Preso injustamente, e o que mais?

27.2.14 dona perfeitinha 8 Comentários

Você muito provavelmente já deve ter ouvido e já deve ter dito também que 'a vida é uma só'. Sim, a vida é uma só para ser aproveitada, mas também para termos consciência sobre nossos atos, responsabilidades decorrentes das escolhas que fazemos e das decisões que tomamos. A vida é uma só não apenas para nós mesmos, mas também para o outro que encontramos na esquina, que atendemos na padaria, que ouvimos em depoimento, que operamos na sala de cirurgia. Também é uma só para aquele aluno que, como professor, dou um conselho. É uma só para aquele filho que viu seu pai esmurrar um cara no trânsito (e para o esmurrado!), para aquela mulher grávida que recebeu um destrato de um gerente em uma loja de roupas, também para aquela senhora que viajou uma hora e meia da roça para fazer um ultrassom na cidade com um médico que a deixou esperando por mais 3 horas no consultório, apenas porque decidiu no meio do expediente levar um buquê de rosas para sua noiva e o tempo passou sem perceber.

Há muitas pessoas por aí que são irresponsáveis. Preferem fechar os olhos para o resultado (para terceiros) de seus atos a agirem com consciência de que esses podem causar danos físicos, materiais ou psicológicos a outras pessoas. Acompanhamos ontem nacionalmente, quando foi solto, o caso do rapaz de 27, 28 anos, não me lembro agora, chamado Vinícius Romão, que ficou preso injustamente por 16 dias, acusado de ter roubado a bolsa de uma senhora.

Vários foram os atos irresponsáveis desse caso. O primeiro foi a decisão da senhora que mesmo sabendo que não poderia garantir que o tal rapaz fosse o ladrão de sua bolsa, ter dito aos policiais que achava ser ele. Mas sabemos que ela estava num momento de aflição, medo, muito emocionada quando provavelmente o apontou. É óbvio que qualquer um de nós poderia fazer o mesmo, não era trabalho dela descobrir, mas sim dos policiais.  Ato pior tiveram eles em prender um inocente, fazendo-o passar por tratamento de criminoso sem ao menos tomar as devidas precauções que poderiam ter evitado o fato. Cabia a eles tentar entender o acontecimento. Com isso deixaram de procurar o verdadeiro culpado e os pertences da senhora; culminou em errarem feio na profissão, prendendo um inocente. Culminou em amigos do inocente deixarem de trabalhar por alguns dias para protestarem, culminou em um delegado não dar a devida atenção a esses amigos, culminou no sofrimento de um ser humano injustamente. E várias podem ser as consequências ruins disso.

É por isso que quando estou numa fila de uma loja comprando água com meu filho aos prantos e todos os funcionários da loja preferem ignorar a vir perguntar se preciso de ajuda, se gostaria de ser atendida com preferência como manda a lei (prefiro não usar a preferência quando não preciso, mas em casos como esse...) ou quando vejo secretárias destratarem pacientes ou a caixa do supermercado te atender de cara feia ou mesmo uma atendente de loja te olhar de cima a baixo me passa pela cabeça que são pessoas de pensamento pequeno, que só querem fazer o mínimo, que nunca pensaram além do seu próprio umbigo.

Imagine você como seria o nosso Brasil se todos fizessem seu trabalho pensando na excelência: fazendo o melhor que podem, sorrindo, conferindo documentos, analisando os pormenores necessários, procurando gerar apenas consequências positivas não só a si mesmos (entram aí os corruptos, os criminosos, os irresponsáveis), mas também para os terceiros envolvidos. Imagine todos os policiais fazendo o trabalho que deveriam fazer, com excelência, evitando erros, enganos, e realmente interessados na ordem e justiça. Todos os juízes decidindo justamente, punindo e não absolvendo criminosos; todos os pais corrigindo seus filhos na hora que devem corrigir, mas dando amor sempre também. O motorista não dirigir alcoolizado ou com sono; o porteiro entender a responsabilidade de seu cargo; o médico entender que o paciente, mais do que ninguém, precisa de carinho num momento difícil. Enfim, entendermos todos que o que falamos ao outro e o que fazemos que afete outros pode sim gerar coisas horríveis como a culpa que deve estar sentindo, infelizmente, aquela senhora que 'reconheceu' o tal rapaz inocente como quem roubara sua bolsa. O que terá passado ele durante aqueles 16 dias na prisão? Numa cela de 6 camas, uma privada, e 15 pessoas?

Sejamos mais responsáveis... todo dia é dia de nos arrependermos de algo e ir nos tornando pessoas melhores. A Copa do Mundo é nossa esse ano e pode ser um bom teste de nossos atos. Sejamos brasileiros responsáveis, agradáveis, justos, atenciosos. Queiramos nosso bem e do outro. Nossa imagem poderá ter consequências tanto boas quanto ruins. É uma escolha que está na mão de todos, de cada um de nós. Mas antes de pensarmos na nossa imagem para o resto do mundo, pensar em melhorá-la para nossa família, nossos vizinhos, nossa comunidade já é um grande passo.

8 comentários :

  1. Oi Talita...

    Certíssima! Essa frase 'e todos fizessem seu trabalho pensando na excelência' diz tudo sobre uma sociedade e nos leva a refletir que mundo queremos ter e deixar aos nossos filhotes.
    Nota 10 na crônica.

    beijo grande.

    ResponderExcluir
  2. Talita

    Bem bacana sua reflexão. Tenho como máxima na vida que na dúvida prefiro dizer não. Se não tinha certeza do culpado que não apontasse o dedo, independente da pressão da policia (se é que houve).

    E antecipadamente tenho vergonha do Brasil e dos brasileiros, tenho certeza que daremos mais uma vez um vergonhoso espetáculo na copa. Quem dera este "gigante" tivesse acordado antes da nossa candidatura.

    ResponderExcluir
  3. Que texto maravilhoso, me sinto assim uma E.T por procurar pela excelência,em tudo e ser tachada " a boazinha" ...e já ouvi "não acredito que existem pessoas assim" ...eu êxito, e acredito na excelência.
    Val

    ResponderExcluir


  4. Talita. Que bom te rever. Estou atarefada mas hoje dei uma passadinha pra rever os amigos.
    com carinho Monica

    Eu vi no encontro. Espero que todos que tenham assistido possam pensar exatamente como voce!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Talita!
    Penso muito parecido com você. Fico injuriada quando vejo alguém não sendo profissional seja em qualquer coisa que tenha decidido fazer. Porém, fico ainda mais comigo quando me pego em um momento de pouca paciência e não sendo muito justa. Porque todos temos esses momentos, infelizmente. Este é um trabalho enorme e precisamos realmente fazer um esforço muito grande para melhorar nossa imagem. Às vezes fico achando que não temos solução, mas prefiro ser otimista.
    Beijo e bom restinho de carnaval!
    Rafaela

    ResponderExcluir
  6. Excelente post... adorei a frase para que todos trabalhassem com excelência... procuramos trabalhar assim na empresa que estou... confesso que não é fácil fazer isso todos os dias, mas é muito recompensador quando conseguimos!
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Estou adorando seu blog suas dicas seu trabalho é impecável adorei!!!!
    Finalmente achei alguém que não faz parecer a vida utopia e sim realidade de dona de casa, esposa, trabalho fora ou em casa e se cuida e é mineira como eu moro em bh. bjs

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com