Feriado bom

4.6.10 Talita Cavalcante 4 Comentários

Ouço caminhões na auto estrada logo ao lado e por vezes confundo o som com algo dentro de casa. Tanto fazemos e tanto nos esforçamos e quantas vezes também não temos nossas ações confundidas? Isso é porque somos diferentes e temos ideias diferentes de tudo à nossa volta. Valorizamos mais umas coisas que outras, acreditamos mais nisso que naquilo. É igual e diferente pra todo mundo. Nós entendemos.

Que dia lindo foi ontem, feriado bom de ficar em casa, comer fora no almoço e cozinhar no jantar. Encontrar conhecidos por acaso e aumentar o número de pessoas na mesa. Jogar video game o dia inteiro a dois, quase a três já que Sofia gosta de atrapalhar participar, rs. O controle (não sei o nome correto, tá?) novo está pra chegar. Dia desses falo do nosso joguinho favorito do momento. Quem é que não adora video game? Me fala! E pensar que feriado de Corpus Christie existe desde o século XIII! No Brasil então, desde a catequização/ colonização. Que coisa! Qual será o mais antigo? Isso é coisa de postagem de curiosidades.

Pense na cena: eu, debaixo do edredon, na cama (tá um fio incrível hoje por aqui!), meu marido e minha filha brincando de pique pega pelo quarto. Sofia ri e grita ao pai "me solta, me solta". Repete ao pedido dele pra falar pra mim. "Me solta, me solta!". E eu sorrio. Volto a atenção pro computador e escrevo isso. Acho estranho pensar que o tempo presente, já passado, pode ser descrito, congelado e lido. Acho estranho, mas acho um estranho incrível. Tantos momentos e pensamentos congelados em livros de vários e vários séculos do passado! E eu adoro lê-los como que uma detetive, à procura de algo que nem mesmo sei o que é, mas quando encontro, sinto-me a mais privilegiada das leitoras.

"O silêncio é tal que nem o pensamento pensa." Isso não foi escrito há tanto tempo, mas pra mim é uma das minhas pequenas descobertas. Clarice Lispector morreu em 77. Mas acho que tudo que escreveu, escreveu pensando num esconderijo cheio de presentes a serem descobertos pelos leitores.

E o silêncio bateu no quarto. Quero ir atrás dos meus. Quem dera pudesse perguntar se querem vir brincar também. No mundinho virtual, meu pensamento já não quer pensar mais. Não agora. Deixa-me buscar o burburinho que tanto me faz bem.


4 comentários :

  1. Q lindinho, eu digo que tenho um blog para que meus filhos um dia saibam realmente quem sou e o que escreví pra eles também.....bjks...Gil

    ResponderExcluir
  2. Ah, que mulher profunda :)
    Lindo post .. Lindas cenas de uma família feliz.

    Um beijo,

    http://www.coisasdedeus.com/

    ResponderExcluir
  3. Adoro seu blog, adoro a pessoa linda que voce deve de ser, sua visão das coisas e da vida me encanta, bj.

    ResponderExcluir
  4. Gil,
    Comunicativa como acho que você é, acho que seus filhos já te conhecem e te admiram bastante. Mas o blog realmente é como um diário bonito pra se reler sempre.

    Jê,
    Obrigada!

    Oi, Armalu,
    Fiquei super feliz de ler seu recadinho. Obrigada mesmo! E que bom que consigo escrever coisas que te tocam.

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.