Dia à parte

4.3.13 dona perfeitinha 4 Comentários

Não à toa digo não ao pedido de ajuda de alguém.
No momento sou eu quem precisa de ajuda!
Eu e meus pequenos.
Estou meio desesperada, não sei explicar;
Coisa de quem ficou sem ter como trabalhar;
Embora goste demais; e precise!
A vida é cheia de obstáculos.
E não posso achar que os meus são maiores que os seus, claro que não!
Mas também não pense o contrário!
Estamos aí fazendo o possível e também o impossível...
Tanto que tem dias que nos sentimos heroínas.
Mas a realidade é que não somos e não damos conta de tudo.
O que tenho aprendido, porém, é valorizar o meu tempo e dos meus filhos;
A gente vem em primeiro lugar;
Não me venham empurrando mais problemas, porque já estou cheia deles, poxa!
Passo os dias e as noites dando peito, rs!

No momento preciso cuidar da gripe do meu filho;
Vencer a noite estressante sem dormir, acalmando o chorinho.
Vencer o estresse de fazer um almoço em meio a essa mesma trilha sonora da madrugada.
Mas está tudo bem. Apesar de todos terem se atrasado hoje, a gripe do nosso pequeno parece que está retrocedendo. Ao médico retornaremos. A casa que fique de pernas pro ar, apesar que já consegui até muita coisa com ele ao colo, imagine! Preciso de ajuda, isso é fato! Quero voltar à rotina de trabalho, poder receber meu marido sem essa cara exausta, escrever sem esse tom estranho... nem sei bem que tom é esse! Acho que vou chamar o Henrique para escrever por aqui - acho que ele me desestressa, me faz rir do fato que pra ele é fácil falar sem filtros, rs.

No mais, tenho muito que agradecer... apesar desse cansaço físico, da gripe do meu pequeno e do que mais tenha me assustado, estamos bem.

4 comentários :

  1. Vixi! Tem época que o "bicho pega".
    O negócio é ter paciência.
    Quem sabe aparece uma boa diarista? Talvez uma lavadeira? Passadeira?
    Eu passei meses meio vinculada à ideia de contratar uma empregada doméstica com registro em carteira, mas não consegui nenhuma que ficasse. Quando abri um pouco o leque, passaram algumas pessoas ruins aqui em casa, mas acabei achando uma pessoa maravilhosa.
    Minha sobrinha que mora em Knoxville (Tenesse/EUA) sofria demais com a obrigação de passar as camisas do marido. Uma amiga ouviu o "drama" e se ofereceu para passar na casa dela mesma por um preço bacana. Enquanto a amiga passa as camisas, minha sobrinha adianta bastante coisa na cozinha (para a semana), tem companhia e encerra a tarde com um café. Foi um bom negócio para ambas. Longe de mim dar palpite! Só contei para ilustrar que, as vezes, uma boa ajuda pode vir de onde não esperamos. Espero que as coisas melhorem para vc também!
    Bjs,

    ResponderExcluir
  2. é bom desabafar, melhor ainda é descobrir que não somos "mulher maravilha" e nem temos a obrigação de ser. Fica de boa, cada coisa no seu tempo e espaço, isso passa.
    abrços
    monica

    ResponderExcluir
  3. Puxa, eu entendo bem vc. Fico muito feliz que vc escreve, assim não acho q essas loucuras só acontecem comigo. Me dá força saber que outras pessoas passam por isso e de alguma forma, sobrevivem a experiência de ser 100% mãe, 10% mulher e 1% profissional. Dou prioridade a minha filha (em 2 meses, será aos meus filhos), marido, fica em segundo plano (coitado, mas não dá pra dar conta de tudo perfeitamente e além do mais os pequenos precisam de tanta atenção q nos suga por inteiro. Ainda bem q o meu marido entende e acredito o seu tb entenda), trabalho??? Mesmo precisando, acho q pra mim fica em terceiro plano... Economiza-se um pouco aqui e um pouco ali e vamos indo até qdo os filhos precisarem menos de nós. Fico triste por não poder comprar tudo o q "eles" querem, mas acho q isso tb é uma boa lição de vida pra "eles" (ter tudo de mão beijada nem sempre é o melhor q podemos dar aos filhos). Talita, segura as pontas q logo logo tudo isso passa. O bb cresce, fica independente e vc poderá voltar a sua "vida normal" (se é q existe vida normal depois dos filhos... rs) Mas com certeza, tudo ficará mais alegre em mais alguns meses.

    ResponderExcluir
  4. O maior diferencial desse blog é que ele trata da vida real.
    Ler seus desabafos dá ainda mais tom de realidade à esse espaço.
    Que bom saber que o fardo da mulher é difícil pra mais alguém, tem horas que achamos que só nós passamos por essas dificuldades do cotidiano, mas não! É difícil sim e pra todas nós!
    Tenha calma, tudo passa. Logo logo tudo volta ao normal.
    Mas... o que é normal?
    Quem sabe...
    Fica bem!
    Bj
    Ana Chacon

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com