Criança que chupa dedo

17.12.13 dona perfeitinha 12 Comentários


Uma vez contei por aqui que meu filho chupava o dedão. Na época ele só tinha 3 meses (quando começou). E nós pais, a princípio, pensamos que pudesse ser algo passageiro. Acontece que não era e acabamos comprando todos os tipos e marcas de bico para oferecer a ele e não adiantou. Nossa filosofia quando tivemos nossa primeira filha era 'nada de bico/ chupeta'. Nossa nova filosofia, depois que nosso segundo filho começou a chupar o dedão direito é 'melhor o bico do que o dedo'. Mas dos bicos ele não gostou e a técnica que nos restava usar era manter uma luva nas mãozinhas dele. Mas em poucos dias ele aprendeu a arrancar a luvinha. Logo atamos a luva em seu braço. Mas em noites mais difíceis pra gente, acabávamos cedendo e liberando a mãozinha 'enfaixada'. O dedo ia IMEDIATAMENTE para a boca. No post linkado no início desse texto, muitas pessoas deixaram seus comentários e muitas defendem que se deve deixar a criança crescer chupando o dedinho. É uma questão polêmica, claro, pois abrange muitas avaliações a respeito. A vida é coisa séria e para cada um oferece experiências diferentes. Então é aquela história: não há regra aqui. É apenas uma questão de posicionamento dos pais. Uma criança que chupa dedo pode ter apenas experiências boas a respeito, outras já estão sujeitas a sofrer consequências mais sérias. O ato de chupar o dedinho em si é lindo num bebê, claro, mas a criança vai crescer... E se os pais decidirem, assim como eu e meu marido, tentar tirar o dedo da boca do bebê, eles tem que ter segurança da decisão que tomaram e estarem conscientes de que vão passar noites terríveis, mas saber que vale a pena. E sempre pensar: "melhor um sofrimento passageiro a outros sofrimentos maiores e prolongados no futuro" - pois um dia a criança já grandinha vai sofrer por ter vergonha de chupar o dedo, vai sofrer por querer parar de chupar e não conseguir, vai sofrer com todas as conversas que os pais terão que ter com ela no futuro sobre chupar dedo, além, claro, de correr o risco de sofrer com tratamentos dentários e, em casos mais graves, até com cirurgias!  E ao decidirmos tentar tirar o dedo da boca do filho, nós pais devemos tentar entender melhor nossos filhos para oferecer-lhes confortos diferentes, que vão suprir o hábido de chupar o dedo, ou apenas amenizar o sofrimento durante o processo de largá-lo.

Meu filho hoje tem 1 ano e 4 meses e continua chupando o dedo, digo, até poucos dias atrás ele costumava chupar o dedão. Vou contar o que finalmente parece que funcionou pra ele.

Nunca deixamos de nos preocupar com o dedo na boca do nosso pequeno porque vivemos a dificuldade, ou melhor, impossibilidade, de manter sua mão limpa o tempo todo - o ideal para quem chupa dedo. Mas convenhamos que quem vai crescendo, passa pela fase de engatinhar, começar a andar, enfim... o dedo vai o tempo todo pra boca e vai sujo mesmo! Depois tem o fato de que quem chupa dedo faz movimentos indesejados na dentição, além, claro, que psicologicamente, sofrerão vergonha do ato em algum momento da vida. Muitas pessoas nos param na rua e contam suas experiências. "Chupei dedo até 6 anos"; "Chupei dedo até os 13 anos e por causa disso tive que fazer uma cirurgia na arcada dentária"; "Minha tia chupa dedo até hoje. Ela tem 70 anos!". Ser pai e mãe é se preocupar com o presente e o futuro dos filhos. A gente faz de tudo tentando evitar que sofram de qualquer forma. Mas muitas vezes é preciso causar um pequeno e passageiro sofrimento para evitar outros mais prolongados. É o caso de dar vacinas. É o caso de fazer um exame de sangue. É o caso de tirar o bico/chupeta ou a mamadeira e mesmo o dedo! 

Nenhuma tarefa assim é fácil. A criança sofre, sente falta daquilo a que se habituou, mas esse sofrimento vai diminuindo dia a dia e em pouco tempo ela já se esqueceu dele! Mas isso só acontece quando os pais tratam a situação com muito amor e carinho, compensando a falta do hábito já há muito adquirido, estando ao lado, falando do fato com amor - mesmo que o bebê não entenda as coisas ainda. Se tratado com atenção, com toda certeza eliminar esse hábito cedo evitará maiores sofrimentos no futuro. Mas se tratado com brutalidade, pode ser sim que isso cause traumas no seu filho. Lembre-se que chupar dedo não é um ato criminoso. Você só quer tirá-lo do bebê pensando em evitar sofrimentos maiores pra ele. Nunca tente eliminar esse hábito se você tiver outro motivo em mente como vergonha do filho - envergonhe-se de si mesmo se esse for o fato! O processo de tirar o dedo da boca é um mal que vem pro bem quando feito com amor. Todo pai e mãe tem que ser corajoso em momentos assim, mas nunca podem tratar o dedo na boca com cara feia, ou seja, nunca coloque culpa na criança e nunca use métodos traumatizantes como amarrar o braço da criança ao berço (você precisa apenas tirar a sensação gostosa de um único dedo - aquele que ele chupa, nunca o movimento da mão e muito menos do braço - quem faz isso está usando métodos desumanos e torturantes - estou horrorizada com esse fato que me foi contado nos comentários desse post pela leitora Deusa - ela tem razão em ser traumatizada!).

Sempre, de dois em dois meses, tentávamos algo diferente no que dizia respeito a tirar o dedo da boca do nosso pequeno. Já enfaixamos o dedo, já colocamos limão, já mantivemos luvinha de dedos livres por dentro (quando ele começou, aos 3 meses), já enfaixamos o dedão com microporo (imagem abaixo) - nunca use métodos que tire a mobilidade dos dedos!


O microporo não funcionou porque é fininho e ao ser molhado de saliva, fica fácil de ser removido do dedo - e é isso que nosso filho fazia em pouco menos de 2 minutos, rs!

E, recentemente, meu marido acabou enrolando o dedinho do nosso pequeno com esparadrapo, assim que ele acordou. Nosso filho estava passando por dias de nervosismo por conta dos primeiros molares nascendo e o dedo ficava na boca manhã, tarde e noite. Era o momento de uma nova tentativa. Para os dentes um mordedor e para o dedo, o esparadrapo. Acontece que o esparadrapo (esse da imagem abaixo) não é muito bem visto pelos médicos para essa finalidade porque é mais duro, impede o parte do movimento do dedão e tem uma cola potente que pode irritar a pele do bebê, além que é preciso cuidado para, ao envolver o dedão com o esparadrapo, não garrotear, ou seja, para não prender a circulação. Estamos tomando todo o cuidado e está funcionando. 


No primeiro dia com o esparadrapo, nosso filho ficou muito nervoso. Ele estava especialmente irritado durante o dia. Não conseguia chupar o dedo e brigava com sua sombra. Passou um dia difícil, tadinho, rs. Mas aí vem a notícia boa: já à noite, ainda no primeiro dia, ele nem mais tentava levar o dedão na boca. Dormiu na hora certa, exausto, sem nem levar o danadinho do dedo à boca! Fui repetitiva porque ali nasceu a esperança de que podíamos estar perto de uma vitória em relação ao dedo na boca. Vimos que talvez o amadurecimento dele, o entendimento do carinho da gente com ele, tudo isso podia ser o equilíbrio que o encorajasse a esquecer rápido do sofrimento de abandonar um hábito. Estamos de olho em todos os momentos dele com o esparadrapo. Reparamos que ele criou uma mania de cutucar o esparadrapo no dedão com o indicador, mas não mais levou o dedo na boca! Pelo menos no primeiro dia e na primeira noite. O segundo dia foi ótimo também, com muitas atividades fora de casa. Chegou exausto e dormiu cedo, mas.... foi um turbilhão de choros durante a noite. Acordou 3 vezes e demorou quase uma hora em cada uma das vezes para dormir. Em duas delas só dormiu com mamadeira. Todos sofremos. Ele acordava tentando chupar o dedão e, não conseguindo, abria o berreiro. Foi assustador. Colocava ele no colo e fazia cosquinhas em sua perna, pés e mãos - ele adora! Mas ainda assim, em intervalos, ele chutava, me golpeava mesmo, é algo assustador de se vivenciar e tudo que eu podia pensar era: "É para o bem dele, estamos fazendo o certo, esse sofrimento é passageiro, logo ele se esquecerá do mesmo". Do contrário a gente cede, acaba tirando o que o impede de chupar o dedo, precisamos ser fortes! Começava aí as noites insones pra ele, pra nós pais e talvez para alguns vizinhos do prédio, rs. As noites mais difíceis foram 3. A primeira foi tranquila, como já disse. A segunda, a terceira e a quarta  foram as piores. Já na quinta noite, ele acordou uma única vez e foi só colocá-lo na nossa cama que adormeceu de imediato. As seguintes tem sido assim também. Algumas ele já não acorda e já estamos fazendo testes durante o dia, deixando nosso pequeno sem o esparadrapo por algumas horas. Ele nunca mais, nesses testes, levou o dedão à boca! Incrível, né?

Esperamos manter o esparadrapo no dedão direito mais alguns dias e algumas noites até que ele já não mais acorde à noite e sentirmos que ele se esqueceu da dependência que um dia teve de tal hábito. Estou ansiosa pra escrever no livrinho do bebê dele que ele deixou de chupar o dedão com 1 ano, 4 meses e 16 dias - o primeiro dia do esparadrapo, rs!

LEMBRE-SE: esse não é um método radical no que diz a gerar traumas, é radical apenas na rapidez com que se chega ao seu objetivo. Só estou indicando isso porque meu filho agiu feliz desde o primeiro dia (seus momentos de irritação com o esparadrapo não duraram meia hora depois que o colocamos). Somente 3 noites foram difíceis. Hoje, quando escrevo isso, já estamos no 8o dia, indo para a 8a noite e ele dormiu noite toda passada. Hoje pela manhã, assim como ontem, apontou para o esparadrapo e fez 'hãhãaaa' pedindo pra tirar. Ele passou o dia de ontem sem o esparadrapo (colocamos só depois que ele dormiu) e também tiramos hoje pela manhã, a pedido dele. E posso dizer que parece que ele já se esqueceu que um dia chupou dedo. Ontem, no meu colo, enquanto eu preparava-lhe uma mamadeira (antes de iniciar esse processo de tirar o dedo da boca, enquanto eu fazia isso, ele chupava o dedo incansavelmente até eu lhe entregar a 'dedera' pronta), ele levantou a mãozinha até a metade do caminho como se indo chupar o dedão, mas parece que isso foi o inconsciente mandando porque a mãozinha parou no meio do caminho e parecia que ele não sabia porque a tinha levantado. A apoiou novamente no colo, rs. Eu ri e fiquei feliz. Ele ria feliz, logo em seguida, quando comecei a balançar a mamadeira, hábito esse que não precisa ser cortado tão cedo, a não ser que seja uma criança com tendência a cáries, claro! E é por isso que não há regras, não se pode haver opiniões radicais sobre nada, cada criança precisa de atenção diferente - o que posso dizer é que tente entender seu filho e o compense sempre! Não posso criticar você que acha que é melhor deixar o filho chupar o dedo, nem você pode me criticar por ter conseguido tirar o hábito do meu filho, a quem nos preocupamos demonstrar todo nosso amor para que ele tenha certeza que pode contar com a gente pra tudo e crescer uma criança segura. O que importa é todos nós pais fazermos isso, independente da decisão a respeito desse fato que viermos a tomar.



Tiramos o dedo da boca dele, mas tentamos dar a ele outros tipos de conforto que ele gosta. Como ele sempre gostou de cosquinhas nos pés, mãos e pernas... é isso que passamos a fazer com mais frequência com ele, principalmente para adormecê-lo. Ele gosta, isso o acalma, o relaxa. Pra ele parece que isso foi uma boa troca. Tente entender seu filho e lhe dê compensações agradáveis, mesmo que materiais se ele já for uma criança grande. Mas o mais importante, compense-o sempre com muito amor e carinho!



Estamos felizes e esperançosos de que dessa vez conseguimos! 


Meu menino feliz!


Dica sobre o esparadrapo no dedo (caso resolva encarar isso!): no início, evite trocá-lo com muita frequência. Troque uma vez por dia ou duas, no máximo, mesmo que ele fique bastante sujo, pois quanto mais trocar, mais vai lembrar a criança sobre o fato. Ela já pode estar se acostumando e aí você troca e ela começa a chorar de novo lembrando do que o esparadrapo representa. O melhor é evitar isso. E boa sorte e muita paciência e determinação a vocês papais que quiserem tentar o mesmo que nós. A luta é difícil, mas super válida.


GOSTA DO donaperfeitinha.com? Ajude-me a ganhar mais leitores queridos como você! Conte nosso endereço pros seus amigos e familiares. Mostre nosso blog pra eles também em suas redes sociais. Isso é crucial pro bom desempenho desse espaço. E eu te agradeço!






12 comentários :

  1. Parabéns pela iniciativa e coragem dos papais.

    ResponderExcluir
  2. Vivo essa novela de chupar dedo há 4 anos com a Julia... Já tentei band-aid, pimenta, até aqueles esmaltes amargos para quem rói unha já passei na unha do dedão... e nada... Ameaças, brigas, conversas, recompensas... NADA!!! Não sei mais o que fazer, e hoje em dia o esparadrapo não adiantaria muito, porque ela já conseguiria tirar sem maiores esforços... Espero que você tenha sucesso nessa empreitada...

    ResponderExcluir
  3. Oi linda,

    Estou fora do mundo blogueiro a pouco tempo,mas passeio por aqui vez em quando.
    Hoje tive que comentar,pois sobre isso eu entendo bem.Quando pequena,eu chupava o dedo,era reconfortante,gostoso,me acalmava.Por incrivel que pareça já adulta e meia,me lembro de situações sobre esta fase de berço ainda,veja como isso pode ser traumatico.
    Certa vez,meu pai me colocou uma luva de couro,feita sobre medida para meu pequeno dedinho,eu me lembro de momentos apenas,do gosto da luva,de chorar e me irritar.Me lembro de acordar a noite com o bracinho amarrado no berço,das grades Brancas,de tentar puxar a mãozinha e não conseguir,de ouvir minha mãe dizer algo e de colocar meu dedinho na boca(apenas isso).Certa vez meu pai colocou um pouquinho de sal no meu dedinho e eu chupei chorando...Veja se pode,são pouquissimas lembranças de uma fase em que quase ninguém guarda lembranças.
    Fui crescendo e todo mundo me mandava tirar o dedo da boca,eu era uma criança calminha que amava um carinho.Cresci e isso foi ficando para trás,aprendi a me acalmar desenhando e fui esquecendo sem que ninguém falasse nada o tal dedinho,meus dentes são perfeitos,sem problemas...Fui até uns Cinco anos com o meu dedinho vez em quando na boca,apenas para dormir e acabou.
    Minha filha já foi a chupetinha,até os Cinco eu não conseguia tirar,foi um sofrimento ve-la chorar pelo cobertozinho e chupetinha....Um dia eu pensei...Se dane...Não vou fazer minha filha sofrer por isso,quer a chupetinha,então pode...E fui apenas contando histórias,e dizendo que a fadinha dos dentes trocaria por brinquedos(foram váriosss...rs).Os dentinhos se formou um circulo,sabe?
    Fui a Odontopediatra que conversou seriamente com ela,troquei a chupetinha por brinquedos,mas nada foi radical....Ela foi largando aos poucos e o incrivel aconteceu...Ela olhou pra mim aos Cinco anos e me disse:
    -Mamãe,a Fada do Dente me prometeu Três brinquedos se eu entregasse a chupetinha e o cobertozinho....Então eu vou chorar de saudade,mas vou entregar.
    Coloquei tudo em uma caixa Rosinha e chorei de ver minha pequenininha sendo tão forte.Ela dormiu olhando para a caixinha e dai escondi de lembrança e por Três dias eu coloquei na janela os brinquedos com bilhetinhos coloridos....
    Passou...Os dentinhos voltaram completamente sem aparelho nenhum,voltaram completamente,tenho fotos para provar.
    Prefiro não seguir regras,cada criança e uma em especial,nada se aplica a todas....
    Mas evidentemente tirar o dedo assim e traumatico e desnecessario,seu nenem vai largar com o tempo de forma normal,va apenas conversando sobre isso sem brigas...
    Desculpe a carta,mas isso foi importante pra mim também.
    Bjus
    Deusa
    Vasinhos Coloridos(cmdeusa@terra.com.br).

    ResponderExcluir
  4. Realmente é um drama isso. Eu chupei o dedo por muitos anos e minha filha menor também e ambas usamos aparelho ortodôntico por muitos anos. O dela foi muito pior, pois ficou com os dentes projetados para frente e mordida cruzada. É mais barato o esparadrapo do que o tratamento.
    Parabéns pela iniciativa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Talita, tenho dois filhos e os dois sugam o dedo. A maior vai fazer 5 anos e o menor tem 3 e meio. Minha aflição é dupla! A menina apresentou o hábito desde que estava na minha barriga (em todos os exames de ultra sons ela aparecia com a mãozinha na boca, o que sugere que o hábito vem daí) e o menino tinha uns 3 meses quando colocou o dedinho na boca a primeira vez. Ofereci diversos tipos de chupeta para os dois, mas o que queriam mesmo era o dedinho. E dia após dia o que percebia era que um reforçava o hábito do outro. Hoje, me arrependo de não ter sido mais firme na tentativa de retirada, pois principalmente para o meu filho, o hábito atrapalha muito o seu desenvolvimento social. Ele é uma criança mais reservada, não interage muito com outras crianças e prefere brincar sozinho (características dele, da sua personalidade, não diz respeito a nenhum transtorno psiquico). Então, quando li seu post fiquei com a triste sensação "por que eu não pensei nisso antes???". Mas a vida é assim, um aprendizado para todos nós, não é mesmo? Vou tentar usar esta manobra com meus dois pequenos. Sei que vai ser uma tarefa bem difícil, pois já curtem essa pratica há tempos...mas vou tentar. Ah! pra não dizer que não tentei nada, há alguns meses, comprei em um site americano uma luva de silicone, chamada Dr. Thumb. Demorou uns 60 dias pra chegar e funcionou durante o dia, enquanto meu filho estava na escola (a professora relatou que ele ficou mais participativo e não colocava o dedo na boca durante as atividades com os colegas), mas à noite, para dormir, ele conseguia afastar o molde que cobria o dedinho e conseguia sugar...Então só funcionou em parte...Mas é uma opção para quem quiser tentar, pois a luva não impede os movimentos dos dedos. Funcionou com um coleguinha do meu filho, da mesma sala, mas não deu certo com o meu...

    ResponderExcluir
  6. Querida, me conte por email o resultado de sua empreitada.
    A Anna fez 4 meses e pouco depois dos 3 meses começou a chupar o dedo com tanta forca que esfolou o dedo, decidi entao tirar o hábito. Desde o dia 17/05 esta com luvas, tiro um pouco quando dorme e estou por perto para a mão respirar. Estou sentindo um esquecimento muito sutil e claro ofereco chupeta, mordedor, mas sigo na luta.

    ResponderExcluir
  7. Querida, me conte por email o resultado de sua empreitada.
    A Anna fez 4 meses e pouco depois dos 3 meses começou a chupar o dedo com tanta forca que esfolou o dedo, decidi entao tirar o hábito. Desde o dia 17/05 esta com luvas, tiro um pouco quando dorme e estou por perto para a mão respirar. Estou sentindo um esquecimento muito sutil e claro ofereco chupeta, mordedor, mas sigo na luta.

    ResponderExcluir
  8. Querida, me conte por email o resultado de sua empreitada.
    A Anna fez 4 meses e pouco depois dos 3 meses começou a chupar o dedo com tanta forca que esfolou o dedo, decidi entao tirar o hábito. Desde o dia 17/05 esta com luvas, tiro um pouco quando dorme e estou por perto para a mão respirar. Estou sentindo um esquecimento muito sutil e claro ofereco chupeta, mordedor, mas sigo na luta.

    ResponderExcluir
  9. nossa me animou muitoo minha filha aconteceu exatamente a mesma coisa... e eu nem era anti chupeta rs.. quero dizer que mesmo eu oferecendo a chupeta desde a maternidade ela já nasceu querendo o dedo... agora esta c 1 ano e 6 meses e eu ja tentei tudo... inclusive band aid e micropore mas ela molha c saliva até cair... vc me animou a tentar o esparadrapo... amanha começo... obrigada por compartilhar ...

    ResponderExcluir
  10. Desde os três meses minha bebe chupa o dedo para dormir, no começo fiz de tudo para tentar parar coloquei luva, segurava a mãozinha pra não colocar na boca, mais isso fazia com que ela chupasse mais ainda, muitas pessoas disseram que era devido os dentes e que ia parar.
    Então eu comecei a deixar. Aos 10 meses ela já tinha 6 dentinhos e percebi que não mordia mais os dedos como antes, somente chupava e cada dia mais. Chegou um ponto que tudo que ela fazia era com a mão na boca, foi ai que percebi que ja estava passando dos limites.
    Foi ai que encontrei este blog e comecei a colocar esparadrapo, no começo deu trabalho ( os três primeiros dias), porem bem menos do que as luvas, e finalmente hoje faz 10 dias que ela não chupa o dedo, morde de vez em quando acredito que pra coçar a gengiva, mas não são os mesmos dedos.
    Percebo que ela nem tenta mais chupa-los.Inclusive ela esta ate andando pois se esforça mais e brinca mais também ao invés de ficar parada chupando dedo.
    Muito obrigado pela dica, realmente estou muito feliz pelo resultado.

    ResponderExcluir
  11. Desde os três meses minha bebe chupa o dedo para dormir, no começo fiz de tudo para tentar parar coloquei luva, segurava a mãozinha pra não colocar na boca, mais isso fazia com que ela chupasse mais ainda, muitas pessoas disseram que era devido os dentes e que ia parar.
    Então eu comecei a deixar. Aos 10 meses ela já tinha 6 dentinhos e percebi que não mordia mais os dedos como antes, somente chupava e cada dia mais. Chegou um ponto que tudo que ela fazia era com a mão na boca, foi ai que percebi que ja estava passando dos limites.
    Foi ai que encontrei este blog e comecei a colocar esparadrapo, no começo deu trabalho ( os três primeiros dias), porem bem menos do que as luvas, e finalmente hoje faz 10 dias que ela não chupa o dedo, morde de vez em quando acredito que pra coçar a gengiva, mas não são os mesmos dedos.
    Percebo que ela nem tenta mais chupa-los.Inclusive ela esta ate andando pois se esforça mais e brinca mais também ao invés de ficar parada chupando dedo.
    Muito obrigado pela dica, realmente estou muito feliz pelo resultado.

    ResponderExcluir
  12. @Denize Santos
    Denize, oi!
    Fiquei feliz em saber que também conseguiram... meu pequeno está hoje com 2 anos e 2 meses e nunca mais chupou dedo depois do que relato no post... acho que sua menininha também não voltará. Parabéns... é difícil, mas é bom pra eles. Beijos!

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com