ENTREVISTA - Profissão: farmacêutica

25.5.09 Talita Cavalcante 6 Comentários

Minha entrevistada de hoje é uma garota encantadora. Muito meiga, é também determinada e sabe se destacar em tudo que faz.



Délia Chaves Moreira dos Santos é farmacêutica e professora universitária. Ela tem 29 anos e é recém-casada. Formou-se na UFMG, em Belo Horizonte - MG. Mora em Ponte Nova e trabalha em Viçosa - MG, na Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde (Univiçosa). Fez mestrado em Ciências Farmacêuticas, também pela UFMG.

Délia no dia do seu casamento, no ano passado.


1) Oi, Délia! Qual o papel do farmacêutico na promoção e manutenção da saúde pública?

O farmacêutico tem um papel fundamental em relação ao medicamento e a sua correta utilização pela população. O farmacêutico deve zelar pela atenção farmacêutica à população, alertando para as possíveis reações adversas ou até mesmo tóxicas que alguns medicamentos podem causar.


2) Em quais áreas um farmacêutico pode atuar?

O farmacêutico pode ser analista clínico (trabalhar em laboratórios de análises) industrial (trabalhar em indústria de medicamentos ou cosméticos), hospitalar, trabalhar em farmácias de dispensação, manipulação e homeopatia, além de poder trabalhar em indústrias de alimentos.


3) Como foi pra você decidir-se pela carreira acadêmica?

Não foi muito fácil. Quando me formei, decidi me aperfeiçoar mais, fazendo o mestrado. Adorei a pesquisa e a vida acadêmica. Mas, foi em um estágio em docência que eu me apaixonei pela arte de lecionar.


4) Foi difícil pra você, num primeiro momento, conquistar o respeito dos alunos pelo fato de ser tão nova?

Claro que foi difícil, pois tenho vários alunos até mais velhos do que eu. Mas, quando se faz um trabalho sério, as pessoas valorizam bastante e o respeito vem logo em seguida.


5) O que mais gosta no dia a dia do seu trabalho?

O meu ótimo relacionamento com os alunos e ter prazer em ensinar.


6) Você mora em Ponte Nova, mas trabalha em Viçosa. Você já se acostumou à rotina de estrada todos os dias?

Já sim. Parece até mesmo que Viçosa é um bairro de Ponte Nova.


7) Você considera a auto-medicação um ato já cultural no Brasil?

Sim. As pessoas se automedicam pela facilidade que apresentam em adquirir os medicamentos, por conselhos dados por amigos ou familiares e, às vezes, pela dificuldade de se consultar um médico.


8) Quais medicamentos você tem sempre com você quando viaja?

Um analgésico (ex: dipirona) e um antiácido.


9) Você acha que o farmacêutico enquanto responsável ou dono de farmácia deve sempre oferecer ao seu cliente as opções genéricas dos medicamentos procurados?

Com certeza. Os genéricos possuem estudos de biodisponibilidade e bioequivalência, que o tornam iguais aos medicamentos de referência. Com uma grande vantagem de serem mais baratos!


10) Se os medicamentos só chegam ao consumidor após rigorosas avaliações sobre sua eficácia e segurança, a que você atribui o fato de ainda hoje medicamentos terem a venda proibida depois de já estarem no mercado?

Às vezes, determinadas reações adversas só aparecem após o uso crônico dos medicamentos e, entre outro fatores, há a variabilidade individual, ou seja, cada indivíduo, se comporta de maneira diferente perante cada tratamento.


11) Como é a vida de recém-casada, Délia?

É excelente! É muito bom estar ao lado de quem ama todos os dias, compartilhando os momentos bons e os mais difíceis também do dia-a-dia.


12) Já cansou de ouvir a famosa frase 'Quando vai engravidar?' ?

Claro que sim, mas é algo que ainda vai demorar, pelo menos eu acho.


13) Mas... já estão planejando?

Ainda não. Estou numa fase muito agitada da minha vida, com muitos planos ainda.



14) Como dona de casa, quais papéis você desempenha melhor e quais você prefere passar longe?

Eu adoro cozinhar e tudo relacionado à cozinha (até mesmo lavar a louça!), mas tenho pânico de passar roupa.



15) Falando da sua casinha, qual cantinho é seu preferido e por que?

Eu adoro a sala de estar, pois é onde assisto a filmes e séries que adoro!

6 comentários :

  1. Délia!
    Que bom tê-la aqui no dona perfeitinha! Que agradável ficou nossa entrevista, né? Adorei!
    Obrigada e um beijo,
    Talita.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a entrevista. Gostei da parte que ela fala sobre auto medicacão. De fato é um problema sério no Brasil. Aqui na Suécia só se compra remédio com receita médica e a quantidade exata do q o profissional receitou. Até um anti inflamatório, p. ex.

    Beijinhos e boa semana!!!

    ResponderExcluir
  3. É um prazer conhecer pessoas admiráveis como a Délia!

    ResponderExcluir
  4. que leal ler uma entrevista de uma profissional de uma area bem diferente da minha.
    Parabéns e boa sorte na nova vida de casada


    bjks

    ResponderExcluir
  5. Adoro todas as entrevista.
    Adorei a da Delia.
    Torço para que vc entreviste nossa amiga "com amizade" Monica.
    Monica!
    Monica!
    Monica!
    Sua fã.
    Adeiilza

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.