Curiosidades na alimentação das crianças

2.9.11 dona perfeitinha 6 Comentários

1 - Há estudos que indicam que nosso cérebro só vai aceitar como gostoso algum alimento novo, depois de compreendê-lo como familiar, acolhedor, ou seja, quase nunca isso acontece da primeira vez que experimentamos algo. Os estudos indicam que isso só acontece normalmente depois de experimentar o novo alimento por sete vezes!!!

E isso é bem provável de ser verdade. Falo como mãe de uma criança de 4 anos que não gosta de experimentar quase nada de novo. Mas aí bate a fome e come. Mesmo assim percebo que ela continua dizendo não gostar desse ou daquele alimento que já experimentou algumas poucas vezes. O tempo passa e por vezes ela passa a gostar do alimento, do nada! Foi assim com pizza, imaginem vocês! Antes só comia a borda, hoje já come a pizza de verdade, mas até dizer que gostava, demorou um pouquinho, rs. Com algumas frutas aconteceu o mesmo. Seu paladar demorou a se 'acostumar' e então perceber que o alimento era bom.

2 - As recepções gustativas dos sabores ácidos e amargos são ainda mais intensos e potencializados do que quando o paladar já é adulto. Sabe por que? 

É uma proteção natural do ser humano à comidas estragadas, afinal, quando criança ainda não sabemos identificar se um alimento está bom apenas por olhar e tocá-lo. Portanto se você fica chateado por seu filho não gostar de verduras tipo rúcula e agrião, não fique! Pra eles essas verduras são ainda mais amargas do que pra gente que já é adulto e é difícil mesmo gostar de algo assim. Com o tempo e com o paladar menos 'protetivo' (o paladar está mais maduro aos 11 anos) pode ser que ela passe a gostar.

3 - Criança, a princípio, come qualquer coisa (até o que não se pode comer como areia... se deixar, come!), então é preciso apresentá-la aos bons alimentos e deixá-la desenvolver por si só sua alimentação. 

Por vezes eu ficava muito chateada em deixar Sofia ainda pequenina colocar as mãozinhas no alimento, batê-lo na mesa, enfim, eu só pensava na bagunça que eu teria que arrumar depois, mas aí compreendi que é parte da história de todo mundo e que se eu não tornasse lúdica a hora das refeições, dificilmente ela comeria feliz os alimentos que eu precisava apresentá-la e ensiná-la que são importantes pra saúde. Distrair a criança para empurrar o alimento boca a dentro não é algo legal, pois não a estaríamos ensinando a se alimentar corretamente. Dessa forma, no futuro, ela se rebelaria em todos os momentos de refeição.


Alimentar nossos pequenos é tão difícil, né? Eu sempre estive ao lado e confesso que já perdi várias vezes a paciência. Queria eu conseguir usar todo o conhecimento e a lógica em todos os momentos, mas tem hora que é difícil, por isso gosto de respirar fundo e me lembrar sempre... "Talita... você é a mamãe, você consegue", rs. A gente aprende muito com os filhos, não acha?


6 comentários :

  1. É isso mesmo Talita, concordo com tudo que vc escreveu, acho tanta responsabilidade alimentar uma cça. Minha filha na verdade, experimenta e come quase de tudo, só que bem pouquinho( mas bem pouquinho mesmo)só fico mais tranquila porque ela come muita fruta, então seguimos na luta nas horas das refeições. Beijo enorme e um lindo final de semana para vc, ANdrea e Maki.

    ResponderExcluir
  2. Nossa Talita! ótima postagem! Alimentar esse pequenos é muito dificil, meu filho passa por fases de cores dos alimentos é muito interessante.
    Adoro o seu blog! Parabéns

    ResponderExcluir
  3. Talita ,hje seu site foi mencionado no estado de Minas ,vc sabia ??? eu fiquei super feliz .Parabéns ..
    foi no post qeu esnsinou a plantar manjericao .
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. @Cath
    Oi, Cath,
    É difícil mesmo, né? A minha ainda não passou pela fase de alimentos só de uma cor, mas se tivesse rosa, com certeza ela passaria, rs. Adorei seu recadinho, obrigada. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. @Andrea e Maki
    Oi, Andrea,
    A gente se preocupa demais e não tem jeito de ser diferente, afinal, crianças precisam de nossa orientação e proteção na medida, né? Também a minha filha adora frutas e realmente é um grande alívio pra mim também quando ela resolve comer pouquinho no almoço. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. @Andrea
    Oi, Andrea,
    Obrigada por comentar. Eu vi sim ontem no Estado de Minas (uma amiga de Manhuaçú foi quem me alertou ontem) já até fiz postagem hoje publicando a reportagem. Obrigada pelo carinho e pelo recadinho, pena que eu não o li ontem.
    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com