Dormindo de portas e janelas abertas

Outro dia li algo e pensei: "Vou guardar pra sempre!". Mas no mesmo dia já não me lembrava mais nem o assunto. Seu significado pareceu-me naquele momento algo super importante. Como é que posso ter me esquecido? Meu interesse, pelo que parece, foi momentâneo, não tão real assim. E, por isso mesmo, ainda sabendo da importância daquela frase, mas sem necessariamente me lembrar dela, torço para que algum dia ainda me depare novamente com ela e dê-lhe a devida atenção que fiquei devendo. Quem é seu autor? O que o levou a escrever aquilo? Acho que isso é o mínimo que podemos fazer com algo que nos cativa, ou seja, esse mínimo é ter interesse. Essa palavrinha, como verbo (interessar-se), é uma das que mais trazem significado na minha vida. Grande parte do meu aprendizado sobre a vida diz respeito a ela. Alguém muito especial foi quem me mostrou a vista da vida através da janelinha do interessar-se. Ter interesse pelas pessoas, ter interesse pelo que gostam e desgostam. O interesse, na minha opinião, trás também respeito pelas diferenças dos outros. Trás carinho e compreensão. Trás a opção da amizade. Pais e filhos devem ter interesse um pelo outro. Irmãos devem ter interesse um pelo outro. Amigos devem ter interesse um pelo outro. Namorados, com toda certeza e acima de tudo, devem ter interesse pelo outro. Sabe o que o interesse provoca em nós também? O interesse faz com que nos preocupemos com a felicidade do outro. Ou, se não tanto, com seu bem estar. E, ao mesmo tempo que devemos ter interesse pelos outros e nos preocupar com seu bem estar, o mínimo que podemos fazer por nós é também dedicar-nos interesse, pois é nos conhecendo que nos respeitamos e crescemos. E por que não nos doar para aqueles que nos faz bem? Por que não? Vou contar algo estranho, mas que acontece comigo. Sou um tipo de pessoa que se sente bem em fazer coisas pelas pessoas, em sentir que posso fazer algo por alguém. E isso, estranhamente, causa desconfiança de alguns, afinal, dizem, "ninguém é tão legal assim". As pessoas sempre querem algo em troca. E claro que querem. Eu também quero. Quero me sentir bem. E quando consigo fazer algo por alguém que gosto, me sinto bem, é ótimo pra mim. Mas entendo que no mundo de hoje ter interesse gratuito por alguém pode causar desconfiança. Eu mesmo tenho muito pé atrás com coisas assim. O que faço então é procurar aprender e me adaptar com as 'mancadas' que dou, pois infelizmente, a verdade é que não podemos mais dormir de portas e janelas abertas*, nem mesmo lá naquele finzinho de mundo onde eu costumava passar minhas férias, onde me sentia realmente interessante, onde aprendi bons valores com uma mulher que por acaso foi minha avó e que, por minhas memórias, me dedicava tempo simplesmente porque tinha interesse por mim. E esse interesse era mútuo e criou grande afinidade entre nós. Taí a beleza do significado do verbo 'interessar-se' que só quando eu conheci meu marido pude mesmo reconhecer e aprender com sua prática.


*é uma metáfora (eu sei que não precisava dizer, mas é que achei legal deixar bem explicadinho, rs)

Quer me contar o que mais te encanta e te faz se interessar pelas pessoas? No meu caso, é um oi caloroso, um telefonema amigo, errar e se dispor a acertar ou simplesmente se desculpar (porque quem faz algo assim só pode ser alguém bem legal, né?), receber resposta de um e-mail, e um monte de coisas mais, mas principalmente um sorriso e olhar sinceros e palavras bonitas, faladas ou escritas. E com você? O que é?

You May Also Like

11 comentários

  1. Gosto de pessoas verdadeiras e espontâneas, que não ficam escolhendo palavras, simples, elegante de natureza, nada forçado, seu olhar tem que ter o mesmo sorriso dos lábios, assim saberei se está triste ou alegre, posso desenvolver essa amizade para o que der e vier.....bjks.....Gil.....

    ResponderExcluir
  2. um abraço gostoso e verdadeiro, uma amizade que valha a pena e que esteja deisposta a te ouvir quando precisa e não só o contrário sempre, pessoas espontãneas e alegres por natureza e não forçadas a ser, minha familia unida e feliz e o simples fato de dar valor a qualquer coisa, sendo ela minima, mas o ar que respiramos nem da pra se ver, mas é de uma grande importância néh.

    ResponderExcluir
  3. Quem conheceu essa mulher maravilha mencionada no post, nossa querida e saudosa Dona Dorinha; quem conhece a mulher maravilha autora do post, minha amada Tatai; quem conheceu o relacionamento das duas
    ...
    sabe e entendeu tudo...

    sabe da maravilha que pode ser o relacionamento de duas pessoas que se interessam verdadeiramente pelo outro...

    pessoas que verdadeiramente fazem a diferença fazem falta e deixam saudades... saudades boas... boas recordações...



    Um beijo, minha linda, minha Tatai...

    Te amo, do seu admirador expresso (não anônimo) Samú (no corrido intervalo da tarde para matar a saudades do meu site preferido)

    ResponderExcluir
  4. Choro sorridente agora. Coisa mais linda receber um recadinho tão lindo do meu marido no meio da tarde. Só que aí fico com mais saudade e vontade que ele chegue logo.

    Te amo, Samú. E obrigada por me fazer sorir, chorar de felicidade e principalmente por me fazer me sentir interessante. Você é que é, mas isso a gente 'discute' em casa, rs.

    Gil,
    O olhar das pessoas nos diz muito sobre elas mesmo.

    Felismara,
    Essa troca saudável de ouvir e ser ouvido realmente é um balanço agradável nas amizades.

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  5. Manu/ Santos (SP)8 de junho de 2010 10:54

    Adorei o texto! Muito interessante! rs
    A felicidade do outro muito me interessa, tb! Sou uma pessoa que não costumo esperar recompensas...gosto de ver e fazer o outro feliz, seja qual for o meu grau de relacionamento com o mesmo!
    Acho que o fato de eu visitar todos os dias o seu blog, pode ser o interesse, tb! rs
    Adorei o texto!

    ResponderExcluir
  6. ah, tantas coisas me fazer olhar diferente pra uma pessoa. Mas a espontaneidade é algo que observo muito no primeiro contato. Percebo de longe quando alguém está sendo "forçado".

    bj

    ResponderExcluir
  7. Oi, Manu,
    Adorei saber disso, rs.
    Obrigada por nos visitar todos os dias e adorei saber o que faz você se interessar pelos outros. Pessoas felizes à nossa volta nos faz um bem grandioso mesmo.

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  8. Olá!Muito interessante refletir sobre esse texto!
    Eu me interesso por quem fala olhando nos olhos (um pouco raro hoje em dia), quem abraça não só de corpo, mas de alma...me interesso pelas flores, pelo céu (gosto de reparar na tonalidade diferente a cada dia), me interesso por pessoas que sabem dar atenção, se preocupam em saber como vc está de verdade... e também por textos, mensagens que me acrescentam algo de positivo, me dão ânimo pra vida! O seu foi um desses, com certeza!
    Um beijo, querida!

    ResponderExcluir
  9. Realmente, hoje em dia, não devemos deixar as portas e janelas abertas. Portas e janelas da nossa alma, da nossa casa, do nosso coração. Não quer dizer que devem ficar trancafiados e, sim vigiados.
    Talita, nós que conhecemos a Vovó Dorinha, pessoa de partilha, de carinho, de amor no olhar e gesto,sabemos da recompensa pelo aprendizado que ela nos deixou.
    Talvez, Deus sentiu falta de sua presença no céu e a levou,mesmo porque, seu dever aqui na terra já deveria estar cumprido.
    Amor é gratuidade. E quem faz coisas por amor não espera recompensa, pois, ela já faz parte da doação.
    Abços.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Vivian,

    E realmente agir contra a vontade deixa a pessoa de cara amarrada, não tem jeito. Espontaneidade realmente é algo admirável. Adorei.


    Oi, Linda,
    Que bom que esse texto foi algo positivo de se ler. E adorei a descrição de algumas coisas que te fazem se interessar, especialmente o olhar nos olhos.
    Beijos,
    Talita.
    Talita.

    ResponderExcluir
  11. Oi, tio Nonô,
    Que recado mais lindo, obrigada. Vovó Dorinha realmente nos ensinou muito e foi um presente pra nós todos tê-la. E quem dera todos nós pudéssemos deixar nossas portas e janelas abertas e ter confiança em todos, não é?

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.