A qualidade do tempo, o que se foi, o que vem

27.12.11 dona perfeitinha 5 Comentários

Estou com minha nova caderneta. Ainda em branco esperando por respostas. Quem sabe perguntas serão mais frequentes, mas por enquanto ela espera respostas. Respostas para o que mais nos cerca neste momento: o futuro, o novo ano que está pra chegar. Do 31 ao 1o, virado o ano está. Hoje pra amanhã deixamos o passado sem dó, afinal é adiante que temos que olhar. Dá vontade de sorrir, hahaha, dá vontade de chorar, buááááá, mas o que se sente mesmo e o que devíamos parar pra prestar atenção é a evolução. A evolução é sentimento, é a mistura de tudo que vivemos e que mexe com nossas vontades. Sentir em nós nossa evolução é sentir a vida e seus sentidos. Sentir os sentidos. Dá pra aprofundar mais um pouco? Ah... se o tempo estivesse colaborando mais! Poderíamos fazer retiro, juntar um par de chinelos, uma calça, dois pares de roupas de baixo e uma blusa de frio, seguir pras montanhas, deixar os pernilongos serem os únicos 'zumzums' arredores, mas isso é desculpa. Todos nós fingimos ou fingiremos algum dia motivos que não são reais para justificar a falta de análise sobre nós mesmos, nossos atos. O tempo hoje é sim mais corrido, temos mais informações, por isso. Mas creia que podes o que precisa que terá. Tempo pra pensar todos temos. Tomamos banho, viramos na cama sem sono, somos sugados no trânsito ou na fila. Mas a maioria de nós, esquece-se que pode valorizar os tempos, afinal, tempo é sagrado, tempo é nossa vida correndo. Vou tentar e tento. Levar o tempo comigo. Levar o bom aproveitamento. Do meu pensamento. Sai coisas assim. Penso. Degusto. Concluo. Podemos. Tudo podemos. Evoluímos com ou sem aproveitar o tempo? Essa é a primeira pergunta. A resposta vai agora pra caderneta. Um simples não. Um simples sim? A verdade é que nada na vida é simples e por isso precisei para o novo ano comprar uma caderneta bem mais farta que a desse que em poucos dias se concluirá, pois a caderneta antiga ficou a desejar como o tempo desperdiçado com ranhuras, angústias, coisas que tomam a liberdade do nosso pensamento, tirando sua qualidade. Quero muitas folhas, mais reflexões para o próximo ano. Quero valorizar as linhas com boa tinta e evolução.

5 comentários :

  1. Oi talita!
    Eu também estou com minha caderneta aberta, a procura de respostas. As perguntas serão as mesmas que, todos os dias, todos os segundos faço desde o dia 7 de dezembro, data que meu marido morreu. Por que ele adoeceu? Por que? Por que só 5 anos casados (apesar dos outros 5 que nos conhecíamos!) Por que? Por que? Você fez um post, acho que em julho, contando da doença de um amigo. Eu comentei lhe contando o caso do meu marido. Que o câncer havia voltado com várias metástases. Desde então foi uma luta por dia. Até quando dia 9/11 soubemos que o câncer havia se espalhado por todo o abdômen e nada mais havia a fazer. Aí foi só tristeza e batalha. A cada dia ele se debilitava, piorava, sofria, até que no dia 7/12 ele não aguentou. Estive ao lado dele durante todos os segundos do seu último mês de vida. Faltei ao serviço pra cuidar dele...Fiz tudo por ele, tudo! Eu tô morta por dentro! A dor me consome um tiquinho a cada dia. Dizem que com o tempo ela passa. Duvido! Com o tempo ireime acostumar, mas passar... nunca! Éramos só os dois morando aqui em Balneário Camboriú e agora fiquei sozinha. A falta que ele me faz me sufoca. Vivíamos 24h por dia um pro outro. Era uma ligação muito forte, um amor eterno, imenso que comovia a todos ao nosso redor. Não foram poucas as vezes que escutamos amigos se dizendo impressionados com nossa sintonia, com a grandeza do nosso amor, da nossa cumplicidade, do nosso companheirismo.
    Não sei um dia terei a resposta que procuro. Mas sei que nunca mais serei amada como fui. Nossa palavra era "ETERNAMENTE". Tanto que a tatuei no pulso esquerdo há dois anos pra ele. E assim será nosso amor... ETERNAMENTE!
    Obrigada pelo desabafo!!!
    Um abraço,
    Evelise

    ResponderExcluir
  2. Talita, que lindo post....quero uma caderneta novinha em folha para 2012...nossa vida é tão curta, somos tão pequenos diante da grandeza de Deus, nos preocupamos com tão pouco...enquanto muitos daria a vida para ter um minuto a mais com a pessoa amada, como a Evelise!
    Valorizar os bons momentos e descartar o que nos faz mal é o que importa na nossa vida, ter as pessoas que amamos por perto é o essencial para nossa vida!! A analise que faço da minha vida é que ainda há muito para melhorar...muito a aproveitar e motivos temos de sobra!! Fiquei realmente emocionada!!!

    Bjus!!!
    FELIZ 2012!!!!

    ResponderExcluir
  3. @Anônimo
    Evelise, nossa, sinto tanto que vocês dois tenham tido que passar por isso e que ele não tenha resistido. Lembro-me exatamente do dia em que li a situação por que passava e que pedi junto pelo meu cunhado por seu marido também em minhas orações. A vida não nos presenteia apenas, mas sinto que o relacionamento de vocês foi um presente de Deus pros dois, pois é mesmo uma história bonita, eterna mesmo. Meus sentimentos pelo que tem ainda que enfrentar, mas força, Evelise, força, muita força, tá? Você só pode se agarrar às boas lembranças para conseguir que o tempo amenize essa dor que carregará com você. Não há quem possa te ajudar nisso, mas tomara que encontre formas e pessoas que te deem mais coragem e sorrisos.
    Beijos e cuida bem de você, tá?

    ResponderExcluir
  4. @Talita Medina
    Oi, Talita,
    E suas palavras tão lindas também... temos que pensar muito a respeito disso tudo, não é? Tantas histórias, tanto acontecendo com um amigo ou com a gente mesmo que temos que descobrir no dia a dia a que nos apegar. Estou torcendo pra que a Evelise encontre mais motivos e força na superação dessa tristeza tão grande. Muito amor, muita sorte e muitos bons planos pra sua caderneta esse ano! À você e à Evelise também! Beijos e obrigada pelo lindo comentário

    ResponderExcluir
  5. Obrigada às duas Talitas pelas palavras de carinho!
    Sim, eu daria qualquer coisa pra mais um minuto que fosse com meu marido. Daria a minha vida em troca da dele, para que ele não sofresse o que sofreu!
    Tenho tentado ter força, ânimo, mas confesso que tá difícil.. às vezes acho impossível eu continuar sem ele. É viver sem chão, sem perspectiva de futuro... são tantos medos, tanta insegurança. Mas obrigada às duas!
    Vou continuar a batalha... por ele... só por ele!
    Um abraço carinhoso nas duas!
    Evelise

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com