BATE PAPO de blogueiras: Edição "Organizando casamentos"

by - 28.1.10





Rejane é minha convidada de hoje para um bate papo sobre organização de casamentos. Ela e sua sócia, a Tati, tem uma empresa de assesoria e cerimonial de eventos em Belo Horizonte, MG, a Fabricar Eventos (duas amigas minhas de Ponte Nova casaram em BH com assessoria delas e tiveram casamentos perfeitos). O site da Fabricar é esse aqui. E o blog onde a Rejane escreve lindamente e dá milhares de dicas sobre casamentos é esse aqui. Corram lá pra conhecer.

Vejam que bate papo gostoso tive com a Rejane...


(Talita) Sempre admirei o profissional cerimonialista. E ter conhecido o seu trabalho e sua alegria com ele me faz ter ainda mais certeza que é preciso muito mais que competência para assumir tais responsabilidades. Pra mim, é preciso ter também o dom de trabalhar enquanto todos se divertem. Como é isso, Rejane? Como é ter uma rotina de trabalho e descanso diferente do da maioria das pessoas?

(Rejane) Acho que é um dos maiores atrativos da profissão: essa dinâmica maluca. Nem consigo denominar rotina, pois é sempre uma caixinha de surpresa. Além do que adoro a noite. Sempre fui corujinha, rs. Amo dormir tarde e acordar tarde (bem... nem sempre consigo acordar tarde, mas...). Se você me perguntar se prefiro eventos noturnos, respondo que sim, sem dúvidas.
Acaba que ver todos se divertindo também me contamina e me divirto. Claro que de um jeito diferente, nada de dançar, nada de sentar e bater papo, nada da curtição em si. Mas, é divertido ver gente feliz o tempo todo. Pessoas bonitas, que se prepararam para aquele momento.
Como disse em meu blog, faço da eventualidade da vida das pessoas o meu cotidiano tão privilegiado.
Só é difícil conciliar casa/trabalho/marido e, principalmente, filha. Mas, isso fica pra outra hora, porque dá "pano pra manga" sem fim, rs.

(Talita) Você me passa ser tão feliz com o trabalho, com a vida! Acho isso tão bonito! Eu também sou uma corujinha, mas uma mais preguiçosa (rs). Seria um desastre trabalhando rotineiramente à noite. Acho que o seu trabalho merece ser cada dia mais valorizado porque é muito complicado. Como você mesmo disse, dá ´pano pra manga´. Conheço de perto porque além de ter tido a matéria na faculdade, trabalhei com organização de eventos - mas no backstage - de três empresas que estagiei: agência de viagens, jornal e faculdade. Aprendi muito.


(Talita) Quando você se tornou cerimonialista? E como foi largar a fonoaudiologia para assessorar casamentos? Pelo que leio em seu blog, você é totalmente realizada com a profissão que escolheu seguir, mas como foi o início disso tudo?

(Rejane) Há quase nove anos, logo após me formar em fonoaudiologia, resolvi aumentar minha renda de recém formada, conciliando a fono com alguma outra atividade. A amiga da minha irmã a levou numa agência de publicidade e minha irmã fez uma propaganda em que ela era modelo de mão (propaganda de celular). E ganhou um bom cachê. Eu me inscrevi e acabei indo às páginas amarelas do catálogo. Fiz cadastro em várias empresas de publicidade e de eventos.
Um mês após me inscrever, a Artfas (um dos cerimoniais mais conceituados de BH) me chamou. Uma recepcionista de última hora cancelou o evento e precisaram de alguém com urgência. Fui e amei de cara. Comecei a ser freela de vários cerimoniais.
Até que tomei muito gosto e me dispus a trabalhar mais perto das Flávias (as proprietárias da Artfas). Elas precisaram menos de um mês após eu me colocar à disposição. No total, entre freela e contratação, foram 2 anos na Artfas - uma grande escola. Depois que me demiti, fiquei um tempo só como freela, mas sabia que não queria a fono (eu não amava a fono e tinha certeza de que amava os eventos). Então, fui chamada pelo Ventura, outro ótimo cerimonial, e fiquei por quase um ano e meio.
Saí e a vontade de ter meu cerimonial já era enorme. Daí, apareceu a oportunidade e acabei abrindo a Fabricar há 4 anos e meio. Só felicidades, desde então. Mas, reforço que creio que a felicidade e sucesso só tenham vindo porque eu já vinha de uma bagagem de 4 anos, diria que foi como outra faculdade, com 4 anos de estágio nos melhores cerimoniais de BH.




(Talita) Acho incrível como vamos nos descobrindo através do trabalho. Do nada você descobriu o que te fazia mais feliz e seguiu em frente. Sonhou mais alto e concretizou esse sonho. Acho que você soube como poucos transformar sua experiência e sua segurança em sucesso profissional. Estou passando por um ponto de compensação no trabalho também. Como você , me realizei profissionalmente em algo diferente do que me formei. No meu caso, a diferença não é tanta, pois apesar de fazer sites, faço na maioria para casamentos e outros eventos que muito tem a ver com minha formação administrativa.

(Rejane) Bem, somos um pouco parecidas nesse ponto. Trilhamos caminhos paralelos e nos encntramos. O encontro, a certeza, para mim, é o mais importante. Trabalhar e conseguir um prazer completo não é fácil. Privilégio de poucos. Que bom fazermos parte desses poucos, rs!!!


(Talita) Você já era cerimonialista quando subiu ao altar? Me conta um pouquinho, por favor, sobre a mudança de olhar que você sofreu em relação ao ritual do casamento depois que se tornou uma profissional em organizá-los.

(Rejane) Sim. Quando me apaixonei por casamentos, me deu uma vontade enooooorme de me casar. Eu namorava há 7 anos (estou desde meus 16 anos com Alex, meu marido) e os casamentos acabaram estimulando um pouco a vontade de viver do outro lado aquilo tudo.
Mas, confesso que prefiro ser cerimonialista que noiva. Ser noiva é muuuuuuito mais estressante (quem se casou sabe bem, rs! Vc, Talita, pode até nos contar depois, já que passou pela experiência). Aliás, na época em que se casou, vc tinha um blog de casamentos não é? Cadê o blog, rs?!!! Por que o abandonou??? Como foi ter o blog com o assunto casamento????

(Talita) (rs) Deve mesmo ser mais estressante conhecer todo o ritual como profissional e ter que aceitar delegar a outros o trabalho que você faria melhor do que ser uma noiva comum que talvez esteja alheia a todos os problemas que rolam nos bastidores. Mas será que você nunca teve uma noivinha como eu??? Juro que não estressei. E olha que organizei tudo em dois meses! Eu me casei e me apaixonei por todo aquele ritual. O meu foi simples e bonito, não tive tempo pra deixar muito livre minha imaginação, mas aí logo depois comecei a blogar e falava só sobre casamentos. Acho que toda noivinha gostaria de fazer isso. Tem muitas que começam a blogar antes do evento e acabam trocando ideias e se inspirando. Apesar do encanto pelo tema não ter sumido (tanto que tenho uma seção só dele no dona perfeitinha), passei a querer escrever sobre tudo, entende? Amo desde sempre escrever. Crônicas, opiniões etc. E depois do meu casamento, novos interesses como maternidade, casa e consumo foram surgindo e acabei criando o dona perfeitinha que me permite tudo. Acho que os melhores blogs só sobre casamentos são escritos por noivinhas antes do grande dia e por profissionais da área como você. O seu é fantástico não só pelo conhecimento evidente que nos presenteia, mas também porque empresta a ele seu lado super divertido e feliz que transparece em suas palavras. Eu estou amando lê-lo.

(Rejane) Há noivas de todos os tipos: estressadas, tranquilas, tranquilas até a semana do casamento, estressadas o tempo todo e tranquilas no dia, enfim... Engraçado que há aquelas que amam os preparativos e aquelas que dizem não aguentar mais tanto detalhe a ser visto. Que bom, Talita, que você conseguiu estar n time das tranquilas desde sempre, rs!!!!! Mais um privilégio! 
O mais legal do D. Perfeitinha é que há de tudo um pouco: cultura, entretenimento, dicas do lar, opiniões pessoais, até concurso... bem legal! Também gosto muito. E vejo que é um sucesso pelos números de acesso, seguidores e tals. Parabéns.


(Rejane) Por falar em casamento, você se casou em BH ou na sua cidade?

(Talita) Casei em minha cidade natal e também do meu marido, Ponte Nova. Não poderia ser diferente. Adoro aquela cidade. É onde conheci meu marido, é onde temos mais vínculos de amizades e onde nossas famílias estão. Fiz a festa no lugar onde nos encontramos e começamos a namorar. Não sei se está fora de moda, mas sou romântica e adoro associar lembranças felizes a decisões que tomo porque pra mim, isso é seguir o que o coração pede e adoro atendê-lo.

(Rejane) Que fofa a história do romantismo. Amooooooo!!!!

(Rejane) Como foi a preparação do casório? Você contratou um cerimonial? Foi bem assessorada?

(Talita) Preparar um casamento em 2 meses não foi fácil. Era pra eu ter tido mais tempo. Já estávamos noivos há 9 meses e nos casaríamos em 7. Tinha decidido começar a organizar faltando 6 meses pra data, mas aí eis que me descubro grávida de 4 meses e aí não dava mais pra manter a data. Adiantamos. E foi uma correria! Do dia que contratei a cerimonialista até começar a entregar os convites foi só um mês! E muitos receberam o convite faltando pouco mais de 15 dias pra data. Outros nem receberam, já que desistimos de tentar entregar depois da 3a tentativa. Esse foi o grande prejuízo da correria, mas o evento foi lindo! Fui muito bem assessorada, já que ela me acompanhou em tudo, inclusive na visita ao padre que convidamos que era de outra cidade. Mas assumi muita coisa sozinha. Fiz os cardápios, o check list de confirmação de presença, as listas com os nomes dos confirmados para a portaria (eu sei que isso é uma polêmica, mas tive que fazer e funcionou bem já que tinha 3 recepcionistas na portaria e rapidinho 420 pessoas já estavam curtindo a festa), negociei os espumantes que chegaram por transportadora, fechei pessoalmente com a banda (Via Lactea daí de BH - excelente!), reservei o hotel deles, o almoço do dia, fiz crachás pra todos os garçóns, além de recadinhos de agradecimento com um pequeno mimo. E o evento foi grande, cheio de amigos e dançamos até 4 horas da manhã. Mas teve falhas... e eu sabia que seria impossível ser diferente numa cidade tão pequena quanto a minha. Não estressei hora alguma porque estava feliz organizando e no dia estava mais feliz curtindo. Acho que eu soube aproveitar bem o presente dos meus pais. Dizem que noiva não enxerga os detalhes do dia, mas eu vi tudo e saberia te descrever todos os pontos altos e também os erros que tivemos, mas sem chatiação ou arrependimento, afinal, eu estava alí me divertindo com meu marido e comemorando nosso amor. E Sofia pulou muito dentro da minha barriga. Dançamos demais!

(Rejane) Que loucura. Tá vendo? Você é mesmo "danadinha". Mesmo com a correria, com a surpresa de uma gravidez já adiantada e com tantas mudanças bruscas, conseguiu curtir tudo intensamente. Parabéns! E  que realmente vocês sejam felizes para sempre.

(Talita) Obrigada, Rejane. Desejo o mesmo a você, além de torcer que a Fabricar Eventos seja sempre um sucesso porque vocês merecem todo o reconhecimento. Cada dia mais me encanto com os casamentos assessorados por vocês. O blog da Fabricar é perfeito!



You May Also Like

5 comentários

  1. A minha irmã brinca que quer um dia de noiva sem estar para casar. Será que existe isto?
    Ela diz mas deve ser brincadeira.
    Com carinho Monica

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante sua materia de hoje....eu tive uma pessima cerimonislista,não ajudava em nada,não apareceu na maioria dos compromissos,nervosa,problematica...infelizmente minha mãe efetuou o pagamento dela antecipadamente e pronto,uma confusão......e necessario se ter uma pessoa profissional conhecida,saber mais sobre o trabalho dela com outras noivas,a organização de um casamento por mais simples que seja,exige um profissional especializado.
    Beijos
    Deusa
    http;//vasinhoscoloridos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Adorei a conversa!!! E sou uma apaixonada por casamentos como vcs!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  4. Ai até que enfim consegui terminar a leitura!!! rs ADOREI a conversa e o interessante foi que no meio do bate-papo vc vira a "entrevistada" rsrs

    bjks

    ResponderExcluir
  5. Talita... que chique, rs!!!! Rendeu 4 comentários... Gostei!!!!

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.