Já se imaginou em seu próprio velório?


Já se imaginou em seu próprio velório?
Acho esse exercício um exercício maravilhoso para vivermos uma vida bem vivida.

A primeira coisa que essa reflexão imaginativa me proporciona é pensar sobre o que não quero que aconteça.

Não quero, à véspera da minha morte, pensar em coisas como 

'Devia ter...'

E muito menos quero que pessoas que não me amaram tentem discursar sobre minha vida.

Quero apenas pessoas queridas com as quais pude ser vulnerável dizendo algo sobre mim. Essas pessoas sabem quem são, sabem que gostaram gratuitamente de mim. Nossa troca tem que ter sido exclusivamente intelectual, emocional, experiencial e nunca material, de influência ou por obrigação. Eu gosto delas da mesma maneira. Eu as amo como são e as quero felizes como quiserem ser. Eu quero para elas uma vida boa, como a vida que eu desejo ter tido à minha data de morrer.

Com o exercício de nos imaginar em nosso próprio velório, é possível começar do zero hoje.
É possível começar pelo objetivo final.
É possível replanejar nossos caminhos,
Perceber o que estamos liderando errado, entende?

Com esse exercício, podemos olhar por cima das nossas atitudes e esforços antes de continuar com os mesmos e nos perguntar: Eles estão me levando onde quero chegar ou isso aqui tudo é perda de tempo? (Sempre me faço essa pergunta e tento imaginar que saio do meu corpo e olho para meu futuro. Continuo se tenho a certeza de que meu trabalho gerará os resultados que quero. Mudo de rumo se descubro que algo é irrelevante pro meu objetivo.)

Ao mesmo tempo, quero nunca me preocupar com o que ainda está por vir. Vou tentar ser clara quanto a isso: por mais que o exercício anterior seja uma tentativa de identificar meu futuro, assim feito, eu o esqueço. Esse exercício deve servir apenas como reflexão sobre minhas atitudes e decisões do presente para me deixar tranquila, certa de que escolhi o caminho certo. Com essa certeza deve vir a tranquilidade e a despreocupação pelo futuro e posso viver o hoje de acordo com meus valores e aproveitar cada momento sem mais pensar no que ainda não aconteceu ou no que ainda preciso conquistar. É isso.

Quero ser lembrada por me importar com as pessoas que se importam.
Quero ser lembrada por ter vivido aberta a novos aprendizados.
Quero ser lembrada por meus erros assumidos e transformados.
Quero ser lembrada por meu olhar de carinho,
Por minha vulnerabilidade,
Por minhas dúvidas,
Por minhas decisões baseadas em meu bom caráter.
Quero ser lembrada por ter servido a pessoas que amo e a pessoas que admiro.
Quero ser lembrada por ter transmitido aos meus filhos valores que lhe sejam essenciais para uma vida vivida com alegria, com a importância que tem, com a coragem necessária conquistar o que realmente importa.

Quero ter visto o sol nascer milhares de vezes, sentindo aquela indescritível sensação que sinto frente a esse espetáculo;
Quero ter visto outros milhares de sóis se pôr no horizonte ao lado da minha família, de todos que amo;
Quero ter feito sorrisos brotarem em rostos desanimados,
Quero ter conseguido levar ânimo a quem precisasse,
Quero ter conseguido me decidir pelo positivo quando minha tendência ter sido o contrário,
Quero ter vencido qualquer julgamento maldoso da minha mente e ter feito conclusões lindas sobre a vida em si, sobre a minha forma de olhar para fora,
Quero ter abraçado muito meus filhos e dito a eles as mais lindas palavras merecidas,
Quero ter conseguido transmitir o amor que sinto dentro de mim,
Quero ter beijado meu marido como se o amanhã não existisse nunca,
Quero ter feito o melhor para meu corpo e minha mente,
Para minhas emoções e vontades presentes,
Quero ter trabalhado o suficiente,
Amado muito,
Acariciado,
E dado ouvidos.
Eu quero viver uma vida honesta e justa,
Ser boa com quem merece.

Não quero ser boa com todos,
Mas quero ser a melhor para quem caminha ao meu lado,

Não quero mudar o mundo,
Mas a mim mesma a cada novo passo.

Não quero ser dogmática nunca,
Mas amiga que admira as diferenças sempre.

Quero ter amigos que também tem dúvidas sobre a vida,
Quero amar meu marido para sempre.

Quero incentivar meus filhos a amarem a si e ao mundo e tê-los por perto sempre que eles quiserem,
Quero sempre assumir responsabilidades,
Ver o mundo com alegria,
Comemorar a vida.

De tudo que quero para mim, assistindo ao meu final, acho que tenho valorizado bem a vida que me presenteia todo dia.
Estou aberta a aprender mais,
A ler muito,
A ter um olhar mais ameno sobre coisas que um dia me fizeram mal.
Quero ser ainda menos taxativa,
Ainda menos preconceituosa com o que não me protege.

Quero ser alguém que recebe sempre um sorriso sincero de volta,
Que conversa e aprende com todos à minha volta
Que aceita melhores presentes
Que retribui com boas ações.

Quero fazer só o que me sinto bem fazendo,
Quero viver uma vida boa, importante de amizades, sinceridades, amenidades, reflexões que me mudam para melhor.

Quero sempre fazer exercícios imaginativos como esse e começar com esses objetivos finais.




Já se imaginou em seu próprio velório? Já se imaginou em seu próprio velório? Reviewed by Dona Perfeitinha on outubro 01, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

"As redes de pescar palavras são feitas de palavras." Otávio Paz. Temos o poder de escolha sobre as palavras que proferimos. Escolha ser gentil! Respondo mais rapidamente no canal do YouTube, porém, aos poucos, vou respondendo aqui. Veja se a informação que precisa já não está na postagem. Espero o melhor pra você! Meu objetivo aqui é te inspirar e me inspirar junto à troca que tivermos!

""Obrigada por visitar e compartilhar! Inscreva-se no YouTube!""

Tecnologia do Blogger.