Um amontoado de diferenças

Pedrinhas, pedrinhas, que tanto incomodam meus passos,
Descubro a cada dia que são vocês um aprendizado.
Mas não as amo. Apenas as respeito, evitando ou suportando.
Mas falar delas, falar mal, não falarei. Não há o que falar...
Senão que algo em comum tem comigo.
Perseguem algo instintivo e trilham assim um mesmo caminho.
Porém, esse caminho é o mesmo por muito pouco tempo.
Que farei a reclamar?
Todos tem que seguir em frente.
Se elas me machucam um pouco,  não farei o mesmo.
Porque neste caso não sou o mesmo.
A diferença está clara em mim.
E essa não deixarei ser ferida ou 'enfeiada'.
Ela é bonita e me orgulho disso.
Meu amontoado de diferenças discutíveis pelos outros
Quase nunca questionadas a mim,
São puras, mesmo que com certa bagagem de mancadas.
E se me perguntassem...
Responderia.
Mas o fato é...
Nem todos acreditariam, pois em grande parte não há isso.
Se para muitos é impossível ser algo,
Também torna-se impossível acreditar sobre isso em alguém.
Uma pena.
Porém...
Consigo interpretar bem e calcular as curvas antes de muita gente.
Algo que sofri e sofro por saber.
Mas também algo que me acrescenta uma paz enorme por ter.
Como uma proteção, entende?




Um amontoado de diferenças Um amontoado de diferenças Reviewed by Talita Cavalcante on setembro 20, 2010 Rating: 5

4 comentários:

  1. Talita, muito bonito seu texto!
    Saber conviver com as diferenças é algo grandioso.
    Muitos sofrem com issso, principalmente, com as diferenças das outras pessoas. Temos por costume julgar. Ao olhar para uma pessoa institivamente julgamos: o modo de falar, de vestir, despojado ou não, a bolsa, o sapato, a côr do esmalte, enfim, precisamos mesmo aprender a conviver com "ela".

    Mas, como vc bem disse, é muito importante se antecipar,(conhecer as curvas antes que se apresentem), isto já é muito positivo e vitorioso.
    Melhor ainda é saber conviver com nossas próprias diferenças, pois, não podemos querer no outro a perfeição que não existe em nós, não é mesmo?
    Muita saude e paz!

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante seu texto, pois na maioria das vezes o que nos incomoda é justamente aquilo que não resolvemos, por isso as diferenças existem para refletir no que precisamos evoluir.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  3. talita, sumi mas voltei! rsrsrs
    " A diferença está clara em mim" adorei isto! Em mim tb! rsrsrsrs!Que beleza hein? Ser diferente é muito bom, apesar de trazer um sofrimento de vez enquando... Mudando de assunto, estou cheia de novidades para te contar, dia desses te mando um e-mail. Estou morando em BH agora, pertinho de onde você morava aqui. Beijão Ana Paula Castro

    ResponderExcluir
  4. Oi, tio (olha eu quase revelando sua identidade aqui - ainda não sei se posso, rs)
    Todos nós temos mesmo que fazer um exercício diário para entender o que nos aborrece. A causa pode estar em nós mesmos. Tem gente, porém que sai a julgar e culpar outros. É bem triste, já que o mundo só é tão interessante pelo fato de sermos todos diferentes.

    Oi, Adelaide,
    E há tanto para evoluir, né? Aprendizados nos rodeiam, desde que estejamos dispostos a entendê-los.

    Oi, Ana Paula,
    Vou esperar seu e-mail então. Já gostei de saber dessas novidades porque há tempos mesmo eu não ouvia de você. E senti um tom feliz que me agradou.

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.

""Obrigada por visitar e compartilhar! Inscreva-se no YouTube!""

Tecnologia do Blogger.