Sobre furar orelha: "Quero colocar brincos, mamãe!"

16.9.11 dona perfeitinha 25 Comentários

 

Quando tive minha filha e decidi não furar suas orelhinhas, muitas pessoas me questionaram sobre o porquê. Algumas até tentaram me convencer de que minha escolha estava equivocada. Não me importava em responder sobre os motivos que me fizeram escolher não furar as orelhinhas da minha filha quando bebê, mas ficava super chateada com aquelas pessoas que não respeitavam a minha escolha, faziam cara feia, diziam coisas do tipo "vão confundir sua filha com menino" ou "depois ela não vai gostar de brincos" ou ainda "você vai se arrepender, dói muito mais quando ela for maiorzinha". 

Mas uma coisa é certa: eu tenho minhas próprias convicções, assim como outras pessoas tem as delas. Respeito quem acha que menina tem que sair da maternidade com brinquinhos. É lindo mesmo, mas pessoalmente tenho ponderações diferentes.

Sobre minha decisão de não furar as orelhinhas da minha filha quando ela nasceu:

1 - Sem essa de que dói menos quando se é bebê. A dor é a mesma, é furo do mesmo jeito. É claro que há bebês que não choram, apenas se assustam. Da mesma forma crianças. Mas a grande maioria chora porque dói e dói igual. Tem gente que fala isso, mas esquece-se que a criança sabe falar da dor e o bebê não. Ele, coitadinho, está começando a aprender sobre a vida, sobre as dores do corpo. E aí vem a decisão particular de cada pai e mãe. Eu e meu marido optamos por não furar as orelhinhas dela quando bebê por várias razões que nos são importantes e quem opta por furar tem suas razões também. Ninguém está mais certo que o outro.

2 - Um bebê acabou de nascer e já vai conhecer várias formas de dor: tem as vacinas, tem o teste do pezinho e também da orelhinha em alguns casos. Tem também o sofrimento da fome e dos banhos que no início são terríveis e eles demoram pra se acostumar com a vida do lado de fora da barriga. Isso tudo pesou na decisão minha e do meu marido em não furar as orelhinhas de Sofia quando ela nasceu. Não somos nem um pouco ligados a tradições e muito menos preocupados se alguém vai confundir nossa filha com menino por falta de brincos, imagina! Todos os bebês são confundidos, mesmo meninos por meninas, é incrível, acontece com todos.

3 - E uma outra questão que diz respeito também ao que acreditamos é que gostar de brincos é algo que não depende só de usá-los desde pequena. É da personalidade da criança ou do adulto. Mas hoje em dia é uma coisa quase natural gostar deles, já que estão por todas as orelhas, até de meninos! Pessoalmente eu, Talita, não sou muito fã de brincos. Quase não uso, apesar de já ter gostado demais de usá-los no passado. Hoje em dia me sinto estranha com eles, rs. Uso mais em eventos ou quando descubro na caixa de bijus algum brinquinho querido de antigamente e dá saudade de pendurá-los nas orelhas.

4 - Sou vaidosa e não gosto muito de brincos (em mim), mas acredito que minha filha e, se eu tiver mais, minhas filhas, vão gostar deles se estes estiverem de acordo com a personalidade delas. Eu e meu marido sempre dissemos pra nossa filha: "Quando você quiser furar suas orelhinhas pra colocar nelas brincos bem lindos, é só pedir que a gente vai na farmácia furar". E neste último final de semana.... ela quis furar!

Foi bem assim...

_ Mamãe! Eu quero furar minha orelhinha hoje pra colocar brinco, você me leva?

E aí foi aquela expectativa toda, perguntei se ela tinha certeza, chamei meu marido e Sofia pediu pra ele também. Conversamos com ela sobre a dor do furinho e que ia doer duas vezes, mas que ela tinha que ser forte pra furar a segunda orelhinha em seguida. E assim fomos atrás da farmácia. Teve um contratempo que nos fez ter que voltar pra casa (da vovó, pois estávamos na nossa cidade natal) e esperar algumas horas antes de ir pra farmácia de novo. Sofia continuava decidida, rs. Escolheu os brinquinhos (de corações) e sentou-se no colo do papai. Eu filmava quando a moça furou a primeira orelhinha. Ela levou um susto com o barulho, ficou uns 3 segundos imóvel e abriu a boca pra chorar... Depois de carinhos recebidos e estímulos de coragem, virou de lado no colo do papai e falou que já podia furar a outra orelhinha. Entrou no carro chorando, mas a dor passou em menos de 5 minutos.

Sofia está super orgulhosa dos brinquinhos, mostra pra todo mundo e não reclamou nem um pouco de ter de dormir com eles, mas já está implorando pra comprarmos mais um diferente pra ela poder trocar, mas já explicamos que vai demorar um pouquinho até as orelhinhas cicatrizarem.

Olha que lindinho o brinquinho dela:

Cuidados ao furar a orelhinha do seu filho:

- Fure com brincos de aço cirúrgico e com alguém experiente, verificando a abertura da agulha descartável. Jogue um anti-séptico todos os dias e dê uma volta completa nos brinquinhos (pra eles não grudarem na pele que está cicatrizando. Faça isso por 30 dias e então já pode trocar de brinquinhos. Só isso e vai ficar tudo bem. Se inflamar, procure imediatamente um médico.

Um alerta: Nunca fure a orelha onde não é vascularizado, pois é muito, muito perigoso (fure apenas no lóbulo).







25 comentários :

  1. Interessante que nunca tinha pensado nisso e concordo com suas idéias sobre não furar a orelhinha ainda bebê.

    A orelha da Sofia ficou uma graça!

    ResponderExcluir
  2. Talita
    Voce fez muito bem Lá em casa nós todas colocamos já adultas.
    Mamae escutou histórias de oreljas rasgadas.
    Hoje ela quer furar novamente porque as orelhas dela fechou.
    e não se encontra brincos de antigamente.
    Mas ainda não fomos!
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  3. Ola Talita é o meu primeiro comentario do blog. Leio ele direto quando posso e gosto muito!!! Também tenho um blog (http://vrgdl.blogspot.com/) e espero que um dia possa ficar craque em blogar como vc :) Eu furei a orelhinha da minha filhota que hj está com 1 aninho e a experiencia n foi nada boa. Vou contar aqui pra q outras possam evitar fazer o q eu fiz. Logo q minha filha nasceu o pediatra recomendou q n furassemos a orelhinha logo pq ela tinha tido uma complicacaozinha no parto (coisa de 1 mes). Claro q fizemos isso. Passado 1 mes eu doida pra deixar minha bonequinha linda com aderecos (sonho era ter uma menina, ja tenho um garoto de 9 anos) fui atras de alguem pra furar (nos hospitais de Brasilia eles n estao furando mais n, antes a bb ja saia de brinco). Nao queria furar na farmacia e me indicaram uma enfermeira pra furar na mao. Minha filhota ganhou 2 brinquinhos de ouro lindos qdo nasceu, entao eu doida pra estrear liguei e marquei com a enfermeira. Bom, resumindo ela furou uma orelha legal, mas na outra errou a marca e furou mais pra cima e eu meio perfeccionista falei pra furar um pouco mais pra baixo pq n tava legal. Ela farou errado de novo, mas paciencia, n deixei mais n. Mas aquilo ficou me incomodando de um forma q n podia olhar para a orelha do furo errado kkkkkkk. Fiz todos os procedimentos q vc falou depois do furo e entao qdo ja tinha 1 mes furado tirei o brinco e deixei o buraquinho sumir. Fui a farmacia e mandei furar de novo, a pessoa fez a marca, mas furou no lugar q a enfermeira tinha furado. Pensa em cmo eu fiquei. Voce deve ta me odiando agora ne!!! kkkkkk Mas sao coisas q a gente faz pensando na gente, eu realmente pensei q melhor era furar qdo bb pq depois de grande nem iria lembrar da dor. Mas a gente aprende e n faz mas, pelo menos os inteligentes. Entao agora minha filha esta com um furo torto por causa da minha pressa e qdo ela crescer vai decidir se fica assim ou fura mais em baixo. A licao foi aprendida (infelizmente com o sofrimento da minha filhota) e espero q possa ajudar alguma mamae desesperada em "emperequetar"a filhota.

    ResponderExcluir
  4. A proposito ficou lindo demais a orelhinha da Sofia!!!

    ResponderExcluir
  5. Felizmente tenho dois meninos e não precisei passar por isso, eles não usam brincos mas só de pensar no assunto quando estava grávida me dava uma aflição...
    Dizem que quando criança a cartilagem da orelha é mais "molinha" e dói menos, mas vai saber, bebê não sabe falar e se choram deve doer sim... Será que não dá para passar um anestésico??? Um abraço Fabi

    ResponderExcluir
  6. Oi Talita adoro esse esse seu jeitinho meigo de ser.
    E furei a orelha da Yasmim qd ela nasceu e graças a Deus nao tive nenhum problema.
    Ficou lindo o furinho da Sofia.
    Bjs e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  7. @Sheila
    Sempre quis escrever sobre isso aqui, e realmente a melhor hora foi agora com o furinho da orelha em Sofia, beijos, Sheila...

    ResponderExcluir
  8. @Mônica
    Oi, Mônica,
    Realmente não se encontram brincos como os de antigamente, mas sua mãe deve ter guardado uns lindos, com certeza vai ficar mais linda com eles. Beijos e saudades, Talita.

    ResponderExcluir
  9. @VIVIANE DELANI
    Nossa, Viviane... o que posso dizer é que você foi muito corajosa mesmo... eu também fiquei preocupada do furinho sair torto, mas já me preparei para vê-lo bonito da forma que fosse... mas a moça primeiro marcou com canetinha e funcionou... sua filha vai crescer e a diferença vai sumir, vai ver.

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  10. @VIVIANE DELANI

    Ah, e obrigada pelo depoimento, acho que vai ajudar muitas mamães sim. Afinal, vaidade nossa não deve mesmo ser imposta ao filho. Todas nós mamães vamos aprendendo isso aos poucos. Tem vezes que também dou minhas mancadas desse tipo.

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  11. @fabi

    Oi, Fabi... dois meninos, que legal. Não passou por isso, mas deve ter outras experiências diferentes pra contar também... quero se mãe de menino também, vamos ver!

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  12. @Cris
    Oi, Cris,
    Obrigada! Minha mãe também furou minhas orelhinhas ainda na maternidade e também deu super certo, graças a Deus. São apenas escolhas que devem seguir nossas ponderações próprias, né? Obrigada pelo recadinho, adorei.

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  13. minha filha também só furou as orelhas quando quis com 05 anos! mas creio q quem mais sofreu foi eu
    ela foi super corajosa! e até hoje com 24 anos ama brincos! um abraço adoro seu blog!

    ResponderExcluir
  14. Ahh q fofa Talita! Parabens pra sua filinha pera coragem dela! linda! bjkx e bom fim de semana pra vcs!

    ResponderExcluir
  15. tá certinha Talita, minha mãe não furou minha orelha qdo eu era pequena e sabe quando me deu vontade de usar brinco? depois dos quarenta, ai fui na farmacia, de livre e expontânea vontade e furei.
    tenho birra de certas "tradições" sem eira nem beira. e como já diz a sabedoria popular "pimenta na boca dos outros e refresco" né?

    ResponderExcluir
  16. Concordo plenamente com você em relação a furar as orelhinhas de um bebe... Quando estava grávida minha sogra delirava que a netinha dela já ia sair da maternidade com brincos... NUNCA!!!!!!

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  17. Acho que vc fez bem, por que fez algo que te deu paz e , agora a princesa esta feliz da vida e aprendeu a decidir!!! bjm

    ResponderExcluir
  18. Concordo plenamente consigo... até porque se depois de furar as orelhas a um bebé ganha infecção, ele ganhando infecção e aquilo lhe doendo ele não sabe explicar onde lhe dói...
    Tenho uma filha de 10 meses, não tem as orelhas furadas e também só lhas pretendo furar quando ela pedir, se pedir.
    Não são uns brincos que tornam uma menina mais menina!

    ResponderExcluir
  19. Minha mãe pensou do mesmo jeito. Eu só furei as orelhas com cinco anos, por iniciativa minha. Também só fui batizada aos 9, depois que escolhi minha própria madrinha e resolvi ser católica. Converti-me ao protestantismo, casei, descasei, escolhi minha profissão, mudei de Estado e ela sempre apoiou minhas decisões, quaisquer que fossem. Tenho muito respeito por ela ter sido assim e agradeço muito a ela pq me respeitou e entendeu, desde sempre, que não sou parte dela mas um indivíduo distinto. Com gostos e vontades diferentes. Parabéns.

    ResponderExcluir
  20. Nossa achei que era só eu que pensava assim,pois recebi varios comentarios sobre não ter furado as orelhas da minha filha quando bebe(porque não furar não dói nada e é tão bonitinho...)mas meu marido e eu não quisemos,deixamos para quando ela pedisse, e escolher seu primeiro brinquinho.Quando ela estava com tres anos ela me pediu para colocar seu sonhado brinco.

    ResponderExcluir
  21. Eu não tenho filhos então não posso opinar muito sobre o assunto. Mas só queria dizer que furar a orelha não dói nada.
    O que acontece é mais o susto pelo barulho da maquininha que fura.
    Tanto é verdade que são vários casos de pessoas que rasgam a orelha pelo peso do brinco e nem sentem.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  22. Oi, Sissi,
    Adorei seu depoimento, obrigada. E quanto à sofrer na hora de furar, realmente esse parece maior para nós mães, rs. Beijos.

    Oi, Monica G,
    Que depoimento mais legal, adorei!

    Sofia...
    Que lindo comentário, obrigada... sua filha deve ser um bebê lindo. Beijos.

    Oi, Erika,
    Quase chorei aqui com seu comentário, que lindo! Que amor bonito tem por sua mãe! Respeitar e apoiar as escolhas dos filhos é o que os faz mais felizes e uma mãe tão linda quanta a sua só pode querer que seus filhos sejam felizes. Beijos.

    Marian,
    Que legal que comentou... então tivemos as mesmas escolhas e acho que são acertadas, né? A sua pequena pediu antes da minha, rs.

    ResponderExcluir
  23. Mamães e amigas.
    Como não existe uma regra ou lei em relação a colocação de brincos as vezes as coisa podem ficar um pouco bagunçadas, vou ajudar vcs, meu nome é Mariana e sou Técnica de Enfermagem e tenho uma empresa que chama Meu Primeiro Brinco, sou de Poa-rs e respeito muito a opinião de cada pessoa,se existisse uma regra seria muito mais fácil, mas não existe, vai muito da crença de cada um...eu tenho a minha opinião e vc tem a sua e pronto vivemos em harmonia...Normalmente as bebês que eu atendo tem em torno de 1 mês e NUNCA tive problemas, acredito que as mães tenham medo por já escutarem diversas histórias cabeludas de outras pessoas que realizam esse serviço então a minha dica é: Você escolhe quando quer colocar, indico que seja com o brinco cirúrgico por diversas razão super importantes e o profissional adequado para realizar o procedimento sem duvida alguma tem que ser alguém da area da saúde pois só assim terá todas as técnicas assépticas,aqui em Poa eu vou em tudo que é lugar e pergunto sobre os brinquinhos e até os próprios atendentes da fármacia colocam, então como não existe lei em relação a isso, entende-se que qualquer pessoa pode fazer, EU NÃO CONCORDO COM ISSO, o Coren deveria assumir esse procedimento como uma atividade de Enfermagem e NUNCA mais teriamos problemas com nenhuma bebe.
    Beijo no coração de todas e em relação a qualquer dúvida podem entrar em contato comigo.
    Meu blog é www.meuprimeirobrinco.blogspot.com e o e-mail meuprimeirobrinco@gmail.com

    ResponderExcluir
  24. Eu devo ser dormente! Tenho oito furos! Sete só numa orelha! Nunca doeu... Vou lá, escolho p brinco e puf! Nunca inflamou e não tenho traumas. Minha mãe fez meu segundo furo quando eu tinha uns onze anos, tive medo e quase não deixei mas na minha casa quem mandava era a minha mãe e ela decidiu que eu ia ficar linda! Deixei e adorei! Nunca mais parei! A minha filha vai ter quatro furos, dois em cada orelha, pq assim como na casa da minha mãe, na minha casa quem manda sou eu! Ela nasce daqui a sete semanas e os quatro brincos já estão na mala da maternidade.

    ResponderExcluir
  25. Talita, parabéns por sua decisão. Penso igualzinho, e sinceramente não entendo o argumento de que "furo em RN não dói", ué, algum RN fala pra gente por acaso ter certeza?
    Mas também penso que é uma questão da AUTONOMIA da criança, da formação de seu próprio gosto e personalidade. Várias coisas de fato precisamos decidir por elas, por ex., que vão tomar tal e tal vacina etc.
    Mas colocar brinco é algo puramente estético, e não sou eu que vou interferir nesta decisão.
    Minha filha tem 3 anos e meio e só agora está se interessando muito, nós sempre explicamos tudinho a ela, que precisa ir à farmácia fazer o furinho, que vai dar uma picada em cada orelha, e que se ela quiser, a gente leva.
    Isso é muito diferente do que decidir POR ela!
    Pra mim, trata-se de respeitar a criança como o ser em formação que ela é.
    Um beijo, parabéns pelo blog!
    Gabriela

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com