O vírus da tristeza e o da escravidão à beleza (ou seria riqueza?)

28.3.14 dona perfeitinha 9 Comentários

Acho que quem tem 18, 20 anos ainda não parou pra pensar sobre isso, mas para nós de 30, mais de 30, 40, mais de 40, 50, enfim, nós sim. Nós pensamos muito sobre isso. Nós pensamos muito sobre como melhor aproveitar o 'tempo'. Mesmo tempo que, passado, já nos marca a imagem, o conhecimento, os arrependimentos e nos faz sentir orgulhosos. Tempo esse que sabemos que um dia acaba. Acabará. Mas o queremos todo, o queremos imensamente. O queremos por perto e não aceitamos bem qualquer 'interrupção' nele. Parece assustador receber qualquer 'previsão' e isso não é à toa, somos, existimos, não sabemos como isso pode simplesmente um dia acabar! E por mais que em vários momentos nos questionamos sobre que diferença fazemos no mundo, somos uma rocha que permanece a sonhar com um coração eterno. Mas, se não o teremos nunca, refletimos no tempo que temos sobre nossas transformações, nossos amores, nossas necessidades, nossas maiores alegrias. 

O tempo passa e uma hora a ficha cai, percebemos que não podemos mais sonhar com a eternidade, precisamos sonhar com a qualidade do hoje. Como fazer o hoje ser o melhor possível. Mas e aí? Quem tem a triste tendência de se abater, se abaterá por qualquer coisa. Não importará verdadeiramente se é jovem ou se não tão jovem mais. Qualquer coisa justificará sua tristeza. Entra aí um mundo do qual não queremos participar, pois é esse o maior assassino do tempo. A vida é uma coisa só: nela há erros, acertos, momentos divertidos e tristes também. Mas os momentos tristes não devem nunca ser provocados por qualquer coisa que tenha a ver apenas com o que vem de dentro de você. Acho assim: somos o que somos, nascemos assim, devemos nos orgulhar e nos defender, protegendo a nós mesmos contra opiniões de pessoas que se acham grandiosas, mas que no fundo são grandes idiotas. Aqueles que tentam fazer mal a outras pessoas, jogá-las pra baixo, só podem ser isso: idiotas. Palavra horrível de se dizer e escrever, mas na vida também não podemos ignorá-la, afinal não queremos ser idiotas e nem queremos que muitos desses cruzem nossos caminhos. Mas a maior idiotice de todas que supera até os idiotas alheios, é deixar a tal da tristeza tomar conta de você com justificativas ridículas, infundadas, sem razão de ser. Porque pensando assim, qualquer coisa vai te deixar triste. E aí é hora de passar a enxergar o copo meio cheio e não meio vazio. Deixemos os idiotas se sentirem bem com suas idiotices sem que nos atinjam. Eles são como vampiros que dependem de algo do outro pra se sentirem superiores. Os vampiros precisam de sangue, os idiotas, da auto-estima alheia. Respeitemo-nos e aproveitemos nosso hoje, nosso tempo, cultivando nossa auto-estima, nos orgulhando do que nós somos, sem comparações com o outro. Permita-se ver a beleza dos outros também, permita-se elogiá-la com sinceridade, mas antes disso elogie a si mesmo, perceba suas qualidades. Ninguém é perfeito! Essa busca pela perfeição de imagem está maquiando corações, está a fazer chorar cravos e flores, todos bonitos, mas todos tristes que dão dó porque é como se nesse mundo globalizado em que a imagem é extremamente exposta, a verdadeira beleza que não trata da imagem, mas de seus bons sentimentos, de suas boas atitudes, de seus bons valores, estivessem sendo desprezados por completo, num fascínio eterno à imagem bonita e apenas à ela.

Para mim, a grande razão da vida não é o 'estar bonito', lembremos que a beleza acaba para todos. A grande razão da vida é 'ser amando', 'estar acompanhado', ter criado laços afetivos de verdade. O amor constrói, o amor é sincero, o amor valoriza atitudes e valores internos. O amor não te deixa morrer só. Se, ao contrário, criar justificativas mil pra reclamar de tudo, afastará o amor de si, atrairá a tristeza, poderá morrer mesmo que acompanhado, sentindo-se um ninguém. A verdade dói quando não a valorizamos, mas também é a única chance de passarmos a 'ser' felizes sem máscaras, sem escravismo a imagem perfeita que uma moda, ou um alguém qualquer dita. Não critico aqui a moda ditada, afinal esse é um trabalho até muito interessante, mas critico a escravização a isso que muitos se obrigam. O grande problema é que nesse mundo já há grandes viciados em 'ser bonito' acima de tudo. Há um vício de ser 'mais', de ser 'melhor' que transforma pessoas e as faz desprezarem ou mesmo desrespeitarem outros que não se 'encaixam' em seu mundinho. Mas posso apostar que se fossem escrever histórias de duas pessoas com esses dois perfis, a única que nos emocionaria e nos acrescentaria seria a daquela que está totalmente ou parcialmente fora de todos esses padrões de modismo e de imagem que existem hoje.

Bato muito nessa tecla, pois dia após dia tenho me horrorizado com atitudes de pessoas por aí, vivendo apenas pela 'imagem' - que vida triste deve ser! Tenho me horrorizado também com quem se abate por 'não ser' ou poder 'ter' como o 'outro'. Acho que isso é apenas um vírus, mas perigoso, muito perigoso. E é por isso que não me canso de escrever a respeito. A vida é uma só. E só. Hoje você tem 10 anos, amanhã 20, depois 30, depois 40, depois 50, depois 60, depois 70, depois 80... então... o que você quer hoje? Somos todos iguais! Estamos todos no mesmo barco. E gostaria muito que no meu barco tivesse sim muita beleza, mas apenas da verdadeira.

9 comentários :

  1. Sabe que antes eu tinha medo de dizer o que penso,mas percebi que só tem um jeito de ouvir várias opiniões e com isso melhorar como pessoa.
    Já fui muito imediatista,muito preocupada com minha aparência,mas com o tempo ando percebendo que isso reflete insegurança.
    No meu caso venho de uma epoca em que o padrão de beleza era muito contrário a minha aparência....Lá vem uma adolescente magra,boca enorme e grandes olhos....
    Um dia dei por mim que estava absolutamente na moda....Mas o estrago já estava feito.Com o tempo eu me reestruturei,me fortaleci e me dei mais valor,nada demasiado,mas me vejo com mais compreensão,me olho sem tantas cobranças.
    Falo o que sinto,mas se escrevo no blog,do meu jeito e porque quero colher opiniões,aprender mais,ver até onde estou certa ou errada.
    Hoje,muito bem casada e com minha filha tão querida,me sinto mais segura com tudo a minha volta.Me sinto a vontade para ser eu mesma,com todos os meus pontos negativos ou positivos...
    Já perdi amizades apenas por acharem que sou assim ou assado,mas já ganhei muitas e muitas sendo como sou,sem fingimentos.
    Aos 20,30,40...Sempre aprendendo.
    Cada dia mais segura de que fui o melhor que pude.
    Mas posso sempre melhorar.
    Bjos
    Deusa
    Vasinhos Coloridos

    ResponderExcluir
  2. Olá! Sigo você faz um tempo e amei seu texto. A vida hoje está muito superficial para algumas pessoas mesmo. E ainda tem o fato de essas pessoas quererem ser melhores e mostrar uma felicidade ao mundo que simplesmente não existe. Acompanhando você!

    Att,
    Késia Mara

    ResponderExcluir
  3. Lindo e reflexivo texto, Talita! Você é uma verdadeira escritora. Admiro suas publicações e forma de pensar. Já sabemos que você é uma pessoa linda por fora, mas é ainda mais linda por dentro!

    ResponderExcluir
  4. Podemos resumir tudo numa só palavra: ostentação! O ser humano quer ser o que os outros querem ver.

    ResponderExcluir
  5. Adorei,muito real e atual, parabéns vc escreve muito bem e sempre me emociona... Bjs e parabéns pelo blog adoro

    ResponderExcluir
  6. Texto maravilhoso e verdadeiro, apenas faltando observar os aspectos da tristeza que, em alguns casos mesmo focada em coisas "aparentemente" pequenas, tem origem na saúde psíquica não podendo ser contornada com o raciocínio lógico.

    ResponderExcluir
  7. @Anônimo
    Sim, não podemos nos esquecer desse lado. Nem sempre se trata apenas de 'escolhas'. Doenças sérias como a depressão apresenta um lado ainda mais assustador, mas que precisa ser tratado para que a pessoa com qualquer delas possa usufruir de uma vista mais bonita da vida. Nossas mentes são um mistério, espero que ainda avancemos muito mais em conhecimentos do assunto. Obrigada pelo comentário, Talita.

    ResponderExcluir
  8. Talita, meus parabéns por mais uma crônica tocante e tão pedagógica a todos e cada um de nós.

    Muito bom saber que existem pessoas no planeta que pensam e agem como eu gostaria de ver o mundo, ver nosso cantinho, nossas vidas, familiares e amigos.

    A autenticidade em cada um de nós é nos torna pessoas únicas e... admiráveis.
    Parabéns.
    beijo grande.

    ResponderExcluir
  9. Nossa! Que texto fantástico! Pensei até que era citação de algum autor famoso...Parabéns!!!

    ResponderExcluir

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz.
Se precisar, entre em contato conosco através do email: talita@donaperfeitinha.com