A maternidade também pode ser egoísta?

by - 15.1.10


Hoje cortei os cabelos da minha filha pela primeira vez. Todo mês corto sua franja, mas foi a primeira vez que tirei no comprimento. E só cortei porque não teve outro jeito. Lá estava aquele nó incrivelmente ameaçador. Não era só um embaraçado difícil de desfazer (com esses já lido bem há um bom tempo!). Era algo impossível, como se alguém tivesse propositalmente laçado dois nós em duas mechas dos cabelos dela!  Apesar de já estar enorme há um bom tempo, sempre que intencionava cortar, ficava insegura (que bobagem... é, eu sei! Mas ficava pensando... ´será que se eu cortar, esses cachos lindos desaparecerão?´). E dava um jeito de passar a responsabilidade pra minha filha: "_ Sofie! Você quer cortar os cabelos?" ... e ela sempre me respondia: "_Não!" . Se ela disse não, então tá bom, né?

Não, não está bom, não. Esse tipo de comportamento que eu tinha é um pouco egoista, afinal...  Eu sei que ela sempre dizia que não queria cortar os cabelos (Mas é claro que diria não. É claro que eu a influencio a querer o que eu quero, é natural. E ´cortar´ pra ela pode significar ficar sem os cabelos, é uma palavra muito forte). Mas naquele momento eu só deixei de cortar porque pensei: "Os cachos vão desaparecer´. E eu não queria que desaparecessem.  A verdade é que minha filha já estava precisando desse corte de cabelo há algum tempinho. Por inúmeras vezes ele a atrapalhava brincar, por exemplo. Enrolava-se no seu braço e tínhamos um chororô. Então já estava claro pra mim que era necessário cortar. E agora, tendo cortado, ele continua com os cachos, continua longo, mas está numa altura que não a atrapalhará brincar.

Nós mães corremos o sério risco em diversas situações de agir egoísticamente. Tem mãe que amamenta seus filhos até completarem 3, 4 anos. E a justificativa é sempre que isso faz muito bem para a criança. Se formos olhar o outro lado da história, não é essa a realidade. A mãe muito provavelmente estará com algum problema emocional: poderá não estar sabendo lidar com os ciúmes em ver seu filho crescer e se relacionar de forma carinhosa com outras pessoas, ou poderá estar com medo de perdê-lo ao desmamá-lo, ou  poderá estar apavorada com o fato de não saber se vai aguentar suportar a abstinência do ato de amamentar, afinal, ela faz isso rotineiramente há quase ou mais de um ano! Entre outras possibilidades. E todos esses sentimentos se traduzem em um certo egoísmo. A preocupação alí é com ela o tempo todo. E amamentar além do tempo realmente necessário pra saúde da criança não é bom pro filho não, ao contrário da ´justificativa´ que se dá. A criança precisa evoluir, desenvolver aptidões, criar segurança para ter a independência necessária. Quando a mãe amamenta além do tempo necessário poderá estar privando seu filho disso tudo. O fato do desmame acontecer normalmente no momento em que a criança começa a andar não é coincidência. É a natureza mostrando sua força, ditando suas ´regras´, abrindo portas para o ser humano se desenvolver, deixar alguma fase pra trás e assumir outras.

E seja por um motivo pequeno como o que relatei que aconteceu comigo ou com um mais sério como a amamentação, nós mamães devemos estar sempre aprendendo com nossos erros, principalmente com o egoísmo mascarado de bom moço que nos cega à entender as necessidades dos nossos filhos. Por menores que sejam, são muito importantes pra que cresçam pessoas saudáveis tanto fisicamente quanto emocionalmente.

E cada fato, cada experiência por que passo me faz ver que apesar de complexo, basta eu querer aprender que acabo acertando mais e mais. E por isso ser mãe é tão gostoso. Errar todo mundo erra, e aprender é um processo intenso que nos provoca risadas, choros por vezes, mas é sempre por amor e por vontade de ser a melhor mãe do mundo.



You May Also Like

6 comentários

  1. Ah!! toda mãe é assim!! minha mãe também era assim para cortar meus cabelos!! rsrs Mas o mais legal será quando ela crescer e sozinha decidir cortar, pintar, colorir, pintar novamente! rsrs. Espero que isso não aconteça!!
    BOM FIM DE SEMANA!!!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Engraçado...passei pela mesmissima situação....morria de medo de que os cachos não voltassem a aparecer,cortei só a pontinha e esperei o desastre.....e não e que voltarão...mas vou ser sincera,não como antes,estão muito menos odulados,mas não tinha mais como evitar.....fazer o que?

    Beijos

    Deusa
    http;//vasinhoscoloridos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Hoje resolvi deixar um comentario, depois de visita-la varias vezes. Admirei tua coragem de dizer o que pensa sobre o desmamamento das criancas. Concordo contigo, acho que as vezes a dependencia da mae e maior que a do filho. E preciso respeitar e entender o crescimento dos filhos, deixando eles serem mais independentes. Outro topico que causa tanta polemica tambem e o ato de algumas maes dormirem com os bebes e isso vai se esticando ate eles ja terem 4, 5, 6 anos...

    ResponderExcluir
  4. Oi adoro teu blog , lindas dicas, visite meu blog http://agulhaetricot.blogspot.com e http://agulhaetricot.com, espero você, beijokas e boa semana.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Laly,
    E são mesmo! E é assim que ensinamos sobre vaidade aos nossos pequenos. Em doses saudáveis, claro!

    Deusa,
    Com o tempo temos que cortar mesmo e os cachinhos nem sempre duram mesmo, mas é a natureza, né?

    Oi, Simony,
    Eu sempre sou muito transparente nas minhas opiniões por aqui. Mas é claro que entendo que existe o outro lado da história e respeito porque motivos diversos nos obrigam a agir de formas diferentes mesmo. Sobre os filhos dormir com a gente, acho que só prejudica se acontecer sempre e gerar medos e insegurança nas crianças. Uma vez ou outra acho que não há mal.

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  6. Olha, depende. Minha irmã mamou no peito (exclusivamente, não aceitava mamadeira) até os 3 anos e meio. E minha mãe não tinha nenhum problema desses. Inclusive minha irmã comia de tudo. Mas gostava de mamar. E ela foi uma menina super saudável sem ser extremamente dependente da minha mãe.

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.