Big Brother Brasil 10: por que ele foi o melhor? A grande final é hoje!

30.3.10 Talita Cavalcante 4 Comentários


O Big Brother Brasil 10 surpreendeu e emocionou mais. Hoje é a grande final e provavelmente teremos um programa emocionante logo à noite (fico imaginando o trabalho de tantas pessoas por trás que dessa vez capricharam, sem dúvida!). O programa já começou com uma intenção evidente em mostrar pra gente que pré conceitos não se sustentam por si só. Que ninguém é um caderno escrito. Que ninguém que aceite abrir o coração pro outro sairá intacto. Que as amizades não são sempre determinadas por semelhanças físicas ou de sua sexualidade, mas que muito provavelmente a cara e o coração se entendem. Não houve nem mesmo entrada triunfal. Afinal... a vida real não é assim. Deixaram o show ser conduzido pelos personagens que dia a dia foram ficando mais reais diante das regras impostas, dos grupos obrigatórios que dificultaram as máscaras (o que em outras edições não aconteceu tão bem e talvez por isso algumas tenham sido um fiasco). Se não se pode fazer isso ou aquilo para impressionar, resta-lhes ser e simplesmente ser, ou ser buscando melhorar, ou ser buscando se fechar, ou ser buscando se soltar. Por que tentar ser diferente das buscas daqui de fora? Para quem está lá, ser diferente pode significar uma depressão pós-BBB, já que a chance de dizer que é assim e assim já passou, assim como a chance de agir e conquistar algo novo. E esse algo novo não precisa ser o grande prêmio do jogo. Pode ser uma nova forma de amar para um, uma nova forma de ouvir para o outro, uma nova forma de implicar, de se achar, uma nova forma de sentir vergonha. Nem todos tem uma segunda chance e é por isso que a coragem da participação num reality show é algo necessária para todos. E é inexplicável o que acontece lá dentro e em como eles não tem noção da exposição que aceitaram pra si, das consequências dela e do fato de que a vida não parou, nem pulou etapa. A vida acontece lá dentro e eis que dessa parte sentirão saudades. Claro! E serão saudades boas e ruins, que agradam ou que fazem sofrer, que lhes permitirão sorrir ou embrutecer. Apesar da coragem de todos, só alguns se prepararam pra sobreviver. É uma loucura o que topam viver, mas alguns conseguem viver de verdade e tocar os corações de nós que aqui fora estamos a todo vapor a criticar atitudes e aplaudir outras. Posso analisar tudo e você também, mas nunca acertaremos em cheio, nunca dividiremos as lições que tiramos. O programa foi fantástico porque desde o início testou a todos: participantes e espectadores. Eu como uma dentre os testados pude ver em mim um grande pré conceito errado. Quando uma segunda chance foi dada à Joseane, não gostei. E a escolha dela pelo Dourado me desagradou também. E olha que alegria agora sinto em ver que alguém como ele tão ríspido e grosseiro no meu antigo conceito se mostrou um cara bacana, sensato, mais inteligente que qualquer suposição que eu pudesse ter. E ainda é simples e educado (mesmo que esse último adjetivo não seja referente a alguns de seus terríveis hábitos, pelo contrário!). Eis que ele é um grande acontecimento do Big Brother e justamente por conseguir aproveitar uma segunda chance aparentemente sem máscaras, continuando a mostrar seus perfeitos defeitos, mas também agora tendo a oportunidade de conquistar simpatia por seus atos que comparados com os de muitos colegas acabaram ficando mais acertados e com o tempo passando... ainda mais acertados. A sobrevivência alí é comparativa, pois ninguém é perfeito (por mais que a Grazi tenha nosso respeito!) e ganha aquele que  juntando os bons sentimentos, as boas atitudes e a vontade do prêmio, fique mais perto do público, mais condizente com o mundo. Os votos serão de todos, já que a final é de aceitação, não rejeição! Meu voto é do Dourado. Mas não porque não gosto dos outros. Eu gosto! No trio, há um que teve uma trajetória reta, correta do início ao fim (louvável!). Os outros dois tiveram trajetórias curvilíneas. Enquanto um deles foi do reto ao incongruente, o outro surgiu do prescipício e parece ter sempre calcado uma linha ascendente, o que na minha opinião depois de muitas observações, merecidamente.

Mas o prêmio é ao momento vivido e isso já foi escrito. A final é hoje! Grandes pessoas fizeram esse Big Brother muito divertido e ganharão diversos prêmios por isso. Sem todos eles não teríamos a maravilha que foi essa novela da vida, presenteada a nós que gostamos. Sem também os que por trás trabalharam para nos emocionar com capítulos muito bem montados não teríamos sorrido e refletido tanto e, principalmente sem o Bial que dessa vez aceitou fazer ainda mais parte do jogo, deixando mais claras suas próprias emoções e participando como que um pai fosse de cada um deles, não teríamos sentido tanto cada partida e cada vitória, cada vontade calada e cada uma expressada, cada sonho  que continuava e cada um interrompido. O Bial foi um bom pai de todos eles, por sinal. Daqueles que mostram o erro dos filhos e os empurram para assumir as consequências, mas não sem antes dar-lhes grandes conselhos, apresentar-lhes a chance de aprenderem grandes lições. Pena que nem todos terão capacidade de entender as entrelinhas e os sinais da própria vida e seguirão cometendo os mesmos erros. Mas sempre haverá quem agarre a chance de ser uma pessoa melhor e dê ouvidos a quem viu e analisou sua vida, pois sabe que autorizou isso, sabe que aconteceria. E tomara que possamos ser capazes (o nós incutido significando a 'maioria') de escolher alguém assim.

Quer votar? Clica aqui.

4 comentários :

  1. Olá Talita!!!! Tá td bem??

    Bom quanto ao BBB, adorei o seu texto, nunca ninguém descreveu tão lindamente um situação! Rs.

    Meu voto sera para a Fernanda - Eu não acompanhei todo o BBB- Mas os poucos que eu vi, eu gostei das atitudes dela, a sutileza das palavras, a calma!!!

    Fico por aqui!!

    Bjks

    ResponderExcluir
  2. OI Talita, tb estou com o Dourado!
    Já votei um monte de vezes rs
    bjinhos

    ResponderExcluir
  3. Olá Talita!

    Duvida cruel...Cadú menino exemplar, ( exceto pela amizade com a insurpotável da Lia), de uma retidão a toda prova, o verdadeiro BROTHER no sentido da palavra, também de condição financeira bastante sofrida.

    Dourado turrão, mas que se permitiu amolecer seu coração, se permitiu ser acarinhado, franco e rebelde, mas querido por mim desde o outro programa.
    Espero compulsivamente que ele se permita ter Fé, pois tudo que lhe aconteceu, certamente tem a mão de Deus.

    Então...que fazer, votar em quem...
    Ai, meu pai, me dê uma luz para não cometer injustiça.

    O que tiver que ser será...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto! Escreve algo para o meu blog bigviciobbb.blogspot.com?
    Beijos

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.