Mãe pra toda prova - crônica da semana

25.7.12 dona perfeitinha 3 Comentários

Gosto de sentir-me mãe e isso não envolve apenas o 'ser'. Sou mãe há mais de 5 anos, mas devo dizer que muito antes disso já me sentia mãe. Sentia-me mãe mesmo antes de engravidar pela primeira vez. Tenho convicção também em dizer que isso não acontece só comigo. Tenho amigas, 'co' e 'des'conhecidas que já vi relatarem fatos parecidos. Sensação boa que isso causa! É prova de que mulher nasce mesmo com a maternidade dentro de si. Sente-se em algum momento da vida. Mas tudo tem seu tempo e cada uma sua vez ou a falta dela, afinal, nascer com algo da maternidade provável dentro de si, em absoluto quer dizer que será fato e isso não é triste. Também as mulheres não maternais são incríveis! Algo de diferente e muito significativo há de fato dentro delas em substituição à necessidade de se tornarem mães. São profissionais especiais, irmãs sensacionais, talvez também tias ou madrinhas, levam o maior jeito com crianças, mas não querem e não precisam tornarem-se mães. Em uma entrevista à Marília Gabriela, Thalita Rebouças, autora de diversos livros infanto-juvenis, declarou-se feliz sem filhos e sem expectativas sobre a maternidade. Sim, é possível. Por mais que pareça a mulheres que como eu, sentem vontade da maternidade muito antes de realizá-la. Triste e isso sim é fato é pensar que tantas são as mulheres maternais que sonham em ter filhos e não consegue realizar. Vejo histórias lindas vindas de mulheres assim. Algumas lutam com tratamentos médicos até conseguirem, outras ficam anos em filas de espera para adoção. Outras, heroicamente, aceitam o fato, pois afinal, filho, não é só da mãe, não é verdade? Melhor que tenha um pai, companheiro ou companheira ao lado na formação dessa família e acho que com isso todas concordam. Um bom 'pai', claro, em toda extenção que a palavra hoje em dia permite. E, a partir disso, as histórias são diversas, a vida interpela a pessoa sobre suas motivações reais, sobre as consequências dos fatos e as faz decidirem, mesmo sobre a pressão da natureza, o que querem pra si e a maternidade/ paternidade faz parte dessas grandes decisões de vida que tomamos quando não se é 'acidente' (ou destino, para os mais crentes). Escrevo feliz sobre o assunto porque sinto-me mãe, mas vivo cheia de dúvidas. Nessa minha segunda maternidade que se aproxima, há já esse sentimento lindo ser mãe desse pequeno menino ainda aqui dentro de mim, mas também a certeza que agora tudo de novo muda, tendo eu que fazer escolhas maiores ainda em razão de dois filhos, uma menina e agora um menino. Também sobre ser mãe de menino, o que também já me sinto, acho que vou ter que rebolar um pouco também. Que venham as alegrias todas junto às dificuldades para que assim, nunca, nunquinha, me permitam achar que sou mãe mais ou menos porque de uma coisa eu tenho certeza: se mãe decidir ser com o pai lindo que meus filhos tem, mãe de verdade, mãe pra toda hora, toda prova, tenho que me manter.


3 comentários :

  1. Adorei essa crônica,muito verdadeira pra mim,pois me sinto mãe mesmo sem está grávida.
    Bjinhus

    ResponderExcluir
  2. nossa menina achei linda suas palavras ,acho que ser mãe é bem mais que ter um filho , é uma coisa que vem da alma que não tem como explicar um amor incondicional sem limites.Sou fã do seu blog aprendi muitas coisas aqui desde que casei.beijos

    Rochele Alves

    ResponderExcluir
  3. Talita
    Voce foi espetacular. Arrepiei de ler mas so uma coisinha. Eu nao sou mae mas me senti mae de muitos alunos e ate hoje perco o sono ao pensar por onde estarão.
    com carinho Monica

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com