ENTREVISTA - Profissão: esteticista e quase fisioterapeuta

by - 18.5.09

Lívia Hemy Horibe Martins forma-se este ano em fisioterapia. Trabalha com estética há alguns anos. Tem 24 anos e já é casada há cinco. Morou no Japão durante 10 anos e agora, de volta ao Brasil, tem milhares de planos, inclusive o de aumentar a família. Lívia tem dois blogs, o Pé na Lua Cabeça no Chão e o Mundo dos coelhos.

1) Oi, Lívia! Trabalhar com estética é conviver com pessoas com auto estima muito alta e, ao mesmo tempo, com pessoas com baixa auto estima. É gratificante ver os resultados do seu trabalho refletir no humor dos seus clientes?


Com certeza Talita. Acabo sendo um pouco psicóloga, pois como o contato é muito grande na hora do tratamento, elas acabam revelando suas angustias e até mesmo suas intimidades.



2) Você se forma em fisioterapia no final do ano. Pretende seguir a profissão na mesma linha da estética, se especializando ainda mais na área ou pretende seguir novos rumos?



Pretendo continuar atuando na área de Dermato-funcional (estética) e também gostaria de atuar em saúde da Mulher na área de gineco-obstetrícia. Pois acho a gestação um momento mágico. E as gestantes são sempre cheias de boa energia.



3) O que é a dermato funcional na Fisioterapia?



Trabalhamos com meios físicos como a eletroterapia, ultrassom, aparelhos de laser e rádio freqüência em benefício da estética corporal e facial. Cosmetologia, terapias manuais como, por exemplo, a Drenagem Linfática Manual potencializando o pré e pós-operatório de cirurgias plásticas, além de tratar efetivamente diversas patologias clínicas como, por exemplo, pacientes queimados.



4) Sei que morou por 10 anos no Japão, Lívia. Você foi sozinha?



Fui com meus pais em 1991. Fui alfabetizada lá. Estudei em escola japonesa que por sinal é ótima. Pois na escola de lá eles preparam os alunos para a vida. Tínhamos desde a primeira série aulas de culinária, corte e costura, jardinagem etc...

O meu pai e minha irmã Thabata (que posta junto comigo no Pé na Lua cabeça no chão) estão no Japão.



5) Quais foram os maiores motivos que te motivaram a morar todo esse tempo no Japão? É tradição na sua família?



Na verdade meus pais foram pra lá como Dekassegui (são nipo-brasileiros que voltam para sua terra natal para trabalhar temporariamente). Era para ficarmos apenas 3 anos, mas acabamos ficando 10.



6) Como foi retornar ao Brasil depois de tanto tempo?


Teve uma parte boa e outra ruim. A parte boa foi reencontrar meus familiares e a ruim foi a adaptação. Já que fui alfabetizada no Japão, tive que fazer uma readaptação à língua e aos costumes. Sem falar no choque cultural que eu tive em ir morar em Fortaleza.

Após isso, fomos morar em São Bernardo do Campo (SP), Barra Bonita (interior de SP) e São Paulo, capital.



7) Você diria que é mais fácil para uma pessoa nascida no Brasil se adaptar à vida no Japão ou para uma pessoa nascida no Japão se adaptar à vida no Brasil?



Pergunta difícil... Acho que é mais difícil um brasileiro se adaptar aos costumes japoneses. Pois lá eles são extremamente corretos. Por exemplo: Dificilmente se vê um lixo no chão. Até os fumantes carregam no bolso um cinzeiro portátil para não jogar as cinzas no chão. Coisas que jamais vamos ver aqui no Brasil.



8) Você já é casada há cinco anos. Já estão planejando ter filhos?



O meu maior sonho é ser mãe. Posso dizer nesse momento que estamos contando os dias para que chegue o momento certo para isso acontecer. Enquanto isso vamos curtindo o Tufinho (meu coelho).



Este é Tufo, o coelhinho da Lívia:


9) Que tradições japonesas você vai levar consigo a vida inteira?



Respeito aos mais velhos. Pois eles têm muito a nos ensinar.



10) Quais são seus hobbies, Lívia?



Adoro fazer artesanato aproveitando o que tenho em casa, reformando algo que já tenho e enjoei ou mesmo para dar uma cara nova. Adoro improvisar!



11) Tanto é seu amor pelo Tufo, seu coelhinho, que tem um blog onde escreve sobre vários assuntos de coelhos: o Mundo dos coelhos.  Como o Tufo chegou pra vocês?



No Japão já tínhamos um coelho que se chamava Milk, uma gracinha! A família toda estava apegada nele. Mas quando voltamos para o Brasil, tivemos que deixá-lo.

Depois que me casei, eu e meu marido sentimos vontade de ter um animal de estimação. Mas como moramos em apartamento e ficamos muito tempo fora de casa tínhamos dó de pegar um cachorrinho, pois eles são muito dependentes. Daí contei a historia do Milk e resolvemos comprar um mini coelhinho. Como falo no blog Mundo dos coelhos: Eles são uma gracinha, carinhosos, obedientes (às vezes) rs.. Não choram, não fazem barulho, te dão carinho, são econômicos, independentes e ainda comem vegetais sem reclamar! Enfim, tenho um filho coelho com muito orgulho.



12) Sei que tem outro blog, o Pé na Lua Cabeça no Chão, onde escreve com sua irmã que mora no Japão. Como está sendo essa experiência? Dá pra se sentir mais próxima dela?



Com certeza! Além de discutir sobre o próximo post, sempre colocamos o papo em dia e matamos a saudade!!

Ela é uma irmã maravilhosa! E louca para ser titia! Compra tudo que vê de bêbê pela frente dizendo que é pra minha “filha”. Pois até já sonhou que eu seria mãe de uma menina.




Lívia! Estou encantada! Você é um exemplo de simpatia e maturidade. Adorei nossa entrevista.

Um beijo,

Talita.

You May Also Like

13 comentários

  1. Delícia de entrevista.
    Mais um link pro blogroll. :)

    Ótima semana, Talita!

    ResponderExcluir
  2. Amei a entrevista da Lívia!! Parabéns por mais um ótimo trabalho amiga!!!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  3. Eu "conhecia" a Lívia do Blog... E já achava ela uma simpatia de pessoa... agora eu confirmei! :D

    Adorei a entrevista!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Que moça simpatica. Gostei imensamente da entrevista. Me lembrei de uma história verdadeira. Vou resumi-la. Na escola particular de minha cunhada um jovem com dois filhos bem pequenos um de tres anos e outro de 1 ano foi matricular as crianças e disse que estava voltando para o Japão porque a esposa já estava lá e que ele buscaria os filhos assim que desse. Eles iriam morar em SAAmparo com os avós . E pediu que filmasse tudo o que eles iriam fazer e que sempre falasse sobre os pais. Os anos se passaram tentaram levar os meninos por duas vezes para o Japão. Moraram um tempo aqui no interior de Minas e voltaram com as crianças para o Japão. Não adaptaram novamente. Hoje ele com 16 e ela com 14, continuam em Santo Antonio do Amparo. Afastados dos pais. E com um ensino de qualidade inferior se estivessem estudado no japão.
    Acho que eles bobearam , mas quem sou eu para falar?
    com amizade Monica

    ResponderExcluir
  5. Adorei a entrevista, a simplicidade e o carisma da Lívia, vou visitar os bloguinhos dela tb!!
    beijão!!

    ResponderExcluir
  6. Eu já conhecia o blog da Lívia, na época o que mais me chamou a atenção foi o Tufinho, fiquei encantada com ele. A Lívia é uma fofa mesmo, parabéns pela entrevista. Bjokas.

    ResponderExcluir
  7. Adorei a entrevista, não conhecia os blogs dela mas foi uma ótima descoberta para a novata aqui!
    Tenho um casal de amigos que não está conseguindo engravidar e para diminuir a ansiedade compraram um minicoelho que é uma fofura, fez muito bem a eles!!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Obrigada pelo carinho meninas!!
    Adorei ser entrevistada pela Talita!
    Coloquei até um link no meu bolg!!
    BJOS

    ResponderExcluir
  9. Adorei, mas acho que sou suspeita para comentar...
    A Lívia é minha cunhada (hahahaha)....
    Ela é uma fofa! Nossa Japa...
    Bjs
    Faby

    ResponderExcluir
  10. Essa minha filha é e sempre foi maravilhosa mesmo, ajuizadissima e boa filha!!!Resumindo a Filha que pedi a Deus!!!Bjos meu Amor

    ResponderExcluir
  11. A Lívia é uma querida mesmo!! Conheço ela há muitos anos e sempre com esse jeitinho meigo e maduro de ser!
    Parabéns pela entrevista!!! Ficou ótima! bjos

    ResponderExcluir
  12. Adorei a entrevista!!
    A Lí é minha maninha e me orgulho muito dela, sempre esforçada e dedicada a tudo q faz.
    Parabéns as duas!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Que sobrinha!!!!!!
    Deus foi muito generoso com as sobrinhas que me deu!!
    Lívia vc é especial e sabe disso , por isso também escolheu uma pessoa especial para viver ao seu lado, né??
    nós temos um orgulho enorme de vc.
    Que bom que vc pôde desenvolver seu profissional antes de ter seu bebe, pois isso só vai fazer vc se sentir mais segura quando ele ou ela vier,mais forte, valorizada e realizada por completo.
    Tudo isso que vc vivencia só faz com que vc seja cada vez mais está pessoa GRANDE, muita admiração e respeito dos seus tios e padrinhos!!
    bjs
    tia Chris.

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.