Que dor, que desespero, que tipo de gente faz isso?

7.4.11 dona perfeitinha 4 Comentários

Eu acho que não conseguirei escrever. Nem mesmo a fala me ajuda hoje. Acordei com o anúncio da trajédia do massacre na escola do Rio televisado. O que era? Tão perto! Quantos pais, quantos irmãos, quantos amigos sofrem sem limite. Quem era esse idiota? Quantos idiotas desses ainda existem nesse mundo? Em nosso país? E diante a tanta dor, mesmo nós, longe, choramos sem fim pelas vidas dessas crianças queridas que se foram com medo no olhar. Isso não se faz. A cada dia alguém se acha no direito de matar, de gerar medo, de violentar corpos, almas e corações. Estamos todos sendo violentados demais, por vários tipos de massacre. Mas esse, inacreditável... esse é uma afronta à esperança.

Mas eis que a força de uma criança diante de seu desespero pela vida, consegue avisar um herói que preparado e determinado, evita a dor macabra de mais crianças e suas famílias. Mas o idiota estúpido assassino se mata e como tantos outros idiotas caçoa da vida de quem era feliz. Para esses tipos, a felicidade do outro é sua violência. Isso é ridículo e imagino que todos nós estejamos consternados. O perfil de todos esses tipos idiotas parece um só e desse quero ficar longe. E quero que todos consigam ficar também.

Quremos um mundo sem armas, queremos um mundo sem loucos, queremos um mundo sem traumas, sem injustiças, sem dor. Queria saber como é possível sobrevivermos ao mundo em que vivemos, pois afinal, ele está longe de ser o que queremos.

Sinto muito, sinto tanto!

Estou de férias do blog, mas não podia deixar de vir e registrar essa ranhura no meio das nossas vidas, de todos nós. Essa tristeza continuará eterna, infelizmente, para várias famílias. Meus pêsames. Sinto tanto!

4 comentários :

  1. Uma tragédia terrível. Que Deus lhes dê forças para suportarem tamanha dor...
    Naná

    ResponderExcluir
  2. Oi Talita... tb estou sem palavras.. sabe o que é pior? É que parece que para toda pessoa que comete um crime deste existe uma justificativa: doença mental. Como se isso justificasse o crime. Agora, ninguém comenta sobre as crianças mortas, que nada tinham a ver com tudo isso.
    Para mim, a doença está no coração.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Talita, li esta manha e fiquei estarrecida com tamanha atrocidade.

    Um abraco

    ResponderExcluir
  4. Nunca tinha reparado nisso, muito bom, obrigada!

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com