LIVRO: O mundo de Sofia

30.5.09 Talita Cavalcante 7 Comentários


Este é um livro que definitivamente não deveria ser lido por crianças/ adolescentes. Mas que é bem interessante para a lista de leituras de um adulto. 
Li pela primeira vez com 16 anos e não me foi muito benéfico naquela época. As conclusões que tirei para minha própria vida não eram lá muito animadoras e cheguei a pensar que estava deprimida.

Depois que nossos planos de vida já estão traçados e já temos uma visão mais ampla da nossa existência, podemos ler romances como o 'O mundo de Sofia'. Filosofar é ótimo, desde que tenhamos noção do espaço, de religião, de família e de outros tantos assuntos importantes para sustentar uma filosofia. Depois de adulta, as conclusões que tirei sobre a história de 'O mundo de Sofia' foram bem diferentes do daquela época e cheguei a dar risadas também. Porque a vida é maravilhosa...

7 comentários :

  1. Eu já li este livro há muito tempo. Vou reler.
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  2. Voce já leu A origem dos meus sonhos de Barack Obama? Mamae ganhou de presente. Lemos juntas.
    Eu gostaria de saber se gostou e o que achou dele.
    Voce já leu O guardião de memórias de Kim Edwards da editora sextante?
    Foi o ultimo que li e queria também sua opinião.
    Com carinho Monica

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro este livro!!

    Seu blog é perfeito!!!

    O nome esta super adequado.rsrs

    Passa no meu quando quiser um pouquinho de poesias.

    bjos

    ResponderExcluir
  4. O livro é muito legal, me apaixonei por filosofia.

    ResponderExcluir
  5. Eu li o guardiao de memorias, gostei muito.outro q lhe recomendo e A Cabana de William P. Young.

    ResponderExcluir
  6. Nossa eu sempre fui louca para ler este livro!!! Já tinha até esquecido dele, bom lembrar! agora que estou grandinha vou ler.

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Ahhh, adorei o guardião de memórias! =D
    O mundo de Sofia ainda não terminei de ler!

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.