A nossa ortografia sofre, coitada!

2.9.10 dona perfeitinha 6 Comentários


Queria hoje expressar meu descontento com a última reforma ortográfica. Sempre falamos em 'última' porque parece que nunca vão parar com essa palha****. Não somos todos fantoches, mas se existem muitos, que o país os ajude a crescer, estimule-os a se esforçarem nos estudos, a terem uma profissão. Que melhorem a educação! Que se espelhem em bons exemplos de países de primeiro mundo. Mas ao contrário, o Brasil quer "facilitar" pra quem não merece, quer passar a mão na cabeça, quer influenciar a malandragem até nisso, tornando tudo mais simples, mas também talvez sem contexto. O Brasil que ser 'diferente', mas o custo é que esse diferente não é tão bem aceito e sofremos nós cidadãos que com toda razão praticamente só levantamos a bandeira do nosso país em tempos de futebol. E a língua num texto sem contexto e sem história verídica não tem tanta graça, não tem muita riqueza. Para mim, essa última reforma ortográfica destrói nossa história de alfabetização e aprendizagem que nós das gerações anteriores tivemos. O pior é que nem mesmo sabemos se essas novas regras de escrita durarão muito. Ainda não são cobradas na escola e vai que Portugal consiga fazer com que o Brasil volte atrás? Porque, no meu entender, eles podem, já que nossa língua vem de lá e acho que alguns pontos dessa reforma vão contra qualquer lógica do português original. Aí ficará um tal de mandar, desmandar e sair prejudicando a nós cidadãos que apesar de morarmos numa nação independente, estamos nos tornando cada dia mais inseguros. Já não escrevemos um texto com a segurança que tínhamos. Deveras nem mesmo o pronunciamos mais com a antiga habilidade. Tiraram o acento agudo do verbo pára e, para mim, ficou tudo sem lógica. O verbo passou a se parecer com a preposição. E se eu quiser dizê-lo no imperativo? Para. Cadê a emoção? Mas quanto ao verbo pôr, eles foram mais bonzinhos e permitiram que continuassem acentuado. Que preconceito explícito! Que confusão! Coitado do pára que virou para como a totalmente diferente preposição para. 'Pára com isso, Brasil!' virou 'Para com isso, Brasil!'. Queria saber onde querem chegar com as confusões e inseguranças que impõem à gente não só nas ruas, nas eleições, mas também em nossos textos pessoais. Eu até tento escrever com as novas regras de ortografia, mas meu coração chora quando acontece. Fico imaginando como ensinarei minha filha sobre elas? A lógica já está perdida. A justificativa pra isso, porém, qual seria? Por que fizeram isso, afinal? Eles não contaram pra gente, contaram?


6 comentários :

  1. Nossa vc escreve super bem, concordo com tudo q vc disse, depois q nos acostumamos com a escrita, vem um povo gaiato e quer mudar o aprendizado de uma vida inteira, e facilitar a vida dessa geração, q mal sabe falar, imagina escrever.beijo.

    ResponderExcluir
  2. E o pior mesmo é que as pessoas sequer se acostumaram ainda... O que eu vejo de "anciedade" e "esisto" na net, não é mole!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ainda que as reformas na língua portuguesa aconteçam a partir de 1911, não foi abrangente (restringiu-se a Portugal!) e o Brasil só teve sua primeira mudança na convenção ortográfica em 1945. Em 1971, a lei 5765 regulamenta algumas mudanças. Enfim, As mudanças ortográficas foram muito poucas e não acontecem sempre, não.

    ResponderExcluir
  4. Eu tampouco gostei da reforma.
    Tenho procurado me adaptar, mas muitas vezes fico em dúvida e com raiva de não poder usar mais alguns acentos, hífens, trema...
    Poxa, levamos tempo e nos esforçamos para aprender a escrever bem... e agora não sabemos mais escrever!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi gostaria que conhecesse o meu blog de textos pessoais e recomendo um blog de memoria, ficção e cultura
    http://wladirdupont.blogspot.com

    obrigado desde já.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Fafá,
    E esse aprendizado de uma vida inteira acaba não valendo muito depois de reformas como essa última, né?

    Oi, Dani,
    Erros de ortografia desse tipo acho também que são piores que as de acentuação, rs, mas todos nós erramos, mas que bom que aprendemos também, né?

    Oi, comentário anônimo,
    Eu não disse que eram muitas as reformas, quis dizer que sempre que há uma, fala-se numa próxima. Apenas quis mostrar como reformas desse tipo trazem grande insatisfação e transtornos aos brasileiros. Você não acha?


    Oi, Liège,
    E a gente fica mesmo insatisfeito. Quando vamos sentir segurança, afinal?

    Oi, Sindro,
    Tô indo conhecer.

    Talita.

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com