que ele também ficou feliz por isso. É bom ter vocês por aqui, sempre!

Sempre ei de lembrar de você, Zazá...


E, como eu, também Aline, Luiz, os amigos da rua, sua madrinha...


Em especial meu Samú que tanto te fez feliz, né? Vocês dois juntos formavam uma dupla e tanto!


Em especial Sandra que com você passeava todas as noites, que sempre te fez companhia, que de você cuidou;


Em especial minha filha que o adora, que vibra dando-lhe biscoitos, fazendo-lhe carinho, apresentando-o aos amiguinhos...


Haveremos de sempre contar a ela sua história:



“Zazá viveu 3 aninhos. Foi um cachorro feliz, educadíssímo – nunca latia na rua, e, em casa, só latia quando nós chegávamos de carro, como que chamando "estou aqui esperando vocês!". Zazá sempre foi brincalhão. Nosso Grande Campeão!



Fomos buscar Zazá a 180Km de casa - exatamente no dia que você nasceu no ano seguinte!



Escolhemos-o em lugar de outro porque não podia ser diferente...



Fomos cativados, encantados, conquistados por nosso grandão que, na época, com apenas 3 meses, era tão pequenino, mas já fazia a maior festa. Nesse dia, na verdade, foi ele quem nos escolheu. Escolheu-nos pra cuidar dele e brincar com ele e para nos fazer mais felizes. E ele nos fez, como fez! 


Quando você nasceu, minha linda, Zazá estava eufórico. Lembro-me que no dia anterior, um domingo, dei-lhe um picolé de maracujá – eu não tinha gostado, mas ele adorou! Lembro-me que tiramos fotos... mamãe estava barrigudona, com rosto e pernas inchadas... mas brinquei muito com ele. Isso parecia fazer você feliz dentro da barriga da mamãe. Você nasceu e tornou-se, como papai, uma grande amiga de Zazá. E ele tinha o maior cuidado com você. Você lhe puxava os pêlos e ele, devagar, se arrastava um pouco pra longe de suas mãozinhas."



Zazá! Você foi muito especial pra todos nós! Obrigada por esses 3 anos. Quero muito que esteja bem, onde quer que esteja.



Gente!

Prometo que amanhã volto a postar normalmente. Hoje o que tenho a dizer é que precisamos nos acostumar à ideia de que Zazá já não vai mais estar lá quando chegarmos para os fins de semana. 



Nossa pequena ainda não entende o que aconteceu, mas temo quando ela chegar à casa da vovó Sandra, chamar por Zazá e não achá-lo. Mas vai ficar tudo bem.



Zazá foi adquirido de um canil de pastores alemães respeitado de BH. Mesmo assim, Zazá tinha displasia coxofemural, uma doença genética que afeta, principalmente, raças grandes como o pastor alemão. Sendo uma doença recessiva, tanto seu pai quanto sua mãe tinham a doença - mas nem sempre se sabe sobre ela, já que pode não se manifestar em alguns.



Apesar da displasia, Zazá vivia bem tomando seu remédio – teve apenas 2 crises em que não conseguiu andar. Zazá não morreu por causa da displasia. Ele morreu devido a outra doença, também congênita: megaesôfago - uma doença que se manifesta do nada e que age rápido.



Nosso Zazá é um herói pra gente. Ele foi um cão super amigo, super educado e super brincalhão. Estivemos com ele há 10 dias. E brincamos muito. Ele estava feliz.


Zazá! Aquele grande abraço de costume dos amigos Samuel, Talita e Sofia.

27 comentários :

  1. Estou triste pela perda... ontem mesmo estive aqui, torcendo pela melhora do grandão... mas Deus sabe de todas as coisas.
    Envio vibrações positivas, para que vcs fiquem bem!!
    um beijo

    ResponderExcluir
  2. Fiquei triste!!!!
    É muito triste quando perdemos nossos animais de estimação!!!
    Por acaso meu post de hoje é sobre os meus queridos!!!
    Pense que os animais são anjos de asas que vem animar nossas vidas e nos ensinar um amor incondicional. É os animais principalmente os cães tem um amor incondicional.

    Bjokas e muita força , viu!!!!

    Kátia Curto
    tudodbomptocom.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Nossa Talita, tô até chorando! Perdi minha cachorrinha há 1 ano e meio e não foi nada fácil. Sempre que alguém perde um animalzinho eu fico comovida porque é difícil lidar com a morte. A melhor coisa a fazer é ter outro animalzinho para reportar esse amor que há dentro de vocês. Ele será insubstituivel, mas o amor cura as chagas da alma. Tem um livro que cham TODOS ANIMAIS MERECEM O CÉU, esse livro me serviu de apoio nas horas mais difíceis. Meus sentimentos, querida! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Talita, sinto muito pelo Zazá!
    Ano passado perdemos o Bebê, nosso cãozinho camarada e fiquei arrasada também. A vida é assim mesmo, infelizmente...

    Querida, passa no meu blog que tem um selinho/brincadeira pra vc tá??
    beijos

    ResponderExcluir
  5. amiga estou em lágrimas e compartilho sua dor. A 7 meses meu boxer Gegê também se foi. Ele tinha insuficiência renal crônica e apesar do tratamento ele faleceu após 15 dias de diagnosticada a doença. Ainda estou em luto, ele não tinha nem 6 anos completos. O seu também se foi novinho né? Ainda choro de saudades, fica um vazio muito grande. Força tá? Bjokas querida.

    ResponderExcluir
  6. Talita, sei o que isso, há alguns anos perdemos uma cadelinha também a Buba...linda, era da minha filha...eles sofrem tanto né??? Jurei que nunca mais ia ter cachorro...mas os filhotes insistiram tanto e agora temos duas lindas também a docinho e a layla...já estão velhinhas...a docinho está ficando com o fucinho branco tadinha...não sei como vai ser quando chegar a hora dela também...aiaiai não quero nem pensar...
    Força linda,só o tempo pra apagar um pouco a tristeza nè...Bjinhus pra você e sua filhota...

    ResponderExcluir
  7. Nossa, que pena isso tudo ..
    Você sabe que temos cachorros e amo eles demais, é parte da família messssmoooo.

    Menina, fiquei curiosa para saber como você montaria uma cesta para o dia das maes, que tema escolheria : http://creativeday.wordpress.com/2009/04/29/uma-cesta-para-presentear/

    beijos, Jê

    ResponderExcluir
  8. Que Zazá esteja no céu dos cachorrinhos com Francisco de Assis.
    :(

    ResponderExcluir
  9. Oi Talita, Samuel e Sofia.
    Estamos em BH e somente hj ficamos sabendo do passamento do nosso querido Zattar.
    Nossos pêsames, apesar de ele me detestar...rs...rs...
    Abraços.
    Helvey e Heloisa.

    ResponderExcluir
  10. Oi, gente!
    Obrigada pelas palavras. Eu tinha que escrever essa postagem, sabem? Nosso Zazá sempre mereceu o melhor. Era um 'cãovalheiro'.

    Como ele então estão a cachorrinha da Sil, o Bebê da Priscilla, o Gegê da Ruby, o Buba da Rose... E, como disse a Nilda, que estejam todos no céu dos cachorrinhos, né?

    Obrigada a todas, também Cíntia e Kátia pelas palavras.

    Tio Helvey e tia Eloisa,
    Que bom ter um recadinho de vocês por aqui... gostamos muito! Vou falar com Aline que vocês deixaram um recadinho pra ela lá na entrevista, tá?

    Um beijo,
    Talita.

    ResponderExcluir
  11. Simplesmente não estou acreditando nisto.... estive em PN semana passada se eu soubesse disto... ai Meu Deus eu juro que tinha ido na casa de Sandra! Tadinho do Zattar... tô lembrando agora dele me jogando na parede e pulando em cima de mim com aquele jeitinho "desajeitado e eufórico de demonstrar carinho"! Eu jogava a bolinha para ele e ele ia lá buscar... todo todo ... sempre submisso !! Vc me fez chorar com suas palavras, acho que mesmo se não conhecesse o Zattar teria chorado.. vc consegue colocar emoção em tudo que escreve, isto é incrível... Ah nem vou falar mais nada ..tb !

    ResponderExcluir
  12. Simplesmente não estou acreditando nisto.... estive em PN semana passada se eu soubesse disto... ai Meu Deus eu juro que tinha ido na casa de Sandra! Tadinho do Zattar... tô lembrando agora dele me jogando na parede e pulando em cima de mim com aquele jeitinho "desajeitado e eufórico de demonstrar carinho"! Eu jogava a bolinha para ele e ele ia lá buscar... todo todo ... sempre submisso !! Vc me fez chorar com suas palavras, acho que mesmo se não conhecesse o Zattar teria chorado.. vc consegue colocar emoção em tudo que escreve, isto é incrível... Ah nem vou falar mais nada ..tb !

    ResponderExcluir
  13. Oi,fiquei super triste e esse ano também perdemos um pastor que tinha 12 anos e ficava com meus pais.Ele sofria de displasia e já estava totalmente sofredor,sei o que vocês estão passando e já estou triste aqui lembrando do nosso Jonas... esse era o nome dele
    Um beijo,

    ResponderExcluir
  14. Oi, Milena!
    Zazá, assim como Jonas, também tinha displasia, mas como ele era muito novo vivia bem só tomando o remédio.
    Um beijo pra você também,
    Talita.

    ResponderExcluir
  15. aaa não acredito!!! isso é tão triste, lembro do meu cãozinho o Marley, só fiquei com ele 3 meses ele pegou parvovirose e morreu! Nossa como eu sofri, estou imaginando como vc está se sentindo! Mas não fica assim não tá!

    ResponderExcluir
  16. Queridos amigos,

    Estamos chocados com a notícia!
    Neste momento tão dificíl a única coisa a dizer é que sentimos muito.
    Zazá agora virou uma estrelinha e cuidará dos seus fiéis amigos do peito.

    Um beijo carinhoso dos amigos,
    Rodrigo e Débora.

    ResponderExcluir
  17. Era tudo que eu não queria ler...
    Choro com vocês essa perda.
    Só quem teve um bichinho amado, sabe o que é essa dor.
    Choro aqui ao ver as fotos de Zazá.
    Também fico feliz por saber que ele foi um cão que teve o direito de ter uma família que o adorava e aos quais ele deu todo seu amor.
    Lembrem-se dos momento felizes.
    A Saudade será eterna.

    Bjs e fiquem bem!

    Lucia

    ResponderExcluir
  18. Ai Tata que triste. Espero q vcs fiquem bem. Ando louca p/ ter um cachorro tb, quero resgata-lo em algum canil por aqui. Amo caes, e sei que eles se tornam mesmo membros da familia. Sinto mto por sua perda. Beijos,
    Renata

    ResponderExcluir
  19. Oi, Andressa! Quer dizer que teve um 'Marley'? São tantas as histórias de perdas que vejo que nosso sofrimento é mesmo inevitável. Damos e recebemos muito amor dos nossos animais de estimação, né?

    Débora e Rodrigo, não vamos mais a Ponte, já que estamos meio perdidos agora, mas a gente se fala, né?

    Lúcia! Que lindas palavras! Obrigada.

    Rê!
    Estamos bem. Zazá é só memórias agora, mas apenas boas memórias. Acho que vamos acabar também adotando um outro cachorrinho. Acho que Zazá gostaria disso. Se vier a adotar um por aí, me conta depois. Fico feliz que esteja tão bem adaptada, pensando já em ter um cachorrinho. Adorei saber!

    Beijo grande em todos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  20. Tatai,

    durante 3 anos tivemos a companhia do nosso grande amigo, Zazá.

    Quem tem ou teve animal de estimação sabe que a dor da perda é enorme, mas temos que nos lembrar, sim, dos muitos e muitos momentos felizes que passamos como o Grande Campeão (ou "Cãompeão").

    Quem conheceu o campeão sabe que ele era mais que mais que especial.

    Apesar da "cara de bravo" de todo pastor alemão, era extremamente dócil com [quase] todos - é bom ressaltar que Zazá sempre tinha uma boa razão pra não gostar de alguém.

    Era um pudow disfarçado de cão policial, por isso fazia tanto sucesso com as crianças, principalmente com a nossa pequena.

    Era um verdadeiro "cãopanheiro" nosso, meu, seu, de Sofia, da minha mãe (que o levava diariamente para seu passeio noturno), da Aline, do Luis, da sua madrinha Maristela e de todos os nossos amigos com que sempre estamos na nossa querida Ponte Nova.

    Saudades do Zazá.

    Samuel Saraiva

    ResponderExcluir
  21. Amigos,

    durante 3 anos tivemos a companhia do nosso grande amigo, Zazá.

    Quem tem ou teve animal de estimação sabe que a dor da perda é enorme, mas temos que nos lembrar, sim, dos muitos e muitos momentos felizes que passamos como o Grande Campeão (ou "Cãompeão").

    Quem conheceu o campeão sabe que ele era mais que mais que especial.

    Apesar da "cara de bravo" de todo pastor alemão, era extremamente dócil com [quase] todos - é bom ressaltar que Zazá sempre tinha uma boa razão pra não gostar de alguém.

    Era um pudow disfarçado de cão policial, por isso fazia tanto sucesso com as crianças, principalmente com a nossa pequena.

    Era um verdadeiro "cãopanheiro" nosso, meu, seu, de Sofia, da minha mãe (que o levava diariamente para seu passeio noturno), da Aline, do Luis, da sua madrinha Maristela e de todos os nossos amigos com que sempre estamos na nossa querida Ponte Nova.

    Saudades do Zazá.

    Talita, Samuel e Sofia

    ResponderExcluir
  22. Talita, vc conseguiu resumir a passagem de Zazá pelas nossas vidas de uma forma tão delicada e singela que foi impossível evitar as lágrimas. Obrigada pelas palavras. Abraços... Aline Saraiva.

    ResponderExcluir
  23. Sabe o que é o Megaesôfago. É uma doença grave e de difícil tratamento quando não diagnosticada cedo.
    Segue um texto sobre a patologia:
    --------------

    MEGAESÔFAGO

    (site: http://www.blacklab.com.br/MEGAEXOFAGO.htm)

    Megaesôfago é o termo descritivo para o sintoma clínico de dilatação do esôfago. Pode ser congênito (o animal nasce com o problema) ou adquirido (secundário a outras patologias). A maioria dos casos tem natureza congênita e há evidências de que esta condição seja hereditária tanto no cão como no gato.

    O megaesôfago congênito tem sua origem desconhecida, e caracteriza-se por um retardo no movimento peristáltico do esôfago, resultando em um transporte anormal ou malsucedido de ingesta entre a faringe e o estômago, levando a um acúmulo de alimento e finalmente a uma dilatação do órgão. Acredita-se que a diminuição da motilidade e a dilatação esofágicas resultem de disfunção neuromuscular primária ainda desconhecida

    Os sinais clínicos incluem eliminação de alimento não digerido (regurgitação) logo após a alimentação (imediatamente ou até 12 horas após). O animal pode até sufocar-se algumas vezes. A regurgitação ocorre sem esforço e o alimento expelido geralmente está recoberto por muco. Normalmente observa-se perda de peso, fraqueza, desidratação, mineralização esquelética diminuída, abaulamento da região cervical do esôfago (sincronizado com a respiração), e o desconforto após as refeições é visível.

    O diagnóstico é baseado no exame radiográfico, que vai revelar um esôfago dilatado, contendo gás e ingesta. Pode ocorrer um deslocamento ventral da traquéia e do coração devido ao aumento do órgão. Muitas vezes, o megaesôfago não é observado em radiografias simples, sendo necessário um esofagograma contrastado (exame realizado após administração de contraste). Pode-se evidenciar também opacificação em campos pulmonares, compatível com pneumonia, neste caso por aspiração, que é a complicação mais comum do megaesôfago.

    Há algumas condições que podem produzir dilatação esofágica transitória, como por exemplo, aerofagia, ansiedade, dispnéia, anestesia e vômito, e não deve ser confundida com a patologia.

    Nos casos de megaesôfago congênito, é essencial iniciar o tratamento logo após o desmame do filhote. O tratamento consiste no fornecimento de alimento em pequenas quantidades em intervalos regulares. A comida deve ser colocada em um nível superior que ultrapasse a altura do animal, por exemplo, numa escada, aonde o alimento descerá ao estômago por força gravitacional. Com isso o animal poderá recuperar-se dentro de alguns meses, devido à estimulação dos músculos e prevenção de distensão adicional do órgão. Além disso, alimentar o animal nesta posição pode diminuir a possibilidade de aspiração do conteúdo esofágico. O tratamento cirúrgico do megaesôfago é um assunto controverso, sendo considerado por alguns autores válido e para outros não.

    Outra forma de apresentação da patologia é o megaesôfago adquirido (secundário), que pode estar presente em várias enfermidades que acometam o sistema nervoso ou os músculos esqueléticos, como a miastenia gravis, toxoplasmose, cinomose, polineuropatia, lúpus eritematoso sistêmico, polimiosite, intoxicações (chumbo e tálio), hipotireoidismo, hipoadrenocorticismo, paralisia por carrapato, botulismo, gangliorradiculite, compostos anticolinesterásicos e polineurite.

    O prognóstico depende da causa e da idade do início dos sintomas. Quanto mais cedo for identificada a patologia, maior a chance de sucesso no tratamento. Se ocorrer megaesôfago grave, a recuperação completa é improvável. A pneumonia e má nutrição limitam a longevidade dos animais e a morte pode ocorrer. No caso de megaesôfago secundário, se a causa fundamental puder ser identificada e tratada com êxito, a sintomatologia de megaesôfago pode desaparecer.

    (Texto extraído do site: www.kennelclub.com.br
    seção palavra do VET, gentilmente cedido o site http://www.blacklab.com.br/MEGAEXOFAGO.htm.)
    ------------------------------
    A informação e o conhecimento são úteis para que possamos proteger nossos animais contra esta doença grave.
    Saudações.

    ResponderExcluir
  24. Que péssimo, deu vontade de chorar. Sinto muito gente. Bjs

    ResponderExcluir
  25. Não sabia que Zattar tinha morrido. Tia Sandra, você nem me contou!
    Abraços,
    Fernanda.

    ResponderExcluir
  26. Poxa talita uma pena o que aconteceu.
    Ontem que passei por aqui mas na correeia não deu pra falar nada.
    Eu tenho um doguinho aqui tb e nem gosto de pensar no que será de nós sem a compania dele, ele andou dodói e foi uma comoção. As pessoas podem pensar: Po, é só um cachorro.... que exagero dessa gente!
    Mas nós que convivemos, cuidamos, muitas vezes ficamos de saco cheio de tanto afeto que eles nos dão é que sabemos o quanto nos preocupamos, o quão boa é a compania deles, amor incondicional a todos! Fazem parte da família mesmo!!!!
    Melhoras ai a todos e quem sabe em breve não acontece de se apaixonarem novamente.
    No caso do filme Marley e Eu, não sei se vc leu o livro mas existe hj em dia na família a Grace, da mesma raça do Marley, não tomando o seu lugar, mas dando novas estórias para a família contar!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  27. Olá, como te entendo, e quanto custa perder um amigo de 4 patas os mais sinceros e dedicados, dão-se inteiros,acredita que lamento muito, até porque á pouco mais de 1 meses e meio fiquei sem uma amiga, a minha mancha, uma dalmata que nos acompanhou durante 12 anos, roubaram-na daqui da zona. doi mas se doí, muita força amiga. bom fim de semana e muito amor e luz em vossas vidas

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.