Por que não? Seu filho pode ou não pode?

13.9.13 dona perfeitinha 5 Comentários

Não posso isso, não posso aquilo. Cuidado pra que esse lema não vire filosofia de vida. Ouço mães o tempo todo cometerem esse grande equívoco com seus filhos: 'Você não consegue'; 'você não pode'; 'Ela é prematura, não pode tentar isso'; 'Filho, você VAI cair'; 'Filha, você VAI se machucar'.

Precisamos cuidar da autoestima dos nossos filhos, melhor do que cuidamos da nossa. Precisamos educar com relevância, ou seja, precisamos educar com bons objetivos em mente. Frases como as de cima não objetivam nada além de bloqueios, geram nada de bom. Geram, ao contrário, sentimentos como: insegurança no filho; falta de confiança do filho nos pais; insatisfação deles com o apoio dos pais.


Não é fácil. Tendemos a barrar tudo, cortar ações diferentes do que estamos esperando deles. Acontece que é importante deixá-los se expressarem, deixá-los caírem. Caindo se aprende. Claro que temos que tornar a 'caída' segura e a segurança não está em não deixar nossos filhos fazerem as coisas e sim em monitorar o ambiente em que fazem. Monitorar o ambiente é importante. Se vamos levá-los pra aprender a andar de bicicleta sem rodinhas, por exemplo, levamos para um lugar longe de perigos maiores como um rio, ribanceiras, ruas movimentadas. Cuidar é preciso, mas não podemos bloqueá-los, impedi-los. Eles necessitam ter nosso apoio em todos os momentos de seu aprendizado, crescimento, formação de sua autoestima, de sua moralidade. Se precisam fazer o dever de casa, ajudamos se os deixamos fazer sozinhos, monitorando o ambiente desligando aparelhos de T.V., por exemplo. Podemos ensinar cuidados com o material, postura, concentração. No mais, o resultado do dever de casa é com eles. Ao final, vamos orientá-los sobre erros, mas não evidenciando-os. Podemos sempre encorajá-los a fazer melhor e conseguir melhores resultados. Eles precisam sentir que estão avançando e que são capazes.

Queria eu conseguir ser uma mãe perfeita, mas não sou. Você também não é. A sorte é que aprendemos com nossos filhos. Deixamos de ser um pouco bobos todos os dias. Claro que os teimosos serão bobos a vida inteira. Teimosos se acham perfeitos. Apontam 'defeitos' em outros pais, mas nunca põem a mão na consciência. Pobre de seus filhos. Esses só serão felizes mesmo se tiverem uma personalidade incrivelmente avançada com relação a dos pais.

Ter certeza do amor que nós pais sentimos por eles, nossos filhos só vão ter quando soubermos comunicar isso a eles. Uma das formas mais fáceis é demonstrando nossa felicidade com as conquistas deles. Boas formas de demonstrar são vibrar junto, rir junto, abraçá-los, parabenizá-los e dizer 'eu te amo', ' conta comigo'.


Eu, como mãe, quero que meus filhos tenham autoestima melhor que a minha, personalidade mais interessante, que não sofram com modismos, que não se achem incapazes de nada, que sejam e façam o que parecer-lhes importante, sempre com boa moral. Vou me orgulhar muito por isso, vou fazer parte dessa formação e, claro, pra isso, preciso reaprender sempre, poder mudar de ideia, poder fazer de tudo objetivando me tornar uma melhor mãe.







5 comentários :

  1. Concordo com o que disse. E o que mais me mata é a tal comparação: "olha fulano, todo quietinho e você aí...blábláblá", corto isso na hora.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Voce tem razao, pois a gente sem perceber coloca baixa estima nas crianças. com estas pequenas frases mas que caem fundo na criança. Voce é baixinha, gordinha. etc
    comc arinho Monica

    ResponderExcluir
  3. Olá menina,
    Concordo com você.
    Sou mãe de hemofilico, e pela regra geral "não poderia ou não deveria um montão de coisa", mas, deixei os meus medos e de lado e sempre estimulei meu filho a tentar tudo, algumas coisas ele teria restrição, como jogar futebol, lembro que o hematologista ficou louco quando soube que eu dei um patinete e a bicicleta pra ele, pois "não podia", ia cair, machucar...mas eu sempre fui a favor de experimentar tudo pra depois fazer as escolhas, e assim eduquei meus filhos. Não acho legal que os medos dos pais passem para os filhos, pois dessa forma criaremos crianças num casulo, que quando saírem não saberão se virar e fazer as próprias escolhas. Temos sempre que incentivar os nossos filhos, e claro, estimular, elogiar, pois aí estaremos criando pessoas fortes.
    Acho que falei um pouco demais, meio que sai do tema, mas foi um exemplo.
    Tenha um ótimo final de semana, beijos

    ResponderExcluir
  4. Perfeito! Adorei o texto, e reflete bastante como pretendo criar meu filho que está com apenas 5 meses. Não quero que meus medos e inseguranças , atrapalhem sua auto estima. Parabéns!!! O blog está ótimo. Bjos!

    ResponderExcluir
  5. Perfeito! Adorei o texto, e reflete bastante como pretendo criar meu filho que está com apenas 5 meses. Não quero que meus medos e inseguranças , atrapalhem sua auto estima. Parabéns!!! O blog está ótimo. Bjos!

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com