Tá procurando o quê?

Torna-te quem tu és

Ontem assisti à entrevista com a Sandy no Marília Gabriela Entrevista, do GNT. E aí que ao pedido da frase no final da entrevista, Sandy cita essa, que dá título à postagem, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche. Uma das várias frases famosas dele, 'Torna-te quem tu és' é maravilhosa, na minha opinião. Gostaria de ler Nietzsche, coisa que ainda não fiz. Conheço frases famosas dele, mas nunca o li. Sei que ele escrevia muito sobre a alma humana e que, contraditoriamente, viveu em depressão. É fácil imaginar o lado belo de sua escrita como uma tentativa própria de ser feliz, mas ao mesmo tempo é difícil imaginar alguém que escreve coisas lindas sendo infeliz. Por isso, à citação de Sandy ontem, fiquei mais curiosa ainda por ler algo na íntegra desse filósofo. Alguém me sugere?

E já que a frase me foi lembrada, deu vontade de escrever sobre o assunto. Esse assunto tão em voga para todos, o de sermos, descobrirmos, vivermos conforme nós mesmos. Isso nunca foi fácil pra ninguém em nenhuma época e hoje, acredito, continua complicado, talvez até mais, já que somos rodeados pela existência de muitos estilos, muitos pensadores, muitos preconceitos, muitos conceitos. Então, afinal, como nos descobrir e nos tornar nós mesmos em meio a tudo isso? E quanto às pressões à nossa volta? Faça isso, faça aquilo... sugestões que fogem à nossa vontade, às nossas necessidades? Quão difícil se torna, portanto, sermos quem somos!

Tela que me encanta - minha preferida das de Claude Monet, "nascer do sol", pintada em 1872. 
Um pouco mais sobre mim, já que tudo que gostamos revela um pouco da gente.

E aí que me lembro que o que estou fazendo agora, além de ser um ato corajoso, já que poucos se atrevem, é uma busca própria por mim mesma, por me afirmar diante do que sou, do que sigo, do que vivo. Falo de escrever. E claro que essa escrita não fica no campo do segredo, entrego-me às críticas, pois me atrevo a mostrar num blog coisas tão unicamente minhas que não há como não ter um retorno de quem lê. Esse retorno me é riquíssimo e também me ajuda no exercício do espelho. Olho-me por minhas linhas e por linhas analíticas de outros também. Que coisa grandiosa e abrangente não é então pra mim esse bloguito, meu querido 'dona perfeitinha'!

Eu que sou alguém assumidamente em busca eterna de crescimento interno, encontrei-me mais ainda em minhas exposições e tentativas dignas de auto análises por aqui. Meu blog me é o meio de dizer a quem quiser que sou falível. O nome dona perfeitinha é bem pejorativo, é sinônimo de críticas pelo meu jeito certinho que nem mesmo saberia abrir mão se algum dia qualquer um pudesse me coagir a respeito. Portanto, tornar-me quem sou já é algo que pratico até mesmo muito antes de ter meu livre arbítrio permitido. Mas hoje, por sorte, posso buscar mais de mim mesma sem ter que me esconder debaixo da mesa. Tanto que descobrir parte de mim guardada por um tempo me deu uma coragem incrível de me permitir mostrar-me mais. E aqui faço isso, por vezes de forma impressionante que alguns me perguntam "como consegue"? Eu apenas sei que sou feita de alegrias, belezas e algumas cicatrizes e quem me conhece poderá reconhecê-las todas em minhas linhas do dona perfeitinha, já quem não conhece, mesmo autores de algumas marcas minhas, não poderão achar qualquer significado, infelizmente, porque sinceramente queria mostrar que apesar de fatos, o que importa pra mim é o que acontece hoje e o que há de acontecer amanhã. Pra mim, presente e futuro mudam qualquer passado.

Você, por mais desanimada ou animada em ler sobre esses meus pensamentos, com toda certeza há de entender que essa busca minha não é solitária, não é? Somos e estamos todos em busca de nos aprofundar e nos conhecer mais e mais, de saber e preferir tudo aquilo que mais nos faz sorrir, priorizar as boas amizades, nos permitir sermos claros para não nos ver obrigados à mentira ou ao fracasso. E essa busca minha tenho me permitido aqui no blog em meus escritos desde sempre e assim pretendo continuar, pois já que existo e escrevo, nunca haverá um texto meu que nada tenha a ver comigo. Como sempre digo, minhas linhas por mais estranhas que sejam são sempre parte de mim e mesmo por mais ficção que sejam são sempre significativas pra mim.

Tornamo-nos quem somos a partir do momento em que nos deixamos transparecer. Em que não deixamos os medos dos "se´s" pessimistas dominarem nossas vidas. Eu, por exemplo, com respeito ao carinho de todos vocês e à atenção que dedicam em ler o que escrevo, permito-me isso tudo aqui no dona perfeitinha. Claro que não sou a clareza e a transparência total de mim mesma por aqui, já que sabemos o que é a internet, mas sou o máximo do que posso ser, com toda certeza, pois escrevo de coração, pensando em dividir, em repartir, em compartilhar casos, histórias e opiniões. E tenho a sorte de encontrar muitos de vocês fazendo o mesmo por essa blogosfera afora. Obrigada. Vamos então, todos, 'tornar-nos quem somos' por aqui também.

7 comentários:

Anastácia 15 de junho de 2010 09:16  

Oi querida Tatá...
Todas as pessoas deveriam mostrar-se como realmente são... Infelizmente, como você mesma disse, atualmente está cada dia mais dificil se comportar assim, seja porque nem sempre podemos expressar o q pensamos em sua totalidade, seja, pelo o q eu vejo e convivo diariamente no trabalho, devido a objetivos escusos, para conseguir as coisas.
É realmente desanimador, me faz perder a fé nas pessoas, mas não podemos nunca tomar isso como regra, como se fosse a maioria, pq existem pessoas maravilhosas, integras e verdadeiras. Q são o q são, sem receio do julgamento alheio.

Deusa 15 de junho de 2010 11:14  

Olá Talita!
Há 4 anos atrás propus-me a essa busca interior e tornar-me quem eu sou!Não tem sido facil, muitos tropeções pelo caminho e por vezes tropeções em nós mesmos, nas nossas emoções! Mas tem sido uma boa caminhada ... e hoje estou bem mais perto daquilo que quero ser!

Beijos
Ana Guedes

Linda Carmem Tessaro 15 de junho de 2010 14:42  

Oi Talita!
Gostei dessa frase, apesar de não gostar muito da maioria das ideias de Nietzsche (boa parte por causa da obra O Anticristo - Praga contra o Cristianismo), mas sugiro que leia a obra Ecce Homo, de como a gente se torna o que a gente é, é uma autobiografia que não li, mas deve comentar + profundamente sobre a frase que vc colocou.
Me fez lembrar aquela outra frase "Conhece-te a ti mesmo" que Sócrates encontrou na entrada do oráculo de Delfos...acredito que para nos tornarmos o que somos antes precisamos conhecer-nos intimamente, profundamente...trabalho árduo esse de uma vida toda! É o meu objetivo, sem dúvida e o intercâmbio com outras pessoas sendo pessoalmente ou virtualmente nos ajuda muito nisso, acho que o seu blog contribui muito para esta conquista de todos nós, pois nos faz refletir! Adoro isso!
Beijos e boa semana!

Marly 18 de junho de 2010 08:49  

Oi, Talita,
Pois é, Nietzsche é complexo, proferiu frases maravilhosas, que parecem carregadas de sabedoria e coragem, como a citada (que certamente merece reflexão, pois me parece que a maioria de nós não nos tornamos de fato quem somos). Por outro lado é de se questionar a razão de Nietzsche ter sido tão feroz e virulento contra o cristianismo já que o pai dele, a quem ele diz ter amado profundamente e que morreu quando ele era ainda um menininho - foi um pastor protestante. Há quem alegue que Nietzsche era homossexual e que residia aí a razão da aversão dele à doutrina cristã, que vê o homossexualismo como um desvio. Dizem que até Caetano Veloso menciona um tal de Peter Gast numa canção, que teria sido um caso/paixão de Nietzsche. Como se fosse pouco, Nietzsche era adepto do 'deus' ou mito Dionísio, que era o deus do vinho, da dança e das orgias. Nietzsche odiava a idéia do servilismo e da humildade cristãos. Ele achava que Jesus se equivocou ao pregar a humildade e o serviço. Para ele, o que faz um homem especial é a força e a vontade. Isso inspirou Hitler e outros na criação do nazismo, embora isso possa não ter sido a intenção de Nietzsche. Enfim, os livros dele devem ser lido com cuidado.
Beijinho e bom fim de semana

dona perfeitinha 21 de junho de 2010 12:56  

oi, gente,
Adorei os comentários, obrigada.

Oi, Marly,
Ele realmente era totalmente contra o cristianismo, né? Mas apesar disso, acho que escreveu coisas lindas. Acho que para lê-lo basta que tenhamos bom senso como tudo na vida, né? Tem gente que segue tudo, leva tudo pra própria vida e é preocupante realmente. Adorei seu comentário para nos pôr a par desse outro lado da leitura. Obrigada.

silthehostil 22 de julho de 2010 14:57  

Olha sinceramente quando eu vejo unns blogs com esse eu me deprimo. O nietzsche é considerado fundador do niilismo. Vc pensar que alguém que escreveu frases tão lindas pode ser depressivo isso que é deprimente pra quem conhece a obra dele. Essa tal de maly falar que hitler se inspirou na obra dele, o Ed wood se inspirou no orson welles e só fez lixo. Francamente, pesquisa na wikipedia antes de postar alguma coisa que vc ja nao vai falar tanta besteira.

dona perfeitinha 22 de julho de 2010 16:02  

Sinceramente... você é que poderia ter contribuido, em vez de querer denegrir a mim, ao que escrevo e ao meu blog. Deprimente é saber que há pessoas como você que zamzam em querer mostrar que sabem mais e nem mesmo assinam o nome. Aqui aceitamos críticas, sugestões, toques de amigos, mas a forma que escreveu está longe de ser algo admirável, ao contrário do meu texto que é sincero e no qual nunca disse ser uma entendedora profunda do autor. Se tu és, contribua, seja uma pessoa melhor e menos mesquinha. Porque pra mim, ficou que és alguém infeliz. Se quiser reescrever, fique à vontade e escolha um comentário mais informativo e colaborativo.

Obrigada por comentar!

Instagram
Twitter

Receba os posts

  © Obt. para dona perfeitinha.com - Todos os direitos do blog reservados - Copyright © 2013 - Veja nossa política de privacidade.

Para cima!