Pronação dolorosa (ou luxação ligamentar) - um probleminha comum em crianças

26.11.09 Talita Cavalcante 8 Comentários

Minha filha está com quase 2 anos e meio e já teve quatro episódios de pronação dolorosa. Esse problema é comum acontecer em crianças com até 4 anos, podendo acontecer também um pouco além dessa idade. - porque a formação óssea ainda não está completa. Pronação dolorosa é o deslocamento da cabeça do rádio (porção do rádio, osso do antebraço, que participa da articulação do cotovelo). Com esse deslocamento, ocorre uma luxação ligamentar e, no meu leigo entendimento,  o osso acaba encostanto num nervo e provocando uma grande dor no cotovelo que pode se refletir também no punho e ombro.



 Vou contar os episódios de pronação dolorosa que minha filha enfrentou:
 
O primeiro aconteceu quando tinha apenas 6 meses e brincava de rolar no tapetinho. Rolou em cima do braço esquerdo e alí, sobre ele, ficou parada, em prantos. Foi um susto enorme, já que até então não entendíamos o que tinha acontecido. Imaginávamos algo no pulso ou no ombro, até que a caminho do hospital e já ligando para uma amiga pediatra, ela nos adiantou que os sintomas pareciam de pronação dolorosa do cotovelo. No hospital, o ortopedista colocou o ossinho no lugar. O movimento de volta chama-se redução e apenas alguém especializado deve fazê-lo.

A segunda vez aconteceu quando eu puxei minha filha pelo braço quando, do nada, ela correu na direção da rua. Por isso hoje nos preocupamos bastante com esses movimentos de pegá-la pelos braços.

A terceira vez aconteceu quando ela mesma tentou subir no seu berço, pendurando-se pelos braços.

E a quarta vez foi nesse final de semana, em BH. Estávamos no shopping, num loja infantil. Meu marido vestia nela uma blusa e aconteceu de novo. Foi uma correria. Ela ficou 2 horas com o braço mobilizado até conseguirmos o médico certo no hospital certo que colocasse o ossinho no lugar. Até chorei de alívio, porque antes do ortopedista que soube fazer o movimento de redução, fomos atendidos por um estagiário super inseguro que não conseguiu voltar o ossinho pro lugar e ainda nos pediu um raio X. Como conhecemos o problema, queremos sempre um médico seguro que saiba o que está fazendo. Raios X são dispensáveis quando o médico sabe o que faz e sente o ossinho voltar pro lugar. E é incrível como segundos depois minha filha já se sente ótima e já está movimentando normalmente o braço, sorrindo e brincando.

Sintomas de que seu filho pode ter tido uma pronação dolorosa (é assim que acontece com minha filha):

- Algum movimento no braço provoca um pequeno estalo e a criança fica imóvel.
- Ela começa a chorar muito depois disso.
- Ela se acalma, mas fica amuadinha querendo colo e com o braço imobilizado.
- Se encostamos em seu punho ou mexemos um pouquinho seu braço, ela volta a chorar.


O que fazer:

- Ir imediatamente a um hospital com atendimento ortopédico pediártico de plantão.
- Se o médico desconfiar de pronação dolorosa (luxação ligamentar) fará um movimento de rotação com o braço da criança e sentirá que o ossinho voltou pro lugar.
- Se poucos minutos depois a criança já estiver movimentando normalmente o braço e já estiver no seu ânimo normal de novo, quer dizer que está bem e não é necessário tirar o raio X (falo isso porque tenho pavor de médicos inseguros que ficam pedindo raio X à toa - raio X se acumula no nosso organismo - eu mesmo tenho uma mancha num rim por causa de vários raios X que fiz na época em que passei por uma cirurgia quando criança - e se podemos evitar, evitamos!).

E é isso... Contei um pouco do que passamos com nossa filha quando isso acontece. E o mais difícil é achar um médico para fazer a redução. São horas até conseguirmos o atendimento. Em BH, nesse fim de semana, chegamos na casa da minha cunhada, onde estávamos hospedados, só depois da meia noite. O incidente aconteceu às 21h e só conseguimos atendimento às 23h30! E sempre que vemos nossa filha amuadinha com o braço esquerdo  imobilizado (com ela só aconteceu com o braço esquerdo), sentimos uma dor no coração que até choro de alívio quando ela volta a se sentir bem. E é como se nada tivesse acontecido porque volta a ser a mesma garotinha elétrica e sorridente que é.

Gente! Ontem não deu mesmo pra passar por aqui. Só hoje vou responder às perguntinhas que me fizeram, tá? Então, mais tarde, voltem aos comentários, por favor. Quem ainda não deixou sua frase da brincadeira da o.b., o quadrinho pra participar tá aqui na coluna direita agora.


8 comentários :

  1. Talita
    Que coisa! Eu não sabia desta doença!
    Voce estava aqui em BH? Que pena que não deu tempo de nos comunicar.
    Mas lembrei que Andrea foi para Santo Antonio. E a nossa motorista né.
    Tenho um primo ortopedista. Ele trabalha na clinica Afonso Pena.
    Não vai acontecer novamente, mas se acontecer é Alexandre de Paiva Coura. E atende pela UNimed
    Com carinho Monica
    Mas como tudo existe especialista Ele é especialista de joelho.

    ResponderExcluir
  2. Nunca imaginei que isso existisse. Muuuito útil compartilhar isso com a gente!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Minha filhota tb tem o mesmo problema, agora ela está com 2 anos e 8 meses. Graças a Deus sempre encontrei médicos que sabiam muito bem o que fazer, e logo colocaram o bracinho no lugar, e rapinho a dor passou. Desde a primeira vez que aconteceu, tomo muito cuidado, tanto que até agora só ocorreu 2 X. Os médicos disseram que eu tenho que ter cuidado redobrado até os 4 anos, até a articulação estabilizar. Ainda bem que os pequenininhos parecem se recuperar rápido. UFA! RS! Eu que não me recupero do susto!! Kkkkk... A última vez que o cotovelo dela saiu do lugar... eu estava viajando, na praia, sem carro... Foi terrível!!! Tivemos que chamar a ambulância da barraca da Praia, que nos levou para um hospital SUPER longe e particular... Que só para o médico colocar no lugar, custou 250 reais! Tirando que tivemos que voltar de TAXI para o lugar onde estávamos, o que custou mais uma pequena fortuna! KKkkkk... O que importa é que a dor do meu bb passou e tudo estava resolvido! UFA! Essas coisinhas nos passam cada susto!!!

    A minha bb comeou a me dar sustos com poucos meses, quando aspirou vômito, e começou a respirar com dificuldade e até parar... Eu entrei em desespero total!!! Estava sozinha com ela, sem telefone fixo, só um celular, que na hora reslveu SUMIR! Juro que não me lembro bem o que fiz, sei que virei ela para todos os lados, suguei a boca e o nariz, com minha boca... e mais um monte de coisas... Quando achei meu celular... A DOIDA AQUI, em vez de ligar p/ o bombeiro, ligou para a irmã! Kkkk! A sorte que minha irmã é enfermeira da UTI Neonatal. E me deu todas as coordenadas... E tudo ficou bem! Graças a Deus! Ela voltou a respirar, e devagarzinho foi corando... Só fiquei mais asustada, pq ela não chorava, de tão cansada que estava. Nem gosto de lembrar!

    Hj ela tá só crescendo.. e super sapeca! Ainda bem!

    BJINHOS!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Moniquinha,
    Acho que você não está lendo os recadinhos que deixo pra você, né? Tem um na sua postagem da medalha de são bento e outro na do aniversário do seu pai. Ia te ligar lá, mas não deu. Obrigada por dizer sobre seu primo. É sempre bom ter alguma referência.


    Oi, Fernanda,
    É sempre bom dividir o que acontece com a gente, né? Eu mesmo já li tantos depoimentos de mães e pais sobre o assunto. Obrigada pelo recadinho.

    Oi, Mônica,
    Adoro recados como o seu, dividindo com a gente a sua experiência! Que bom que sua filha até hoje só enfrentou dois episódios de pronação. Temos mesmo que ser muito cuidadosos com isso, né?

    Mas a situação dela ter aspirado vômito deve ter sido muito angustiante mesmo. Eu teria me desesperado total também. Mas achei que fez a melhor coisa em ligar para sua irmã que já é mais que capacitada pra orientar procedimentos como o que teve que fazer. Graças a Deus, deu tudo certo.

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  5. Eu moro na roça minha filha deslocou o braco 12 h eu não tenho como ir para o hospital não tenho carro e nao tem transporte aqui

    ResponderExcluir
  6. @Anônimo Nossa, estou apreensiva com vocês... Sugiro conseguir o telefone de algum posto de saúde para pedirem orientação por telefone, mas e o SAMU? Basta ligar 192. Por telefone eles te orientarão ao que fazer. Se for pronação dolorosa, talvez haja na internet algo explicando o movimento a ser feito. Mas o melhor é conversar com quem tem conhecimento genuíno. Tudo que eu posso fazer é torcer pra que você consiga. Depois me conte, vai dar tudo certo, vocês conseguem.

    ResponderExcluir
  7. Aconteceu com minha filha de 1 anos e meio, essa semana, com a mãe segurada pela mãe ela se abaixo rapidamente e sentiu o braço... chorou muito, não sabíamos o que estava acontecendo e acabamos por esperar achando que iria passar... não passou. Ela passou uma tarde toda com o braço imóvel e uma noite inteira da mesma forma... pela manhã minha esposa levou ela no pronto socorro, o médico que estava de plantão fez um raio X, passou ibuprofeno e mandou pra casa, disse que passaria antes de acabar o remédio... Quando cheguei em casa para o almoço minha filha estava da mesma forma, com o bracinho pra baixo e se alguém tocasse ela chorava de dor... "Sentíamos a mesma dor" inconformado com a situação e por morar em uma cidade pequena sem grandes "recursos" eu acabei fazendo o não indicado, baixei uns videos do procedimento da famosa redução da pronação dolorosa e eu mesmo fiz em minha filha... graças a Deus 20 minutos depois ela já estava bem, nem demos mais o ibuprofeno, por causa dos dentinhos... foi pelas histórias detalhadas deste blog que eu compreendi o que estava acontecendo com minha fila... Obrigado por postar.

    ResponderExcluir
  8. @Anônimo ... Fico feliz que resolveu! Nós também já passamos um dos momentos em que meu marido voltou o bracinho pro lugar. E outro em que o médico residente não conhecia esse problema e tivemos um frustrante atendimento por parte dele. Precisamos ser corajosos assim às vezes, considerando as condições. Parabéns e atenções maiores até os 4/ 5 anos dela. Um abraço

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.