Chorei junto

4.9.12 dona perfeitinha 13 Comentários

Pra quem não notou, conto: esses são meus filhos e são eles quem ilustra o banner dando as boas vindas ao blog. No momento, dormiam juntos na cama do papai e da mamãe e o clique não podia deixar de ser registrado. Agradeço acima de tudo por minha família.

Madrugada não é a hora ideal de escrever, bem sei, nem de estudar ou de ler, mas, cá pra nós, mamães com seus filhos recém nascidos com dorzinha de barriga, é bem difícil não trocar a noite pelo dia, não é? Então, cá estou passando os dias bem sonolenta, mas dando conta bonito do recado de mãe de dois.

Tudo bem que o primeiro dia em que fui buscar minha filha no colégio com meu pequeno de 20 dias a tiracolo foi bem difícil... explico: deveria eu sair de casa meia hora antes de abrirem os portões do colégio, assim, acharia vaga para estacionar com facilidade, mas eis que meu pequeno enche a fralda bem à nossa saída de casa. Voltamos direto pro trocador e por lá ficamos uns bons 10 minutos, pois a fralda, percebi depois, ainda precisava ser 'completada'. Saímos portanto atrasados e, à primeira esquina da rua de casa, meu pequeno ainda me surpreende começando aquele choro sofrido por mamar (sim! É bravo e muito impaciente ele, tão proporcional à sua fofura, rs). Até aí tudo bem... ele em seu bebê conforto no banco de trás e eu à direção ainda otimista... "vamos encontrar uma vaga rápido e então vou amamentá-lo". Uma volta no quarteirão da escola e nada de vaga. Duas voltas. Três voltas. E, na quarta volta, uma baliza na avenida principal! Sorte? Nenhum carro colaborava em me deixar completar a baliza, trânsito pesado, meu filho berrando e eu, claro, caí no choro junto e terminei a baliza me remoendo de culpa. Agora duas: por não poder dar mamar naquele momento ao meu filho e deixá-lo ali chorando e ainda por estar imaginando minha filha sozinha na sala de aula, depois de todos os pais terem buscado seus coleguinhas, pensando... 'cadê minha mãe?'...

Tá... a história pode piorar? Finalmente estacionei, peguei meu filho no colo que se acalmou de imediato. Buscamos sua irmãzinha e ao chegarmos de volta ao carro onde pretendia dar de mamar a ele antes de seguir pra casa, outro impedimento: um rapaz mau encarado me abordou assim que fechei a porta do lado da minha filha. Tive que apressá-la com o cinto de segurança e colocar ligeiro meu pequeno nos dele... Conclusão: voltamos pra casa com ele ainda berrando de fome.

Chorei amamentando pela primeira vez na vida. Mas chorava feliz, agradecida. No final, deu tudo certo. Nos dias seguintes, tudo tranquilo, levo e busco minha filha na escola com ele em minha companhia feliz da vida. Programo as mamadas pra pouco antes de sair e tudo tem funcionado bem desde então... voltei a me sentir uma mulher maravilha, rs.

Ah, gente! A semana passada foi impossível de sentar pra escrever e esta está sendo super difícil também, pois todos aqui em casa (menos nosso rapazinho) estão gripados, com febre. Eu desmorono por dentro, mas tento aguentar firme. De qualquer forma, já consegui programar posts bem legais pra essa semana e espero que gostem. Estou fazendo tudo aos pouquinhos mesmo porque poucos minutos me sobram ao dia pra sentar aqui e concluir algo, mas tenho certeza que vão curtir o que está por vir porque eu, pessoalmente, estou adorando os planos pra facilitar e estreitar nosso relacionamento aqui no blog.

Até amanhã, sem falta!

P.s.: A quem me deixou recadinhos no último post... que carinho gostoso de sentir! Amei cada palavrinha de vocês e vou respondê-las com a máxima rapidez que conseguir. Obrigada pelas dicas e elogios, sinto-me honrada em tê-las como leitoras. Aprendo demais com vocês.


13 comentários :

  1. Vida difícil essa de mãe. Ainda mais de dois filhos. Não sei como vc consegue dar conta de tudo. Agora que estou começando a dar conta de uma... Ela faz 3 anos hoje e está ficando um pouco mais fácil de cuidar. Já está cooperando um pouco. Mas lembro bem dessa fase de choro de fome. Cruel. Mas que bom, que tudo se ajeitou. Mães sempre dão um jeito pra tudo né?

    ResponderExcluir
  2. Nossa que sufoco, que bom que no fim deu tudo certo... Tem dias que querem testar nossa paciência, mas você foi feliz e deu conta do recado. Parabéns!
    Deus abençoe você e sua família.

    ResponderExcluir
  3. Dizem que ser mãe é padecer no paraíso, mas pra falar a verdade, de paraíso não vejo nada, o negócio é cansativo pra burro, daí vem a culpa que no meu caso me corrói até hj,seja por motivos antigos ou novos, a responsabilidade, medo..aff acho que tô desabafando nos eu post, perdão rs
    Parabéns pela mãezona que é!!
    bju

    ResponderExcluir
  4. querida,
    agora quem chorou fui eu....
    que dó, que sufoco.
    E você super responsável, amorosa, tentando conciliar tudo ao mesmo tempo.
    Interessante foi a relação do tua experiência com o nome do seu blog.
    Dona Perfeitinha.....
    Como nós mulheres queremos ter e alcançar esta perfeição, não é mesmo?
    Nos imaginamos tremendamente poderosas e os imprevistos nos mostram que a realidade, às vezes, não é tão perfeita assim....
    Mas também não precisa ser caótica..
    Coisa boa deve ter sido voltar pro ninho, guardar as crias bem protegidas.
    Desejo imensa força e alegria neste momento da sua jornada Talita.
    Um abraço gigante pra você.

    ResponderExcluir
  5. Talita, eu também me sinto assim às vezes, sem ter o controle de nada, e então eu choro me sentindo um tantinho impotente, mas graças à Deus passa, infelizmente nem podemos curtir o momento... mas tente assim mesmo, passa tão rápido...

    ResponderExcluir
  6. Talita desde que comecei a acompanhar teu blog fiquei admirada com a tua dedicação em cuidar da tua casa e família. Aqui onde moro isso é coisa rara, a maioria das mulheres terceirizam esses cuidados à empregadas ou pessoas da família. E quando se trata de por a mão na massa nem se fala, tem gente que não sabe pra que serve uma chave de fenda...
    Mas eu acho que é importante cuidar de tudo e ver você assim tão preocupada com cada pequeno detalhe, dando conta de ser mãe, dona de casa e profissional, dá a sensação de que tua casa tem cheiro, cor e gostinho de amor.
    Meu desejo é de que seja sempre assim e de que você e sua família sejam muito abençoados.
    Beijo grande

    ResponderExcluir
  7. Nossa Cristiane Ribeiro, vc disse tudo. Tem vezes que fico pensando no motivo pelo qual essas mulheres tem filhos. Se é pra jogar nas mãos dos outros, pra que ter então, né? Tenho muito orgulho de mulheres que cuidam de seus filhotes sozinhas. Uma pena que conheço pouquíssimas mulheres assim.

    ResponderExcluir
  8. @Judy
    Oi, Judy... feliz aniversário atrasado pra sua pequena. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. @Nathy Avelar
    Nathy! Deus te abençõe também... obrigada pelo carinho.

    ResponderExcluir
  10. @O Apê de Nós Três!
    Menina... precisamos por vezes desabafar mesmo, colocar pra fora me ajuda, espero que te ajude também. Mas uma coisa é certa: mãe só existe com culpa. Somos culpadas por tudo a começar pela existência deles, rs. Beijos!

    ResponderExcluir
  11. @Liliane Blog Sonhar e Ser
    Oi, Liliane, obrigada pelo carinho, adorei seu recadinho. Realmente buscar a perfeição nos move demais, não é? Que seríamos se não buscássemos melhorar o tempo todo? Claro que perfeição não existe, a palavra é feita pra rirmos dela e nos livrarmos de seu peso, rs. Beijos e um grande abraço pra você também!


    Talita.

    ResponderExcluir
  12. @Cristiane Ribeiro
    Oi, Cristiane...
    Obrigada pelas palavras lindas... minha casa, gosto de dizer, é viva e, portanto tem sim cheirinho, cor e claro, bagunça, sujeira, rs. É por isso que estamos sempre em ação, descobrindo formas mais práticas de cuidar dela, consertar coisas, limpar janelas, rs. Acho que o que faz a gente ser assim é porque temos algo a mais que se chama 'importar-se'. Nós nos importamos, queremos cuidar.... obrigada por seu lindo recadinho. Beijos, Talita.

    ResponderExcluir
  13. @Judy
    Judy... dá uma tristeza mesmo, como disse a Cris acima... ver pais sem o 'cuidado' esperado por seus filhos. Criar filho assim é fácil... ter 2 ou 30 não faria muita diferença, afinal... estão aos 'cuidados' de terceiros... avós, babás, motoristas, cozinheiros, rs. Mas claro que mesmo que alguns pais precisem terceirizar seus filhos por alguns momentos, há os que cheguem cansados do trabalho e ainda assim consigam compensar tudo e pra mim são admiráveis também. Eu tenho sorte, sabia? Tenho sorte de poder estar com os meus o tempo todo e isso me faz ter ainda mais pena de quem gostaria, mas não pode fazer o mesmo. Então tento dar meu melhor mesmo. Beijos e adorei o debate do post, rs.

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com