10 anos

24.5.10 Talita Cavalcante 4 Comentários

Que delícia que é chegar 10 anos depois de uma certa idade e reler sua lista do "como será minha vida daqui a 10 anos" e perceber que realizou mais do que poderia imaginar naquela época. Perceber que estar casada e com filho que tanto causa medo em alguns é o que mais me motiva, o que mais me faz sorrir, tem um significado gigantesco na minha vida. Sei que sou só uma folhinha entre bilhões, mas a perspectiva e a importância é bem diferente quando penso na minha família, na importância de cada um para o outro.

Que delícia que é ver minha filha crescer
Fazer planos
Ter meu marido por perto
Querer

Que delícia que é sentir os perfumes da casa
Brincar de casinha
E receber meu amor com um grande abraço

Que delícia que é ajudar quem posso
Das várias formas que posso
E pensar que ganhei um sorriso de volta
Um sorriso de alegria, um sorriso de verdade
Tão raro pelas defesas que criamos
Pelos pés atrás que temos
Até mesmo necessários
Por tanto que vemos

Que delícia que é ser ajudado
Lembro-me bem de várias vezes que precisei
Como um quase desmaio na farmácia
Como a dificuldade em subir uma calçada com o carrinho de bebê
Ou como dificuldades maiores

Que delícia que é toda vez que faço o café, me lembrar da minha avó me contando um caso,
Me alertando pra alguns cuidados.
Porque houve um dia quando ainda tinha sua companhia,
Em que ela fazia o café e conversava comigo.

Que delícia também é sentir os cheiros que marcaram minha infância
Ainda presentes.
Ouvir os passarinhos no mesmo horário de sempre, em lugares diferentes.

Que delícia que é encontrar amigos que não via há muito,
Contar da vida, lembrar de fatos, sem pesar e só sorrir.

E que delícia que é encontrar um caderno escrito há dez anos,
Com tantos sonhos que hoje poderão ser escritos como fatos.
Perceber que certas coisas nunca mudam apesar dos acontecimentos.

E que delícia que é voltar a escrever no mesmo caderno... agora a três,
E em breve a quatro, cinco, quem sabe?

Porque.... o que muda na vida?
Não somos nós.
Mas nossa forma de ver e de abraçar o mundo.
De amar e de aceitar os desamores também.
Mas principalmente nossas escolhas...
Essas sim mudam.
E mudam muito.

4 comentários :

  1. Talita,
    Realmente, o que muda na vida são nossas escolhas e a maneira como passamos a enxergar os acontecimentos.Podemos permitir que um pequeno revés se transforme em um grande problema ou ao contrário.
    Bom sentir o cheiro de coisas que nos trazem à lembrança momentos de felicidade e ver à nossa volta, que a vida se constrói da união de pequenos e grandes acontecimentos,que juntos, nos elevam a uma plenitude de maturidade e agradecimento pela família, amigos, e os dons que Deus nos entrega para desenvolvermos.

    ResponderExcluir
  2. Nós precisamos mudar, moldar nossas vidas conforme os acontecimentos pq é sinal de crescimento ,fortalecimento e maturidade, jovem e sábia....lindo o que escreveu....bjks....Gil

    ResponderExcluir
  3. Amiga que saudades daqui!!

    Como está?

    Hoje me deparei com seu belo post, palavras de reflexão e emoção, palavras que me fizeram pensar!!

    A mudança está em nós e só depende de nós, mudar é arriscar, é correr até o risco de perder, mas acreditar que o melhor está por vir.


    beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Show este post, menina!
    Adoro recordar e refletir,lembrar de cada cheiro da infância, comparar como eu era e como eu sou...adoro ler meus antigos diários, ver quanta mudança...rir junto, chorar junto...e concluir que cada coisa tem seu tempo certo!
    É maravilhoso ver que cada vez aprendemos mais com as situações da vida, acredito que nunca regredimos, apenas evoluímos ou estacionamos...
    Daqui a um tempo os problemas de hoje estarão superados, os desejos de hoje estarão realizados e o que não estiver, sempre é tempo de mudar!
    Mudança é sinal de maturidade,e saber ver as coisas sempre pelo lado bom é uma arte!
    Obrigada pelas reflexões! Vou te mandar um email q recebi sobre isso, bem oportuno! Bjinhus

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.