Finalmente

29.12.10 dona perfeitinha 5 Comentários

Chegou o dia. Corri loucamente, com a alma desnudada. Quem olhasse veria, saberia de cara, tamanha transparência em meu olhar. Mas onde eu estava ninguém ia. Era descabido estar ali. O que eu fazia? O que pensava? Mas minha vontade superou qualquer medo, qualquer sensatez. Eu tinha que estar ali àquela exata hora. E cheguei a tempo de ver o que precisava. Nada mais poderia me incomodar, portanto. Estava certa do que aconteceria. Meu coração pulsava tão forte que por segundos não via nada além do que queria. Foi quando me detive pelo tempo suficiente de ser surpreendida e não surpreender. Os papéis foram trocados e pude sentir o que sempre quis saber como era. Finalmente.


5 comentários :

  1. Rs... acho que estava sentindo falta de descrever flashes importantes da minha vida assim mesmo, sem revelar muito. Desculpem-me, mas é tudo que tenho, afinal é só um escrito, né?

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  2. Ah sim...eu também tenho essas vontades de escrever sobre sentimentos, lembranças, sem falar muito.....mas ainda fico só na vontade rs. * *
    Beijos e feliz ano novo!* *
    *

    ResponderExcluir
  3. Sim, estou gostando muuuito. Mas como muitos não entendi esse post. No problem, conheço essa sensação de não ser entendida. Quando escrevo no meu blog ( http://porquecontinuamoscasadas.blogspot ), também deixo as pessoas a verem navios com as minhas lacunas. Parabéns!

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com