O mundo é todo lindo, mágico, perfeito... urgh! Quem inventou o mundo da fantasia? É pra lá que eu quero ir.

26.8.11 dona perfeitinha 8 Comentários

Eu queria escrever sobre um assunto lindo hoje, mas os feios estão competindo seriamente com o outro. Pra todos os lados que olho, vejo maldade. MALDADE. Medo. MEDO. Vejo sorrisos, mas não vejo além deles. Queria meus olhinhos infantis de novo. Ah! Eles não se perdem na história, apenas aprendem a se defender. E nessa defesa, veem mais do que nossa consciência gostaria de saber.

Se eu pudesse escolher, veria apenas as roupas bonitas, o formato do sorriso e as palavras educadas das pessoas. Nunca que se eu pudesse escolher, veria que aquela roupa é resultado de endividamento e inveja, que aquele sorriso é mecânico e que aquelas palavras nada significam. Aí eu não julgaria, ficaria quietinha com minha paz interior. Mas essa, tadinha, tem sido vítima dos questionamentos dos meus olhinhos que veem que alguma coisa nesse mundo tá errado porque a placa do céu é pra cá e a maioria está indo pra lá. Eu, tadinha de mim, entro na dança da miragem também. Por vezes acho que estou seguindo na estrada, mas por outras vejo que estou na linha do limite. Esse tal capitalismo e seus desejos que não são finitos, estão deixando as pessoas piradas. Uma quer a bolsa mais cara, a outra só se contenta com jóias e marcas ditadas. No final das contas a riqueza tem mesmo empobrecido as pessoas, meus olhinhos capitaram.

Não é de hoje que o consumo exagerado afeta a vida particular de alguns. Quando criança, ficava boba de ver o resultado da beleza comprada. Lágrimas, desespero, mendicância. Os bem de vida não mendigam? Não pensem isso. Mendigam tudo, principalmente atenção, dinheiro também, mas que coisa! Os que se dão mal, já se veem treinados pro ataque em afetar os olhinhos dos outros em prol de si e si só. São humanos na alma, sofrem, sabem do certo e do errado, mas há tempos perderam a humanidade que o desumano desejo da matéria e do dinheiro e da inveja destroem. Uma pena. Quando adulta, já vi tanta coisa nesse nível também que criei certo desprezo, não teve jeito. Meus olhinhos veem além e já fico mal com as histórias que alguns carregam. Não é muito diferente de quando vejo uma criança suja nas ruas, pois sinto dó para os dois tipos de caso. Assim como sinto vergonha. No caso da criança suja, sinto vergonha por achar que a criança sente fome e que talvez o valor do relógio que eu uso desse pra alimentá-la por um mês. No caso de uma pessoa que consome demais e vive de aparências, sinto vergonha por saber que ela poderá estar a todo momento me analisando em busca de 'defeitos'. Sinto dó dela, não de mim, que fique claro, rs. Mesmo sabendo que a pessoa vai achar defeitos aos montes na minha forma de vestir ou de andar e falar, sinto dó de quem está em busca disso pra se auto-afirmar. Muito dó, muito dó mesmo. São sentimentos iguais no final das contas.

Mas ultimamente, com tantos casos tristes por aí, tenho visto o outro lado da história da criança suja. Minha consciência não queria que meus olhinhos dessem conta de 'ler', mas eles 'leem' assim mesmo. A criança está drogada e aí já não se pode dizer se ela tem ou não tem almoço todo dia. A droga hoje está em todos os tipos de lares. E a criança que meus olhinhos veem tem feito maldades por aí, mas não pode ser enquadrada, educada pelo governo, nem mesmo levar umas palmadas dos pais. A gente continua sentindo dó, mas agora não pelo presente, mas pelo passado que não se muda, pelo que tornou aquela criança assim. E aí os olhinhos adultos questionadores nos levam a pensar no futuro, criticam quem o está alimentando daquela maneira para aquela criança. Tem gente dando gorgeta pro crack.  E também nossos olhos passam a julgar o país com suas leis ridículas que nada fazem em defesa da sociedade contra crianças com suas histórias que as fizeram mais más que vários adultos enquadrados por aí. No final das contas, leis são hipócritas. Não distinguem apenas o errado do certo, fazem diferença entre pobres e ricos, entre pessoas de 11 e 12 anos. Leis não tinham que ser politicamente corretas, afinal, todo mundo já sabe que o politicamente correto é hipócrita. Tinham que servir pros atos e não pra QUEM os praticou.

O mundo pirou. Alguns tem mais direitos que outros mesmo tendo feito menos por merecer. E assim o mundo está. Todo mundo desejando mais pra si e menos pro irmão. Alguns desejam roupas, outros drogas. Uns se irritam criticando a vida do vizinho, outros discutem por um simples esbarrão de carros. Nesse momento tem filho ofendendo pais e tem pais ofendendo filho. Tem dinheiro ou droga por trás. Tem gente dono de meia cidade ofendendo o lixeiro que trabalha pra deixá-la mais limpa. E tem também vagabundo que não quer trabalhar destruindo a felicidade de seus filhos ainda crianças. Tem também mães trabalhadoras e sofredoras sem tempo pra educar os filhos que acabam perdidos no mundo das drogas. Tem de tudo. Esse mundo não é fácil e não é um mundo mágico em que se vive encastelado. Tem vários lados em que as crianças e adultos podem se perder, porque o vício é um só, seja ele em dinheiro, seja ele em droga, seja ele em trabalho, seja ele em sexo, qualquer que seja ele. Todos eles te limitam a felicidade, te limitam a alma, te limitam a companhia da família, te limitam a sua chance de saber quem você é de verdade e o que realmente te faz feliz.

Desculpe-me, sinceramente, por te fazer ler isso. Isso incomoda e eu queria mesmo é ter escrito sobre flores, mas como nosso mundo não é mesmo o mundo mágico da fantasia, nem feliz a todo instante, por vezes me obrigo a desabafar sobre seu lado feio. Assim me lembro que existe refúgio e me dou o prazer dele mais vezes. É onde me encontro agora, feliz que só se vendo, rs. Coloquei meus óculos escuros e resolvi fechar meus olhinhos pras coisas tristes que os cansam. Todos merecem descanso, até mesmo eles.


8 comentários :

  1. Luísa Trindade Mesquita26 de agosto de 2011 10:31

    Oi Talita!

    Infelizmente este é o mundo em que estamos vivendo. O que mais me assusta é saber que muitas pessoas não se importam...não querem ver!

    Bjos.

    ResponderExcluir
  2. Oi Talita
    Eu adorei o seu Blog!


    Estou te seguindo!

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá, Talita!..
    Eu adorei seu blog viu...estou te seguindo!E quanto ao seu post...infelizmente,somos obrigados a conviver com tudo isso...Lamentavel!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. É realmente frustrante! Se não formos egoístas o suficiente pra nos preocuparmos com o que vai além do nosso próprio umbigo, vemos esse mundo feio lá fora... E é triste sim!
    E está mais do que certa você em colocar pra fora! Não faz mal algum em compartilhar com a gente, pelo contrário ;)

    beijos

    ResponderExcluir
  5. @Luísa Trindade Mesquita
    Oi, Luísa...
    E é mesmo, mas ainda bem que temos como nos indignar, pois assim, depois vem um grande alívio por não nos incluirmos nesse meio triste. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. @Ezra Reder...
    Oi, Ezra,
    Vivemos em meios muito tristes, mas temos que saber lidar com nossos medos e assim, quem sabe, crescermos sem nos anularmos. Obrigada pelo recadinho. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. @Nana Chiarinelli

    Oi, Nana, obrigada... eu sou terrível em colocar pra fora... não me aguento e escrevo sobre quase tudo que me incomoda, rs. Ainda bem que acho quem me incentiva. Beijos.

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com